quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Bom e velho pãozinho

Um pão francês tem a mesma quantidade de calorias do que cinco biscoitos cream cracker, só que estes têm três vezes mais gordura saturada.

Você sabe o que está comendo?

Uma pesquisa pioneira realizada pela Universidade Federal de São Paulo analisou 112 dietas publicadas por revistas populares para o público feminino. Todas tinham pelo menos um erro nutricional.
A maior parte recomendava ingestão de cálcio, ferro e vitamina E abaixo do necessário. Em parte, isso ocorre porque os próprios especialistas se confundem.
Até as pesquisas epidemiológicas, matriz dos conhecimentos científicos, sofrem quando o assunto é nutrição. Para afirmar que um alimento é prejudicial à saúde é preciso acompanhar os hábitos de diversos grupos por um longo período. Isso é caro e demorado, além de muito trabalhoso. ''Especialistas sérios demoraram 12 anos para comprovar que quem consome mais verduras sofre menos problemas no coração'', conta Durval Ribas Filho, médico presidente da Associação Brasileira de Nutrologia e professor da USP de Ribeirão Preto. ''Parece muito óbvio, mas não é. Há muitos mitos embasados por estudos malconduzidos'', aponta. Ele cita um estudo com camundongos que mostrava como a berinjela era capaz de reduzir o colesterol. ''Quando testaram em humanos, o resultado não se comprovou.
Mas o estrago já estava feito e as pessoas estavam numa corrida louca atrás de berinjelas'', diz. Até hoje tem gente que toma vitamina de frutas com berinjela, apesar do sabor, por assim dizer, exótico.

Fonte: http://www.nutricaoclinica.com.br/content/section/1/16/

Calorias, para que te quero?

Sucos naturais são calóricos. Não podem ser consumidos em excesso

COPO A COPO 500 mililitros de Coca-Cola light têm zero caloria, enquanto a mesma medida de suco de uva industrializado tem 260 calorias e a Coca-Cola normal tem 210 calorias.

Polêmicas do mundo da alimentação

Bolacha cream cracker com queijo branco é uma comidinha leve, de dieta, certo? Talvez não. Cinco bolachas dessas têm três vezes mais gordura saturada que um pão francês. E uma fatia de queijo branco, um dos ícones da alimentação light, tem três vezes mais colesterol que a mesma porção de requeijão integral. Pouca gente imaginaria. Mas esses exemplos são, na verdade, apenas uma amostra da enorme vala que separa o que os nutricionistas sabem sobre alimentação do senso comum. A dica da vovó, o anúncio da televisão e até mesmo interesses políticos se misturam com pesquisas sérias e confundem o consumidor, ávido por receitas para emagrecer e viver mais. Essa mistura de interesses se transformou em um grande refogado de mitos.

Os enganos começam pela carne. E a principal vítima dos preconceitos é a de porco. Originalmente, ela era gordurosa. Mas há tempos perdeu medidas. A indústria mudou até o nome do produto para ''carne suína'', mas nem assim a população confia no emagrecimento. ''Entre 1963 e 1990, houve a diminuição de 77% da gordura e 53% das calorias do suíno'', afirma Luciano Roppa, veterinário especialista em nutrição animal. ''A seleção genética segue a tendência light do mercado e dá preferência aos animais magros.'' É por isso que pessoas mais velhas reclamam que não se fazem mais toucinhos como antigamente. Antes, a capa de gordura tinha em média 5,5 centímetros - agora tem 1,5 centímetro. O bife de pernil tem hoje a metade da gordura saturada de um bife de filé mignon com o mesmo tamanho. E praticamente metade do colesterol presente na mesma medida de uma coxa de frango com a pele.

A carne, de forma geral, caiu na lista negra da alimentação. Foi execrada por ser fonte de gordura saturada. Em uma pesquisa realizada pela Unicamp 30% dos entrevistados afirmaram considerar a gordura animal ruim para a saúde - mesmo que não soubessem explicar por quê. ''Consumidas em porções ideais, as carnes são mais que saudáveis: são necessárias'', garante Pedro Eduardo de Felício, da Faculdade de Engenharia de Alimento da Unicamp.

Até o frango entrou na polêmica. Corre por aí a informação de que estão dando hormônios para eles crescerem mais rápido. Mas o aditivo nem existe. ''Não há no mundo nenhum hormônio para aves'', explica Leandro Hackenhaar, engenheiro agrônomo e nutricionista da Degussa, produtora de aditivos alimentícios para animais. ''Os frangos crescem rápido porque as granjas trabalham com uma boa seleção genética e alimentação balanceada.''

