quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Em tempos de crise... corra, corra e corra


Os tempos não estão fáceis. Diante do que acontece com os mercados financeiros internacionais, é prudente aceitarmos a idéia de que todos passaremos por um período de ajustes no orçamento. O aperto no cinto será diferente para cada um de nós, é claro, mas certamente será inevitável à grande maioria. Semana passada recebi uma ótima sugestão de uma amiga corredora. De que forma a crise financeira global afeta - se é que afeta - os praticantes de corrida ou freqüentadores de academias? Esse é um daqueles gastos supérfluos que ficam no topo da lista na hora de cortar despesas?

Não há como ignorar tudo isso que está acontecendo. Todos sabemos da seriedade dos fatos e do que eles podem provocar daqui para frente. O momento é tenso de uma forma geral. Mas é justamente por isso, pela tensão generalizada que essa ou qualquer outra crise nos impõe, que não é hora de abandonar o esporte, qualquer que seja ele. Para quem corre: imagine como ficaria seu humor se, além das eventuais perdas na conta bancária, você parasse de treinar?

Sem a nossa corridinha de sempre, fica muito mais difícil lidar contra o stress. Sim, várias pesquisas já foram feitas, inclusive aqui no Brasil, para comprovar que pessoas fisicamente ativas têm um sono de melhor qualidade e sofrem menos com os problemas do dia-a-dia.

É claro que fica mais difícil enxergar a coisa dessa forma, tão simples e racional. Afinal, quando a pessoa está tensa, sob pressão e acuada com a falta de possibilidades, ela acaba não comendo, dormindo pouco e não se exercitando. É como uma bola de neve que começa a correr e aumentar numa velocidade muito perigosa.

Esta situação precisa ser combatida imediatamente e uma grande aliada nesta luta é a endorfina liberada em nosso organismo quando nos exercitamos. A endorfina é responsável por uma sensação de euforia e analgesia. Muitos amigos meus são assumidamente "viciados em corrida" e relatam que uma boa corrida faz toda a diferença no bem estar, principalmente quando os ventos não sopram a favor.

Em resumo, podemos e devemos usar a atividade física a nosso favor sempre, especialmente sob situações onde o nível de stress sobe, como no caso da crise financeira. Pense duas vezes antes de cortar os gastos que você investe na sua saúde e no seu bem-estar emocional. A corrida - ou seja lá qual for seu esporte preferido - pode ser um santo remédio!

Renato Dutra

Prof. de Educação Física-Treinador de Corrida | email: renatodutra.chegada@gmail.com

Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/saude-chegada/