terça-feira, 29 de abril de 2008

OVO, uma opção saudável na nossa alimentação

Os povos mais antigos ,como egípcios e hebreus,por exemplo,já utilizavam o ovo e o consideravam como um alimento sagrado, pois acreditavam que , para se transformar em um animal completo,o ovo possuía forças poderosas ou sobrenaturais.Esses povos realmente tinham razão quando pensavam dessa maneira pois , como já está provado ,o ovo tem um elevado valor nutritivo e não só se transforma em um novo ser como,nesse caso uma avezinha ,como ainda a sustenta durante várias horas depois do nascimento.

 O hábito de comer ovos já com embriões de pintos é muito antigo na China. Está provado que o ovo é realmente um alimento completo e que contém todos os elementos nutritivos ,desde que seja completada sua formação . Ele é um verdadeiro Armazém ou depósito de elementos indispensáveis à vida,pois o embrião nele contido Tem que se alimentar e se desenvolver independente do organismo materno.Portanto , o ovo não só é recomendado , como também é necessário na alimentação humana e principalmente para crianças em crescimento ou em idade escolar,gestantes e mães em aleitamento.

 O medo do colesterol e gordura na dieta,tem sido o responsável pelas mudanças nos hábitos alimentares da população.A análise do resultado de inúmeras pesquisas mostra pouca relação entre o consumo de colesterol e o colesterol do plasma.O ovo é um alimento riquíssimo que pode até substituir a carne de vaca e está sendo desprezado por conceitos infundados de possíveis malefícios à saúde humana.

 As recomendações nutricionais em vigência têm provocado uma tremenda redução no consumo de ovos e carnes vermelhas.Paralelamente aconteceram grandes aumentos no consumo de farinhas brancas,alimentos industrializados , gorduras hidrogenadas e açucares ultra refidados.O nível de colesterol no plasma é um mal indicador do risco de doenças cardiovasculares, porem 50% das vitimas de infartos ou derrames têm o colesterol normal.

 O consumo de ovos,isoladamente,não pode ser considerado a causa dominante das doenças Cardiovasculares e outros problemas de saúde pública (obesidade,diabete,etc.) Se o ovo fosse a causa do colesterol e o responsável pela pelas doenças, a saúde pública deveria estar muito melhor desde que seu consumo caiu drasticamente no mundo. Outras teorias como hiperinsulinismo ,estresse oxidativo,sedentarismo,genética ,também precisam ser consideradas.

 A maioria esmagadora dos estudos feitos recentemente indicam fortemente que há uma resposta mínima na concentração do colesterol plasmático com o aumento no consumo de ovos, por pessoa saudável.A maioria dos estudos ,no entanto,indicam também um aumento simultâneo no nível de HDL (bom colesterol) ,mantendo a relação com o LDL (colesterol ruim) constante.

 Obviamente a nossa dieta deve ser equilibrada e devemos comer diariamente os alimentos Construtores(carnes,ovos,feijão,nozes,etc,),Reguladores(vegetais e frutas) e os Energéticos (arroz,massa,pães e cereais) ,dando importância a todos os grupos e não valorizar um em especial,comer variado é o segredo da nossa saúde.Vamos falar asseguir sobre a obtenção de um ovo seguro e saudável.

 Um pouco sobre a cadeia produtiva:

 A cadeia produtiva é importante para que possamos chegar a um produto final de boa qualidade.A profilaxia visa romper a cadeia epidemiológica que conduz à doença. Para a aplicação de medidas de prevenção é necessário conhecer todos os mecanismos envolvidos na transmissão e todos os fatores que tem influência na ocorrência de doenças.

 É importante que a cadeia produtiva dos ovos no que se refere a higiêne , seja mantida e supervisionada freqüentemente, desde os locais de criação, à partir da granja até o consumidor final.Para que a cadeia produtiva obtenha bons produtos , é necessário que , a compra de aves matrizes e aves de incubadoras, sejam sempre adquiridas de criadores que sigam o "código de conduta" ,para que assim se evite os pontos críticos relacionados à qualidade.

 Os entrepostos para manterem a qualidade da cadeia produtiva, só devem receber ovos de locais que sigam o mesmo "código de conduta " e assegurem um armazenamento higiênico e um transporte eficiente e correto para que chegue ao varejo e ao consumidor final um produto com excelente qualidade.Também é necessário que as empresas processadoras de ovos adquiram sua matéria prima de produtores e empacotadores confiáveis e seguidores do código.

 Obtenção da matéria prima:

 Os ovos mais empregados na alimentação humana são os ovos de galinhas .É através dos ovos que as aves se reproduzem, mas é necessário que eles sejam fecundados, férteis ou, como é dito popularmente, galados,o que ocorre pelo acasalamento do macho com a fêmea.

 Os ovos de galinha não devem ser misturados com os de outras espécies . Os ovos não chocados de incubadoras e ovos quebrados não devem ser usados em produtos para o consumo humano. Ovos sujos devem ser limpos de modo a prevenir contaminações de seu conteúdo e as cascas devem ser secas antes da quebra dos ovos.

 Os ovos devem ser oriundos de locais que sigam o "código de normas" , para que o ovo seja uma ótima matéria prima. Deve haver espaços separados para :- armazenar os ovos ,armazenar os ovos líquidos ou congelados, quebrar os ovos, recolhendo seu conteúdo e removendo suas cascas ,tratamento dos ovos, armazenamento de aditivos, armazenamento de produtos desinfetantes e de limpeza e a preparação de produtos não destinados ao consumo humano.

 Os ovos não devem ser quebrados por centrifugação ou esmagamento ,cascas e membranas devem ser mantidas fora dos produtos. Os ovos devem ser armazenados e transportados em temperaturas baixas e deve ser feito rastreamento pela indústria ou entreposto que vai elaborar a matéria prima em seus produtos.

