quarta-feira, 10 de setembro de 2008

O que é melhor para queimar gordura? Exercícios de alta ou baixa intensidade?



Esta pergunta é uma das mais freqüentes entre as pessoas que praticam esporte e desejam perder peso. Durante mais de duas décadas, os especialistas propagaram que o melhor jeito para acelerar a queima de gordura era o exercício prolongado (por tempo acima de 30min) e em baixa intensidade. Em outras palavras, recomendavam que deveríamos caminhar ou então trotar devagarzinho por horas a fio. E muitos praticantes realmente até hoje obtém excelentes resultados adotando este método, que até ganhou uma sigla bem curiosa: LSD (do inglês, Long Slow Distance ou Distância Longa e em Ritmo Lento).

O LSD funciona porque permite que o indivíduo se mantenha em atividade física durante muito tempo e aí a conseqüência é um gasto calórico total bem elevado. Além disso, os tratados de fisiologia do exercício são unânimes em apontar que, durante o LSD, o principal combustível é justamente a famigerada gordura. Assim, LSD fez e continua fazendo muito sucesso. Por causa deste sucesso foram criadas aquelas tabelas que indicam qual a freqüência cardíaca ideal para queimar gordura, com base na idade e sexo de cada um.

O processo de emagrecimento é uma equação simples

Por outro lado, as pesquisas mais recentes indicam que queimar gordura durante o exercício não é tão importante quanto o gasto calórico total, principalmente se o fator tempo é limitante (e no mundo em que vivemos hoje, o "tempo" geralmente é limitante). Neste caso, as intensidades mais altas levam vantagem. Exemplo com uma mulher de 55kg: enquanto uma corrida leve de 30min pode corresponder a um total de 5km e um gasto calórico total de aproximadamente 275 calorias, uma corrida em ritmo intenso durante o mesmo tempo pode corresponder a 6km e um gasto calórico total de 330 calorias, ou seja, um gasto calórico total 20% maior!

Se esta mulher fizer duas corridas mais intensas durante a semana, vai queimar 110 calorias extras por semana. Agora, se você pensa em sair correndo neste momento em ritmo acelerado, alto lá! Somente os praticantes que já vem realizando exercícios há pelo menos dois anos é que devem considerar esta hipótese. Aumentar a intensidade de suas atividades deve ser um processo gradual e, de preferência, sob a supervisão de um profissional.

Para finalizar, não podemos esquecer que o processo de emagrecimento é uma espécie de equação, onde: Emagrecimento = Ingestão calórica – Gasto calórico. No próximo artigo vamos discutir o outro lado da moeda, a ingestão calórica e por que não conseguimos emagrecer só fazendo exercícios.