terça-feira, 9 de setembro de 2008

Músculos

Principais responsáveis pelos movimentos feitos pelo corpo, ao trabalhar em sintonia com os ossos e o sistema nervoso, os músculos são feixes de fibras finas e alongadas. A partir dos 25 anos, com a diminuição gradual do ritmo do metabolismo do corpo, os músculos tendem a perder força, ao mesmo tempo em que a gordura se acumula com mais facilidade. Aos 60 anos, a massa magra de uma pessoa pode cair para pouco mais da metade do que era na juventude. A redução da quantidade de músculos acentua-se ainda mais em pessoas sedentárias. Exercícios físicos, segundo o médico americano Michael Roizen, podem fazer com que os músculos, na maturidade, fiquem até quarenta anos mais jovens.
A receita de Roizen é a prática de atividades aeróbicas no mínimo três vezes por semana, combinadas com cerca de dez minutos de exercícios com peso, que obriguem os músculos a ir ao limite – é aquela série de musculação em que a pessoa praticamente não consegue fazer o último exercício. Para quem não costuma levar os músculos ao limite da resistência por temer a fadiga e a dor causadas pelo acúmulo de ácido lático, uma boa notícia. Uma pesquisa realizada ao longo de trinta anos e divulgada agora por um grupo de cientistas da Califórnia mostra que o ácido lático está longe de ser um vilão. Na verdade, ele funciona como combustível para melhorar o desempenho dos atletas e nada tem a ver com as dores do dia seguinte.
Em qualquer idade, preconizam os médicos, é preciso se mexer para preservar o tônus muscular. Um estudo realizado pela Tufts University, nos Estados Unidos, analisou o efeito dos exercícios de força em mulheres idosas, com faixa etária média de 73 anos. Em apenas duas semanas de treino, elas apresentaram um ganho significativo na quantidade de músculos. Após doze semanas, os pesquisadores também notaram aumento de força muscular. Estudos recentes realizados por pesquisadores do Hospital de Reabilitação da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, confirmam que mesmo os indivíduos sedentários durante muito tempo recuperam força muscular quando voltam a se exercitar.
 

A massa muscular começa a diminuir aos 25 anos. A partir dos 45 anos, a perda média é de 1% ao ano para quem não faz exercícios com regularidade.  
Pela relação entre peso e força, o miométrio é o músculo mais forte do corpo. A cada contração durante o parto, a musculatura uterina faz um esforço suficiente para levantar 41 quilos.  
Só nos anos 70 os médicos perceberam a importância da musculação para a saúde. Até então, os exercícios eram recomendados sobretudo para fins estéticos.  
Os cientistas já identificaram uma proteína, a miostatina, cuja função é modular o volume muscular. O bloqueio dessa substância promove um superdesenvolvimento do músculo. As pesquisas tentam agora descobrir como usar a miostatina para tratar patologias musculares e, quem sabe, ajudar os sedentários a desenvolver físico de atleta.

Fonte: http://veja.abril.com.br/240506/p_105.html