 Os ovos rachados devem ser utilizados o mais rápido possível e o ovo líquido deverá ser resfriado à ( 4ºC ) no próprio local onde foi quebrado e ser processado em 48hs. Todas as fábricas que utilizam o ovo como matéria- prima, deveria ter um responsável especialista para inspecionar os fornecedor periodicamente para com isto garantir a obtenção da matéria prima com constante qualidade e com ausência de risco para o consumidor.

 Atributos de qualidade:

 A qualidade é o conjunto das características que diferenciam as unidades individuais de um produto e que tem valor na definição do grau de aceitabili-dade do consumidor. A qualidade externa esta relacionada com a aparência, toque e defeitos, a interna com o odor, o sabor e a testura e a oculta com o valor nutritivo, composição e segurança.

 Quanto maior a densidade específica dos ovos (espessura da casca) maior é a qualidade da casca. A qualidade da casca é feita na prática por observação relativa a limpeza da casca ,ausência ou porcentagem de trincas e deformações feitas durante a classificação .Tecnicamente se usa a determinação da densidade especifica de ovos frescos. A qualidade da clara é feita pesando o ovo antes de quebrá-lo numa superfície lisa.

 O método consiste na medida da altura da parte mais espessa da clara relacionada com o peso do ovo.

 A qualidade da gema é obtida observando-se a cor , forma e resistência da membrana envoltória . O valor nutritivo da gema é influenciado pela dieta das aves . A qualidade no interior dos ovos pela presença de manchas de sangue e pedaços semelhantes tecidos e que principalmente afetam a qualidade interna dos ovos. Eles ocorrem durante o processo de formação dos ovos.

 Os níveis de alterações no interior dos ovos estão relacionados com as trocas gasosas de gás carbônico através da casca. Quanto a cor da casca do ovo é apenas um fator racial hereditário ou alimentar e não tem nada a ver com o valor nutritivo do ovo. O ovo não só possui todas as substâncias necessárias, mas também ,e o que é de grande importância , elas guardam uma determinada proporção ou equilíbrio entre si ,fornecendo, por isso, uma alimentação equilibrada .

 O ovo é rico em proteínas, minerais como cálcio, fósforo ,além de vitaminas A,B,D, riboflavina (B2), niacina(B3) e ácido pantotênico(B5).

 Segurança dos alimentos na cadeia dos ovos:

 A segurança é a certeza prática que o produto não produzirá danos ou lesões aos consumidores. Os itens mais importântes na segurança da cadeia dos ovos são:- a rastreabilidade , a identificação , o seguimento e o cumprimento de um código de conduta ,assim como as necessidades especiais de planteis, de matrizes e incubação ,controle de salmonelas, pessoal qualificado, controle de vermino- ses, desinfecção, não permitir animais nos aviários (como : cães, gatos, porcos, etc.) ,evitar grande número de visitantes ao criadouro , transporte equipado e apropriado ,ração de boa qualidade e com comprovação ,depósito limpo e arrumado, lixo tratado, controle permanente da saúde das aves ,pessoal treinado e constantes reciclagem em higiêne.

Os revendedores devem seguir normas de segurança, para garantir a qualidade dos ovos evitando desta forma , os pontos críticos da segurança da qualidade da cadeia dos ovos como: - colocá-los em caixas limpas e em local seco , devem ficar em temperaturas constantes menores que 20ºC ,terem prazo de validade e indicação na embalagem ,que em casa devem ficar em temperatura abaixo de 8ºC,deve-se lavar as mãos antes e depois dos ovos serem manipulados e vendido em sistema de rotação.

 Tendo noção de todos estes pontos críticos ,com certeza a segurança na cadeia dos ovos será muito boa.

Fonte: http://www.marombapura.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=886&Itemid=52

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Cronobiologia: um dia na vida do seu corpo

