sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

A dor tardia.

Você é daqueles que joga futebol de fim de semana?

Ou faz parte do grupo de ex-sedentários que começou a praticar academia há pouco tempo?

 

Quando se pratica esportes nessas condições (depois de um tempo de sedentarismo) é comum sentir dores musculares. É a chamada "dor do dia seguinte", ou "dor muscular tardia". Essa tensão é causada, entre outros fatores, pela falta de treinamento, mau preparo físico ou esforço muito intenso.

Este tipo de dor pode persistir a até 72 horas após a prática do exercício físico. Diferente da dor que atinge uma determinada parte do corpo, a dor muscular do dia seguinte é difusa, ou seja, não tem um foco específico.
Para esclarecer, há dois tipos de dor decorrentes do esforço físico. Uma delas é a que se sente imediatamente após a prática. Parece uma "queimação" no músculo, mas na verdade é o efeito do ácido lático acumulado no local. O outro tipo é justamente a dor do dia seguinte, que é resultado de inflamações causadas por microlesões nos tecidos musculares.
Esse sintoma se popularizou, nos últimos tempos, principalmente pela "moda" da academia. Os jogadores de futebol de fim-de-semana ou quaisquer esportistas eventuais, estão sujeitos a esse tipo de problema.

Em caso de dor do dia seguinte, a principal medida a ser tomada é reduzir a carga ou a intensidade do exercício no próximo treino. Entretanto, se a dor for muito incômoda e limitante, a interrupção dos treinos aliada à utilização de um antiinflamatório pode ser necessária.

Em caso de dúvida procure um médico.