Fonte: http://www.unicamp.br/unicamp/canal_aberto/clipping/julho2005/clipping050725_epoca.html

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Doce não é açucar

Consumir doces, normalmente ricos em gordura e açúcares, promove uma sensação de bem-estar e conforto devido à produção de serotonina e endorfina pelo cérebro. Por conta disso, o hábito de comer sobremesa ou devorar um chocolate ao longo do dia pode se tornar um vício. O problema é que o açúcar refinado, presente na maioria dos doces, torna-se um vilão à saúde quando consumido em excesso. Um inocente cafezinho ou copo de suco pode virar um inimigo quando é acrescido de açúcar. Mas será impossível comer um docinho sem sobrecarregar o organismo?

Para começar, é bom saber quais as patologias mais comumente associadas ao consumo de açúcar refinado em excesso. "O aumento dos casos de cáries dentais, obesidade e diabetes mostram que estamos comendo demais alimentos ricos em calorias e pobres em nutrientes", afirma a nutricionista Raquel Maia Chaves, sócia da Dhamma Consultoria em Alimentação. Segundo a especialista, devido ao processo de refinamento, esse tipo de açúcar acaba ficando vazio de nutrientes e é facilmente digerido, o que aumenta os níveis de glicose no sangue. "O valor calórico fornecido em 01 colher de chá de açúcar refinado corresponde a 19,9 Kcal", afirma.

É um erro pensar que impossível comer doce sem consumir açúcar. Os diabéticos e pessoas que querem diminuir o consumo do alimento, devem comer sobremesas naturais, como frutas secas. "É preciso cuidado com as compotas, só consuma as que não tiveram adição de açúcar na fórmulas. Uma boa dica é assar uma fruta com canela, pois a frutose não é prejudicial", afirma Raquel.

Tipos de açúcar

O açúcar cristal é um tipo de açúcar que não passou por algumas etapas do processo de refinamento e por isso possui a aparência de pequenos cristais. É de difícil conservação, pois contém sais que absorvem água, tornando-se úmido e viscoso. O valor calórico fornecido em 01 colher de chá de açúcar cristal corresponde a 19,9 Kcal, ou seja, o mesmo valor do açúcar refinado.
O açúcar mascavo é o que chamamos de açúcar natural, pois este não passa por nenhum processo de refinamento, sendo rico em nutrientes tais como ferro, sódio, potássio, cálcio, entre outros, e vitaminas C e do complexo B. O valor calórico fornecido em 01 colher de chá de açúcar mascavo corresponde a 14,7 Kcal.

Como é possível adoçar as receitas sem usar açúcar
Para adoçar as receitas, convém seguir o que as mesmas indicam, pois a troca do açúcar por outra substância como mel, karo etc. pode acabar 'prejudicando'a receita e a mesma não acabar saindo corretamente.
O que pode ser feito no caso das receitas que vão ao fogo/forno é a substituição do açúcar pelo adoçante do tipo forno e fogão, pois este foi desenvolvidopara o uso culinário, suportando as altas temperaturas sem gerar danos à saúde.
Vale lembrar que os adoçantes convencionais não podem ser utilizados em altas temperaturas pois se tornam prejudiciais ao organismo.

fonte: http://bemleve.ig.com.br/dieta/doce-nao-e-so-acucar/46

Porquê praticar atividade física?

• Aumentar a taxa Metabólica (estudos mostram que o aumento de 1,3 kg de músculo aumenta a taxa metabólica durante os períodos de descanso em 7% e o requerimento diário de calorias em 15%. Em descanso, 453 g de músculo queimam de 30-50 kcal por dia apenas para manter a sua massa.
• Reduzir a Gordura Corporal
• Melhorar o metabolismo da glicose (aumenta a suscetibilidade à insulina e melhora a tolerância à glicose) Reduzir a pressão sanguínea;
• Reduzir o colesterol e outras gorduras no sangue;
• Melhorar a aparência;
• Melhorar a postura ;
• Reduzir lesões;
• Melhorar o bem-estar psicológico