  Cada coisa tem seu tempo. A velha frase resume com perfeição os princípios da cronobiologia, área científica que se firmou nos anos 60 do século XX. Seu foco é o estudo dos ritmos biológicos do organismo. Em outras palavras, nas últimas décadas os cientistas descobriram que nosso corpo se adaptou, como o dos demais seres vivos, à alternância entre luz e escuridão que caracteriza as 24 horas de um dia. Nesse intervalo, uma série de reações fisiológicas é deflagrada, mas cada uma delas tem hora marcada para acontecer. O hormônio do crescimento é secretado especialmente à noite, exemplifica o neurocientista John Fontenele Araújo, coordenador do Laboratório de Cronobiologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Esse sobe-e-desce de substâncias se reflete na nossa disposição para desempenhar as tarefas cotidianas nesse ou naquele horário. Da mesma forma que a idéia de sermos acordados às 5 da manhã para comer uma feijoada nos parece indigesta, esforços físicos e intelectuais têm seus altos e baixos que devem ser levados em conta ao planejarmos nossas atividades, opina Luiz Menna-Barreto, professor da Universidade de São Paulo e um dos pioneiros no estudo da cronobiologia no Brasil. Baseada nas recentes descobertas sobre o assunto, a escritora americana Jennifer Ackerman, especializada em divulgação científica, revela ao longo das páginas do livro Sex Sleep Eat Drink Dream, recém-lançado nos Estados Unidos, a hora certa para a prática de esportes ou para agendar uma visita ao dentista, entre outros compromissos(veja cronologia ao longo da reportagem).
Além de afiar a performance nas mais variadas atividades do dia-adia, as recentes descobertas sobre os ciclos que comandam o organismo vêm contribuindo para o desenvolvimento de novos remédios e melhoras no tratamento de algumas doenças.A cronobiologia tem demonstrado que alguns sintomas ocorrem com maior intensidade em determinadas horas do dia, explica o neurocientista John Fontenele Araújo. Dessa forma, pode-se ajustar as doses de um medicamento de acordo com os picos de incidência de um mal ou sintoma ao longo das 24 horas. É o caso da pressão alta.
A pressão geralmente dispara nas primeiras horas da manhã, o que explica uma maior ocorrência de infartos e derrames nesse período. Assim, algumas drogas para controlar o problema devem ser engolidas logo depois de o sol nascer. Os ataques de asma são outro exemplo f lagrante. Eles costumam vir à tona durante a madrugada. Daí, não é de estranhar a recomendação para os asmáticos se valerem da medicação específica para combatê-los à noite.
O tratamento de tumores é outro foco das pesquisas da cronobiologia, mais especificamente da cronofarmacologia, que estuda a ação de remédios de acordo com os ponteiros fisiológicos do corpo. Os pesquisadores procuram descobrir um horário em que somente as células cancerosas sejam sensíveis às drogas, explica o neurofisiologisa José Cipolla- Neto, da Universidade de São Paulo. Dessa forma, as células sadias seriam poupadas dos efeitos tóxicos da medicação.
Os hospitais mais modernos já se renderam aos ensinamentos dessa área científica. Em alguns deles, até os prédios foram projetados seguindo seus critérios. Antes pensava-se que as UTIs, por exemplo, tivessem de ser totalmente isoladas. Não era importante para o paciente saber se era dia ou noite, conta Fontenele. Hoje muitas dessas unidades já apresentam janelas e, como dá para perceber o ciclo dia-e-noite, os doentes melhoram mais rápido. Não à toa. Em contato com a luminosidade natural, quem está hospitalizado fica, assim, sincronizado com a luz solar. No final das contas, isso provoca um ajuste dos ponteiros do relógio biológico, porque o indivíduo permanece desperto de manhã e à tarde e, depois que a noite cai, adormece. E manter o nosso tiquetaque natural regulado é fundamental para conservar ou recuperar a saúde.
Nosso relógio biológico atende pelo estranho nome de núcleo supraquiasmático e está localizado no hipotálamo, lá no meio do cérebro. A claridade do dia impede que ele acione a glândula pineal, também situada naquela região. Já ao anoitecer, essa estrutura começa a liberar a melatonina, que é mais conhecida como o hormônio do sono. Além dessa nobre função, a substância desempenha outros papéis de destaque no organismo. Em suma, agiria como um regente dos ritmos internos do corpo.
Quando está sendo produzida, a melatonina sinaliza para o ser humano que anoiteceu. Sua liberação varia de acordo com a duração da noite, algo estritamente relacionado às estações do ano no inverno, os períodos de escuridão são maiores; no verão, mais curtos, e por aí vai. Na calada da madrugada, ao atingir seu pico na circulação, a melatonina prepara as células para receber, horas depois, boas doses de insulina, a encarregada de abastecê-las de açúcar. Ela também programa os turnos de trabalho do pâncreas, a glândula que fabrica esse hormônio, para coincidir com o período de vigília, momento em que estamos mais ativos e necessitamos de energia para manter o pique.
Sua ação contra os radicais livres, moléculas que danificam o DNA, impressiona os especialistas. A melatonina tem poder antioxidante maior do que as vitaminas C e E, diz José Cipolla- Neto. Nos bastidores, recruta enzimas capazes de reparar os estragos infligidos ao material genético. Assim, não é de estranhar o fato de muitos cientistas a considerarem uma aliada e tanto na luta contra tumores, especialmente aqueles que se alimentam de estrógeno, caso de alguns cânceres de mama seu efeito benéfico se dá pelo bloqueio dos receptores desse hormônio feminino. Já que o assunto é proteção, também é preciso dizer que a melatonina facilita a divisão de células de defesa, como os linfócitos. Por fim, funciona como um antihipertensivo. A questão é: com o avanço da idade, seus níveis despencam. Por isso, não é mera coincidência certos males, como a pressão alta, acometerem com maior freqüência pessoas idosas. Mas sua versão sintética é proibida no Brasil. Talvez seja hora de rever isso, opina Cipolla-Neto. De qualquer forma, respeitar os ritmos do organismo inclusive dormindo bem para assegurar o aporte de melatonina ainda é a melhor maneira de garantir muita disposição. Em todas as horas. E por toda a vida.
 
8h
O amor está no ar. A testosterona, hormônio masculino por natureza e responsável por despertar o desejo sexual, está nas alturas. Por outro lado, o sêmen de melhor qualidade é produzido em maior volume à tarde. Assim, quem quer gerar fi lhos poderá ter mais chances de ser bemsucedido se centralizar seus esforços no fi nal do dia.
 
10h
A dica é especial para as mulheres, que fi cam angustiadas diante da idéia de exibir unhas mal cuidadas por aí: procure fazer a mão de manhã. Qualquer sangramento inesperado, fruto de alguma manobra desastrada da manicure, será estancado mais rapidamente. Explica-se: as plaquetas, os elementos por trás da coagulação sangüínea, encontram-se em níveis mais elevados nesse período. O conselho vale também para os barbudos que querem se livrar dos pêlos no rosto.
 
11h
As manhãs são ideais para devorar pães, massas, doces e afi ns. Acredita-se que o organismo processe carboidratos com maior velocidade nas primeiras horas do dia do que durante a noite. Um estudo da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, mostra que a ingestão diária de uma única refeição de 2 mil calorias no café-da-manhã todo dia ajudaria a perder peso.
 
14h
Viva a sesta! A pausa após o almoço atende à necessidade biológica de repouso nesse horário. Em outras palavras, o corpo humano é programado para uma soneca depois da refeição. Os últimos estudos sobre o tema indicam que o recomendado seria cochilar de 15 a 20 minutos entre as 13 e as 14h30 para aliviar o cansaço, recarregar as baterias mentais e melhorar a performance cognitiva.
 
15h
Ninguém é muito fã, mas não há escapatória: um dia ou outro a gente tem de se sentar na cadeira do dentista. A escritora Jennifer Ackerman recomenda que as consultas com esse profi ssional sejam marcadas para depois do almoço. Isso porque à tarde conseguimos suportar com menos estremecimentos eventuais dores nos dentes. E, se houver necessidade de anestesia, as doses serão menores.
 
17h
Adultos jovens tendem a se distrair menos no fi nalzinho da tarde. Assim, quem está prestando um vestibular ou qualquer outro concurso deve focar os estudos perto da hora em que o sol se põe. Pessoas com idade mais avançada, no entanto, vivenciam a situação inversa.
 
