segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Sal nosso de cada dia

Um dos grandes problemas da nutrição é que a maioria da população se preocupa demais com gorduras e calorias e se esquece do resto. O sal - principal fonte de sódio - já é reconhecido como um dos principais inimigos do organismo. Não é por acaso que hoje a indústria investe milhões em pesquisas para desenvolver substâncias químicas que dêem aos alimentos o sabor salgado sem a adição de sal. ''O ideal para o consumo diário de um adulto é 6 gramas, mas o brasileiro consome em média 12'', alerta a nutricionista Miyoko Nakasato, do Instituto do Coração, em São Paulo. O sódio é um dos principais responsáveis pela hipertensão. ''É preciso resgatar temperos naturais, usar mais alecrim, coentro, e diminuir o sal'', recomenda.

O problema do sal é que ele não vem apenas no saleiro. Frios, salsichas e pratos prontos são ricos em sódio. Quem usa aqueles tabletinhos de caldo concentrado de carne, frango e afins, por exemplo, deve ficar atento. Em um prato para duas pessoas preparado com um quadradinho daqueles, cada uma estará consumindo 40% da quantidade de sal ideal para um dia inteiro. Um pacote de macarrão instantâneo do tipo miojo preparado com o tempero também merece atenção. Ele tem nada mais nada menos do que 90% do sódio que uma pessoa deve consumir ao longo de 24 horas.

Informações sobre o sódio e outros ingredientes dos alimentos estão nos rótulos. As tabelas de valores nutricionais vêm com uma coluna pouco usada pelos consumidores, mas muito útil para medir o tamanho do prejuízo. Ela é designada como VD%. Significa Valor Diário em porcentagem.