Função dos carbos

O principal papel dos carboidratos na alimentação é de fornecer energia de fácil utilização. São tão importantes que a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que eles correspondam de 55% a 75% da energia da alimentação. Isso significa que, pelo menos, um alimento rico em carboidrato deve ser ingerido por refeição. Esses açúcares são os principais responsáveis por fornecer energia para o cérebro e podem contribuir para uma melhor velocidade de raciocínio. Como o cérebro utiliza os carboidratos como fonte de energia, a ausência deste nutriente implica num processo mais lento e menos eficiente que, acaba provocando mal estar e desânimo. Além disso, encontramos na nossa dieta carboidratos que não digerimos, como as fibras formadas por celulose, mas que são fundamentais para auxiliar a nossa digestão. As fibras são responsáveis pelo efeito de lastro do tubo digestivo. A desvantagem dos carboidratos está associada ao excesso e ao tipo de carboidrato ingerido. O carboidrato simples ou refinado (açúcares e farinha brancos) são rapidamente digeridos e absorvidos, provocando picos de secreção de insulina. Com a secreção aumentada de insulina iremos estocar maiores quantidades de gordura, provocando aumento excessivo de peso. Por isso, o ideal é limitar a ingestão de carboidratos refinados e procurar substituí-los pelos mais complexos e ricos em fibras (alimentos integrais). Com estes últimos não ocorre pico se secreção de insulina e desta forma, não teremos o efeito maléfico de ganho de peso excessivo.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Carbo ou não carbo

Os carboidratos são as biomoléculas mais abundantes na natureza, apresentam como fórmula geral: [C(H2O)]n, daí o nome "carboidrato", ou "hidratos de carbono" e são moléculas que desempenham uma ampla variedade de funções, entre elas:
- Fonte de energia;
- Reserva de energia;
- Estrutural;
- Matéria-prima para a biossíntese de outras biomoléculas.
Na biosfera, há provavelmente mais carboidratos do que todas as outras matérias orgânicas juntas, graças à grande abundância, no reino vegetal, de dois polímeros da D-glucose, o amido e a celulose.
O carboidrato é a única fonte de energia aceita pelo cérebro, importante para o funcionamento do coração e todo sistema nervoso.
O corpo armazena carboidratos em três lugares: fígado (300 a 400g), músculo (glicogênio) e sangue (glicose). Os carboidratos evitam que nossos músculos sejam digeridos para produção de energia, por isso se sua dieta for baixa em carboidratos, o corpo faz canibalismo muscular.
Para quem pratica atividade física regularmente o carboidrato é o nutriente mais importante na alimentação, pois, ese nutriente é responsável por maximizar seus estoques de energia antes do exercício, fornecer energia durante o mesmo e também terá um papel fundamental no período de recuperação pós exercício. Vários estudos na literatura sugerem que um adequado aporte de carboidrato na alimentação melhora o desempenho durante o exercício, ao passo que uma inadequada ingestão desse nutriente pode acarretar em cansaço e fadiga.
Isso porque os estoques desse nutriente no nosso organismo são bastante limitados – ao contrário dos estoques de gordura – . Só para termos uma idéia, se o carboidrato fosse a única fonte de energia do nosso organismo, uma atividade moderada de 90 minutos seria capaz de depletar seus estoques.
Por isso, devemos ingerir o carboidrato em quantidades adequadas sempre em nossa alimentação para repor e até maximizar seus estoques não comprometendo dessa forma o desempenho.

QUANTO CARBOIDRATO DEVEMOS CONSUMIR ?
Para um indivíduo sedentário é recomendado seguir uma alimentação que forneça pelo menos 50 -55% do seu total calórico em carboidrato. Porém para quem pratica atividade física ou é atleta essa quantidade deve ser maior e vai variar de acordo com o tipo, frequência e intensidade dos treinos.
Para uma melhor avaliação do aporte de carboidrato recomendado para a sua situação de treinamento seria indicado consultar uma nutricionista.

QUAIS SÃO OS ALIMENTOS RICOS EM CARBOIDRATO ?
Arroz, batata, massas em geral, mandioca, pães, bolachas, aveia, granola, cereais matinais, barras de cereais, frutas, legumes são execelnetes fontes de carboidrato. Vale a pena lembrar que além do carboidrato esses alimentos também fornecem para o nosso organismo alguns outros nutrientes tais como vitaminas do complexo B, vitamina C, vitamina A, etc. Deve ser lembrado que, de preferência, arroz, pães e bolachas devem ser consumidos em sua versão integral, fornecendo assim um aporte maior de fibras a nossa alimentação.