18h
Que hora mais feliz para uma happy hour. A brincadeira não tem nada de infame. Entre as 17 e as 18h, nosso fígado processa de maneira muito mais efi ciente o álcool, o que facilita a desintoxicação do organismo. Dessa forma, minimiza-se o estrago que uns goles a mais na companhia dos amigos poderiam provocar.
 
19h
Final da tarde, início da noite: a temperatura corporal atinge seu pico. Como conseqüência dessa subida, a tolerância à dor, a fl exibilidade dos músculos e a velocidade dos refl exos se elevam. Eis uma boa hora para ir à academia ou dar aquela corrida no parque. Quer melhor incentivo para quebrar seus recordes, leitor?
 
Das 21 à 0h
Você pode até tentar adormecer entre as 18 e as 21h, mas vai ser difícil pregar os olhos. A gente tende a dormir melhor de duas a três horas depois desse intervalo. É quando o relógio biológico envia sinais para a glândula pineal aumentar sua produção de melatonina, avisando que está escuro, ambiente ideal para se jogar debaixo dos lençóis.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Diet ou Light? A dúvida persiste.

Hoje, existem inúmeras opções de produtos diet e light no mercado. Mas qual dos dois é o mais indicado para quem deseja perder (ou mesmo manter) peso, para os diabéticos e para os hipertensos?

Os alimentos diet são indicados para diabéticos e hipertensos e se caracterizam pela eliminação de algum tipo de nutriente contido no alimento original, como por exemplo, carboidrato, açúcar, proteína, sódio ou gordura.

Já os light são caracterizados por uma diminuição das calorias. Prova disso é que para um produto ser considerado light, ele deve apresentar uma diminuição de, no mínimo, 25% do total de calorias da versão normal.
A confusão mais comum é comer um alimento diet pensando que ele contenha menos calorias e não irá provocar ganho de peso. Porém, a eliminação de um ou mais nutrientes que caracteriza o produto diet não significa, necessariamente, diminuição de calorias.
Exemplo notório é o chocolate diet, que apesar não de não conter açúcar, apresenta uma quantidade maior de gordura, igualando as calorias com as do produto normal.

Outro erro fácil de ser cometido é abusar dos alimentos light por se tratarem de produtos pouco calóricos. É difícil encontrar algum que apresente uma diminuição de 50% nas calorias.

Ou seja, ser light não significa que se pode comer o dobro da versão convencional sem correr o risco de engordar.

Portanto, fique atento ao seu objetivo na hora de escolher alimentos diet e light.

Como funciona o metabolismo (final)

Efeito de termogénicos no aumento do metabolismo e auxílio na diminuição de gorduras

A ação termogênica significa transformar em energia as calorias provenientes da gordura corporal e da alimentação, então a utilização de suplementos termogênicos, irá fazer com que o seu corpo aumente o metabolismo energético, utilizando mais gordura principalmente como fonte energética.

Estes produtos visam através da ação termogênica manter seu metabolismo acelerado para que você queime mais gordura ao longo do dia, mesmo durante o descanso.

Outro suplemento também age sobre o metabolismo, acelerando-o. Este é o caso do CLA (ácido linoléico conjugado). Estudos descobriram que o consumo diário de CLA ajuda pessoas acima do peso e obesas a eliminar gordura das células ao acelerar o metabolismo muscular, além de promover outros benefícios.

 Metabolismo do Miocárdio (Coração)

À semelhança do que ocorre com os tecidos, o miocárdio utiliza a energia química armazenada no alimento a fim de gerar o ATP que irá acionar o seu trabalho. Entretanto, o miocárdio depende quase totalmente da energia liberada nas reações aeróbicas; esse músculo possui uma capacidade oxidativa três vezes maior que o músculo esquelético. As fibras do miocárdio contêm a maior concentração mitocondrial de todos os tecidos, com uma capacidade excepcional para o catabolismo das gorduras com um meio primário para a ressíntese do ATP.

A glicose, os ácidos graxos e o lactato, formados pela glicólise no músculo esquelético proporcionam a energia para o funcionamento apropriado do miocárdio. Em repouso, esses três substratos contribuem para a ressíntese do ATP, com a maior parte da energia proveniente do fracionamento dos ácidos graxos livres (gorduras). Em essência, o coração utiliza, para obter energia, qualquer substrato que consegue "ver" em um nível fisiológico – assim sendo, durante um exercício intenso, quando o efluxo de lactato do músculo esquelético para o sangue aumenta de maneira significativa, o coração consegue a maior parte de sua energia da oxidação do lactato circulante. No exercício mais moderado, quantidades iguais de gordura e de carboidratos proporcionam combustível energético. Durante o exercício submáximo prolongado, o metabolismo dos ácidos graxos livres pelo miocárdio aumenta até quase 70% da demanda energética total. Existem padrões semelhantes de metabolismo do miocárdio para indivíduos treinados e destreinados. Entretanto, uma pessoa treinada em endurance demonstra uma dependência consideravelmente maior do miocárdio em relação ao catabolismo das gorduras no exercício submáximo. Essa diferença, semelhante ao efeito para o músculo esquelético, ilustra o "efeito poupança (preservação) dos carboidratos" do treinamento aeróbico.

 Conclusão

Foi visto que o metabolismo depende da individualidade biológica, ou seja, cada indivíduo tem o seu metabolismo num ritmo diferente. Quanto maior a sua massa magra (livre de gordura) maior será a sua taxa metabólica, conseqüentemente mais energia o seu corpo irá gastar para realizar as necessidades vitais do seu funcionamento.

Ao praticar atividades físicas, você estará contribuindo para melhorar a sua saúde, aumentando a sua taxa metabólica, consumindo mais gordura armazenada no seu organismo e estará menos suscetível a engordar, e também irá se prevenir de desenvolver doenças relacionadas a excessos de gordura armazenada e a inatividade física, como hipertensão arterial, diabetes mellitus, obesidade, entre outros.
 

Referências Bibliográficas

LUZ, Maurício R.M.P.; Poian, Andrea T. da,. O Ensino Classificatório do Metabolismo Humano. Cienc. Cult. vol.57 no.4 São Paulo Oct./Dec. 2005.

MCARDLE, William D. et al. Fisiologia do Exercício – Energia, Nutrição e Desempenho Humano. 5.ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2001.

Site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Metabolismo

Site: http://www.medicinadoesporte.com/Aerobio.htm

 Fonte: http://www.marombapura.com.br/index.php?Caption=com_content&task=view&id=983&Itemid=50

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Como funciona o metabolismo (Parte 5)

Alterações no metabolismo com o treinamento

O organismo sofre adaptações na função anaeróbica que acompanham o treinamento físico extenuante, ou treinamento de força, que requer uma sobrecarga significativa dos sistemas anaeróbicos de transferência de energia. De conformidade com o conceito de especificidade do treinamento, as atividades que exigem um alto nível de metabolismo anaeróbico produzem alterações específicas nos sistemas de energia imediato e à curto prazo, sem aumentos concomitantes nas funções aeróbicas. As alterações que ocorrem com o treinamento de velocidade, potência e força incluem: maiores níveis de substratos energéticos (aumento de ATP, fosfocreatina, creatina livre e glicogênio, acompanhados por uma melhora de 28% na força muscular); maior quantidade e atividade de enzimas-chave que controlam a fase anaeróbica do catabolismo da glicose (maior nas fibras de contração rápida); maior capacidade de gerar altos níveis de lactato sangüíneo durante o exercício explosivo (maiores níveis de glicogênio e de enzimas glicolíticas e melhor motivação e tolerância à dor no exercício extenuante).

O treinamento aeróbico produz melhoras significativas na capacidade para o controle respiratório no músculo esquelético. O treinamento de endurance faz aumentar a capacidade do indivíduo de mobilizar, transportar e oxidar os ácidos graxos para obtenção de energia durante o exercício submáximo. O catabolismo acelerado das gorduras com o treinamento aeróbico torna-se particularmente evidente para a mesma carga de trabalho absoluta do exercício submáximo, independentemente de o indivíduo estar alimentado ou em jejum. Aumentos impressionantes ocorrem também na capacidade do músculo treinado de utilizar os triglicerídeos intramusculares como fonte primária para a oxidação dos ácidos graxos. Uma lipólise (quebra de gorduras) mais vigorosa induzida pelo treinamento resulta de:

- Maior fluxo sangüíneo dentro do músculo treinado;

- Mais enzimas para a mobilização e o metabolismo das gorduras;

- Capacidade respiratória aprimorada das mitocôndrias musculares;

- Menor liberação de catecolaminas para a mesma produção absoluta de potência.

O catabolismo das gorduras aprimorado beneficia os indivíduos praticantes de atividades de endurance, pois conserva as reservas de glicogênio tão importantes durante o exercício prolongado de alta intensidade.

Em relação ao catabolismo dos carboidratos, o músculo treinado exibe uma maior capacidade de oxidar os carboidratos durante o exercício submáximo. Conseqüente, grandes quantidades de piruvato fluem através das vias energéticas aeróbicas, efeito esse consistente com a maior capacidade oxidativa das mitocôndrias e o melhor armazenamento de glicogênio dentro dos músculos. Entretanto, durante o exercício submáximo o treinamento de endurance reduz a renovação (turnover) do glicogênio muscular em favor de uma maior combustão de ácidos graxos.

A utilização reduzida de carboidratos totais como combustível no exercício submáximo com o treinamento de endurance resulta dos efeitos combinados de: menor utilização do glicogênio muscular e produção reduzida de ATP através da glicólise hepática e utilização da glicose carreada pelo plasma. A oxidação dos ácidos graxos, combinada com um catabolismo reduzido dos carboidratos, contribui para a homeostasia (estado de equilíbrio) da glicose sangüínea e uma maior capacidade de endurance após o treinamento aeróbico. A capacidade gliconeogênica hepática (formação de novo ATP pela glicose armazenada no fígado) exarcebada pelo treinamento também proporciona resistência à hipoglicemia durante o exercício prolongado.

terça-feira, 22 de abril de 2008

Como funciona o metabolismo (parte 4)

 O que acontece com o metabolismo que nos faz engordar

Foi visto anteriormente que quanto se inicia um exercício, aumenta-se o metabolismo dos nutrientes pelo efeito regulador do metabolismo, ou seja, depleta-se ATP com o exercício e é preciso ressintetizá-lo. Quando deixamos de colocar o nosso corpo para realizar exercícios, não permitimos que ele gaste ATP em quantidade adequadas para iniciar o metabolismo, tanto dos carboidratos, quanto das gorduras e proteínas, para ressintetizar o ATP. Com isso, acabamos por gerar um aumento da quantidade de micronutrientes dentro das células, aumentando assim, tanto o seu volume (hipertrofia), quanto também aumentando o número de células (hiperplasia). Em alguns casos isto acaba por se tornar prejudicial, pois a hiperplasia do tecido adiposo (adipócitos) só faz com que o nosso peso gordo e percentual de gordura aumentem, colocando em risco a nossa saúde, nos fazendo ficar com sobre peso, e em casos crônicos nos tornando obesos.

Conseqüentemente quanto menor o gasto calórico, menor será a energia que gastaremos; mais calorias ficaram armazenadas no nosso corpo e com isso, logo entraremos na faixa de sobre peso. Se não houver uma restrição calórica na alimentação ou se não houver a realização de atividades física o nosso metabolismo será cada vez menor (mais lento), menos energia será gasta e mais gordura será armazenada nos adipócitos (células de gordura) a fim de estocar energia. Uma vez que a maior fonte de energia estocada no nosso corpo seja proveniente das gorduras.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Como funciona o metabolismo (Parte 3)

O que regula o metabolismo energético

Em condições normais, a transferência de elétrons e a subseqüente liberação de energia estão intimamente acopladas à fosforilação do ADP. Sem disponibilidade de ADP a ser fosforilado para ATP, em geral os elétrons não percorrem a cadeia respiratória para se unir ao oxigênio. Os compostos que inibem ou ativam as enzimas em pontos essenciais de controle nas vias oxidativas modulam o controle regulador da glicólise e o ciclo do ácido cítrico.

A concentração celular de ADP exerce o maior efeito sobre as enzimas limitantes da velocidade que controlam o metabolismo energético dos carboidratos, das gorduras e das proteínas. Esse mecanismo para o controle respiratório faz sentido, pois qualquer aumento na quantidade de ADP assinala a necessidade de fornecer energia para restaurar os níveis de ATP. Inversamente, os altos níveis celulares de ATP indicam uma necessidade de energia relativamente baixa.

De uma perspectiva mais ampla, as concentrações de ADP funcionam como um mecanismo de feedback celular destinado a manter uma constância relativa (homeostasia) no nível de moeda corrente energética disponível para a realização do trabalho biológico. Esse feedback químico torna possível o ajuste metabólico rápido para as necessidades energéticas das células. Dentro da célula em repouso, a concentração de ATP ultrapassa a concentração de ADP em aproximadamente 500:1.

Entretanto, uma queda na relação ATP/ADP, como ocorre no início do exercício, assinala a necessidade de um maior metabolismo dos nutrientes armazenados. Por outro lado, os níveis relativamente baixos de demanda energética mantêm as altas relações de ATP/ADP, o que reduz o ritmo do metabolismo energético.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Como funciona o metabolismo (Parte 2)

Cada pessoa necessita de um nível mínimo de energia para desempenhar as funções vitais no estado acordado. O organismo gasta uma quantidade de calorias simplesmente para manter suas funções vitais quando se está em repouso, pondo em funcionamento o menor número possível de reações, como respiração e funcionamento cardiovascular, por exemplo, esse valor refere-se à taxa de metabólica basal (TMB). Este gasto expressa as mudanças metabólicas indispensáveis e, se determina em repouso absoluto e depois de 12 horas de uma refeição ligeira. Essa demanda de energia reflete a produção de calor pelo corpo.

Os valores do consumo de oxigênio para a taxa metabólica basal (TMB) variam habitualmente entre 160 e 290 ml/min (0,8 a 1,43 Kcal/min), dependendo de fatores como sexo, idade, tamanho corporal global e peso corporal isento de gordura (PIG). O conhecimento da TMB permite estabelecer a importante linha basal energética para elaborar um bom programa de controle do peso corporal através da restrição alimentar, exercício, ou uma combinação de ambos.

Um pouco acima da TMB está a taxa metabólica de repouso (TMR), que se refere à soma dos processos metabólicos da massa de células ativas necessários para manter o equilíbrio regulador normal e as funções corporais em repouso. Para uma pessoa normal, a TMR corresponde a aproximadamente 60 a 75% do Consumo diário total de energia (CDTE), enquanto os efeitos térmicos da alimentação são responsáveis por cerca de 10% e a atividade física é responsável pelos 15 a 30% restantes.

O metabolismo em repouso varia proporcionalmente à área superficial do corpo. Isso demonstra que o dispêndio de energia está intimamente relacionado ao gasto energético/ por área de superfície corporal/ por hora (Kcal.m2.h). Ou seja, quanto maior a área superficial do seu corpo, maior será o gasto energético.

Para identificar quantas calorias são gastas em um dia é necessário incluir alguns fatores como peso (quem pesa mais, ou seja, têm maior massa muscular, possui necessidade calórica maior), idade (com o avanço da idade o metabolismo diminui), sexo (os homens possuem mais massa muscular e por isso o metabolismo é mais acelerado) e nível de atividade física (a atividade física aumenta o metabolismo) que influenciam o gasto energético do organismo.

O músculo também influencia o gasto energético, já que esse tecido é metabolicamente ativo e, quanto mais massa muscular está presente no corpo, maior será o gasto calórico. Naturalmente, os homens possuem um gasto calórico maior do que as mulheres já que eles apresentam uma maior quantidade de massa muscular e menor quantidade de gordura corpórea comparado com as mulheres.

O metabolismo dos nutrientes pode ser dividido por vias metabólicas, ou seja, existe o metabolismo dos carboidratos (glicose ou glicogênio muscular e hepático), o metabolismo das gorduras (ácidos graxos) e o metabolismo das proteínas (aminoácidos). O metabolismo pode ser dividido também em relação a presença de oxigênio (metabolismo aeróbio) e na ausência de oxigênio (metabolismo anaeróbio), o que vai definir qual será a via metabólica utilizada para gerar a ressintese do ATP será a velocidade e a intensidade do gasto energético.

O metabolismo aeróbico refere-se às reações catabólicas geradoras de energia nas quais o oxigênio funciona como um aceitador final de elétrons na cadeia respiratória e se combina com o hidrogênio para formar água. A presença de oxigênio no "final da linha" determina em grande parte a capacidade para a produção de ATP. Por sua vez, isso determina em grande parte a possibilidade de manter um exercício de endurance de alta intensidade.

O metabolismo aeróbio promove a ressíntese de ATP através da combustão de carboidratos e gorduras. O metabolismo de carboidratos, após uma cadeia de eventos, libera energia suficiente para ressintetizar 36 a 38 Moléculas de ATP por molécula de glicose. Enquanto o metabolismo das gorduras é capaz de gerar 147 moléculas de ATP provenientes da degradação completa de um ácido graxo. E 441 moléculas de ATP, a partir dos componentes dos triglicerídeos, e mais 19 moléculas de ATP são formadas durante a degradação do glicerol, dando um total de 440 moléculas de ATP para cada triglicerídeo catabolizado. O fator de limitação desse sistema é o fluxo de moléculas de oxigênio para as mitocôndrias. Ou seja, sem oxigênio esta via metabólica não consegue ressintetizar ATP em tempo suficiente que a sua demanda exige, ficando restrito a via glicolítica a ressinteze do ATP.

O metabolismo anaeróbico refere-se às reações catabólicas geradoras de energia nas quais o oxigênio não está presente, não sendo possível acontecer o processo total de degradação da glicose para ressintese do ATP, devido à alta velocidade de degradação do ATP e na dificuldade na reposição de energia para trabalho celular. Ou seja, a demanda de energia é maior que a oferta.

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Como funciona o Metabolismo (Parte 1)

Segundo a definição encontrada no dicionário, metabolismo é o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será utilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam, movimentem-se, etc. Ou seja, o metabolismo é o conjunto de reações químicas responsáveis pelos processos de síntese e degradação dos nutrientes na célula. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo (onde há degradação, ou "quebra" de compostos) e anabolismo (que é a síntese, ou seja, formação de compostos).

O metabolismo é também o processo através dos quais as células capturam energia de outras células (suas vizinhas); convertem nutrientes em blocos construtores para a síntese de macromoléculas tais como os polissacarídeos (açúcares), proteínas e ácidos nucléicos; sintetizam as macromoléculas necessárias para o crescimento e replicação da célula; e degradação de macromoléculas para obter energia ou para estoque de seus blocos construtores para futuras construções.

O Catabolismo refere-se ao processo o qual leva a quebra ou degradação de compostos em moléculas menores, mais simples, tais como o íon lactato, etanol, etc. As vias catabólicas são invariavelmente acompanhadas por uma rede de liberação de energia livre, e uma das metas do metabolismo é capturar pelo menos alguma desta energia sob a forma de compostos de alta energia, como a adenosina trifosfato (ATP). Já o Anabolismo descreve seqüências de reações nas quais moléculas crescentemente mais complexas são sintetizadas às expensas de ATP, ou seja, o anabolismo requer energia para ser realizado, e esta energia é proveniente das reações de decomposição (catabolismo). Durante o metabolismo, em ambos os processos, catabolismo e anabolismo, ocorrem uma série de passos discretos e pequenos, passando através de um número de intermediários em seus caminhos até chegar aos produtos finais.

Adenosina trifostato (ATP) é a fonte primária de energia química para uma variedade aparentemente sem fim de processos biológicos. Ela alimenta processos tão diversos como a bioluminescência, o transporte de íons e moléculas através de membranas, a contração de músculos, a realização de exercícios, e a síntese de carboidratos e ácidos nucléicos. Quando um ATP libera energia ele vira ADP (adenosina difosfato) e precisa ser fosforilado para voltar a ser ATP, sendo necessário, para isso, a degradação de micronutrientes como a fosfocreatina, a glicose, o ácido graxo ou o aminoácido, para novamente ser capaz de gerar energia.

O metabolismo é simplificado por dois fatores. Primeiro, ele exibe somente pequenas variações dentro de células de uma mesma espécie. Segundo, os processos metabólicos são acoplados ao longo de reações essenciais que podem ser organizadas em vias, tais como a glicólise (degradação da glicose – carboidrato), e um entendimento de um limitado número destas vias pode revelar uma grande quantidade de informação sobre todo o processo do metabolismo.

Apesar do ensino classificatório da nutrição implicar na atribuição das funções únicas e específicas para cada nutriente: função "energética" para os carboidratos, função de "reserva" para os lipídeos e função "estrutural" (ou "plástica") para as proteínas. Estes mesmos nutrientes podem contribuir para a produção de energia no organismo humano.

terça-feira, 15 de abril de 2008

O que pode ser feito em caso de Lesões.

O DIAGNÓSTICO deve ser completo e preciso.
Deve sempre que possível, ser minucioso e não dar margem a dúvidas, pois caso comecemos os processos terapêuticos sem certeza diagnóstica podemos estar a dar oportunidade a grandes fracassos com as suas consequências finais. As radiografias, a tomografia , a ressonância magnética e o ultra som , por exemplo, devem apenas ser utilizados ou na dúvida diagnóstica ou na complementação de dados já obtidos na avaliação clínica. Nas fracturas as radiografias são indispensáveis, bem como a perfeita localização de uma hérnia discal cirúrgica a ressonância magnética ou pelo menos a tomografia são necessárias. O ultra som pode trazer a ideia mais precisa de gravidade ou mesmo da evolução de processos em partes moles como as lesões musculares por exemplo. A electromiografia e electroencefalografia podem ser efectivas na exactidão diagnóstica. Exames laboratoriais não devem ser esquecidos. Poderão também ser utilizados as "punções articulares" e finalmente a artroscopia como um processo precioso, feito por mãos experientes. Completos os diagnósticos precisos atingiremos a cura almejadaAs CAUSAS podem ser divididas em 3 grupos: Predisponentes (temperatura húmida e fria, erro de treino, fadiga psíquica, fadiga muscular, local e material inadequado para a prática desportiva, etc...), por erro de mecanismo (três possibilidades: falta de automatismo, impulso involuntário interrompendo o automatismo ou impulso voluntário interrompendo o automatismo) e por outros motivos (ex: horário da competição, o desnível técnico dos competidores, o tipo de desporto e até mesmo a violência que possa ser empregada na actividade).

TRATAMENTO: O processo terapêutico de uma lesão atlética pode ser dividido em CONSERVADOR (este é mais adequado mesmo que leve mais tempo) ou CIRÚRGICO. Existem patologias de tratamento obrigatoriamente cirúrgicas e outras obrigatoriamente conservadoras. Caso tenhamos uma lesão que possa ter cura completa, quer com tratamento cirúrgico quer com o conservador, devemos optar pelo conservador mesmo que tenhamos um tempo necessário para a cura um pouco maior. Muito provavelmente os riscos cirúrgicos não compensem o ganho de alguns dias ou semanas. Porém, nas lesões que exijam tratamento cirúrgico, devemos executá-lo o mais rápido possível. Muitas são as opções de tratamento conservador. Assim, podemos utilizar as imobilizações, o repouso, o tratamento medicamentoso e finalmente os recursos fisioterapeuticos.
Quanto às imobilizações só devem ser empregadas no período exacto e apenas imobilizando os segmentos corpóreos necessários, pois sabemos das importantes atrofias musculares consequentes bem como da diminuição da amplitude articular.Devem ser abolidos os processos terapêuticos de infiltrações locais de corticoesteróides e ou anestésicos, os quais podem agravar em muito a patologia pré-existente conforme demonstram muitos trabalhos publicados.
Os Recursos Fisioterapeuticos são fundamentais na grande maioria das lesões.
O calor profundo (ultrasom, ondas curtas, etc...), o calor superficial e o contraste podem abreviar em muito o tempo de cura. A cinesioterapia ocupa lugar obrigatório em qualquer tratamento de lesão atlética tendo na contracção isométrica (contracção muscular com aumento de tónus, manutenção do tamanho da fibra muscular e sem trabalho externo) a sua variedade mais utilizada. Não nos esqueçamos portanto, dos exercícios passivos e das contracções isotónicas (manutenção do tónus muscular e encurtamento do tamanho das fibras com execução de trabalho externo). Fazem parte também das fibras com as contracções auxotónicas (executadas pela musculatura antagonista ao movimento, onde temos um aumento do tónus e alongamento das fibras musculares - também chamada contracção excêntrica) e as contracções isocinéticas (que fazem com contracções musculares rápidas, de curta duração, e de pequena amplitude articular ). Devemos valer-nos também dos exercícios de alongamento que só devem ser utilizados no momento oportuno e com a intensidade necessária (não devemos por exemplo fazer alongamentos nas lesões musculares agudas ).

O número de lesões com frequência :
Segmentos Corpóreos % de Lesões
Joelho 54,9
Coluna 21,6
Coxa 5,8
Tornozelo 5,8
Braço 3,9
Pulso 2,0
Pé 2,0
Ombro 2,0
Perna 2.0

Tipo de Lesão % de Lesões
Entorse 13,8
Rotura Muscular 9,9
Contusão 7,8
Menisco - Ligam. Joelho 49,0
Mioentesite 1,9
Rótula Sub-Luxans 1,9
Fracturas 0
Coluna 11,9
Tendinite 0
Osteocondrite 0
Periostite 0
Neurite 0
Bursite 0
Luxação 1,9
Artrose 0

Fonte: http://www.npng.com.br/pt/displayart.asp?id=146

O que importa é a vontade

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Exercícios físicos exigem consumo de água para evitar desidratação

Nas academias, as garrafinhas de água estão se tornando companheiras habituais de quem pratica esportes. E a dúvida mais comum sobre o assunto é quanto se deve beber e quando é o momento mais adequado para este consumo. O professor da Carpe Diem Academia, Fábio Alonso conta que para que o atleta tenha um bom rendimento e não sinta cansaço logo no início, água durante, antes e após da prática do exercício fará com que evite tonturas, dores de cabeça e cãibras.

O recomendado, segundo o professor da Carpe Diem, é beber dois copos de água duas horas antes da atividade. Durante os treinos, deve-se beber água a cada 15 ou 20 minutos. Após a ginástica, Alonso sugere a ingestão de dois a três copos enquanto a pessoa se recupera do esforço físico.

De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Empresa de Águas Ouro Fino, Guto Mocellin, "a água mineral garante o controle da temperatura corporal e repõe o líquido e os sais minerais perdidos durante as atividades", explica. Para os atletas e freqüentadores de academias, a Ouro Fino possui a água mineral Fitness, com embalagem especial e bico próprio para o consumo durante as atividades físicas. A opção é encontrada na versão sem gás, de 510ml.

Os benefícios da água

Além de manter as funções básicas do organismo, a ingestão freqüente de água retarda o envelhecimento, pois evita a desidratação do corpo e ajuda a manutenção das propriedades tônicas dos músculos e sua habilidade natural de contração. Em função do seu pH alcalino, a água ajuda a manter o tônus da pele, evitando aspectos murchos, flacidez e olheiras. Também melhora a circulação sanguínea, elimina toxinas e previne o aparecimento de celulites. Além desses benefícios, a água mineral, em função da sua composição, pode trazer outras vantagens.

Segundo Mocellin, a água mineral natural Ouro Fino possui quantidades expressivas de bicarbonato (168,65 mg/L), ajudando a aliviar mais rapidamente a sensação de azia e "estômago pesado" após as refeições. "Além disso, seu baixo teor de sódio auxilia na eliminação das toxinas do organismo e ajuda a reduzir e prevenir retenção de líquidos, principalmente nas articulações", afirma. Mocellin também destaca o equilíbrio entre os minerais: cálcio, magnésio e potássio como fator que contribui para a formação óssea, evitando cãibras e espasmos musculares.

Dicas de hidratação:

- Evitar cafeína durante e imediatamente após o exercício. Ela é diurética e desidrata
- Não tomar refrigerantes uma hora antes ou depois dos exercícios - as bebidas gaseificadas estufam o estômago e têm uma absorção mais lenta, não sendo ideais para a hidratação
- Bebidas alcoólicas devem ser consumidas com moderação para evitar prejuízo metabólico. O álcool diminui o trabalho muscular, aumenta a desidratação e a diurese
- Não beber água imediatamente após as refeições. Aguardar um intervalo de no mínimo 30 minutos para que as vitaminas tenham uma melhor absorção pelo organismo.


Fonte: http://www.educacaofisica.com.br/noticias_mostrar.asp?id=3357

Vamos faxinar!

A revista cientifica British Journal of Sports Medicine publicou nesta quinta-feira um estudo que afirma que fazer faxina durante 20 minutos seguidos por semana pode trazer benefícios mentais.
 
Os pesquisadores da University College, em Londres, tinham como objetivo descobrir quais atividades físicas traziam mais benefícios para a saúde mental e chegar ao número de minutos ou horas necessários para que o exercício tivesse impacto.
 
A equipe de pesquisadores entrevistou 20 mil pessoas sobre o tempo e o tipo de exercícios que praticavam semanalmente. O estudo concluiu que os praticantes de esportes reduziam o estresse em 30%, enquanto caminhada ou exercícios relacionados à faxina domestica reduzem em 20%.
 
Os resultados indicam que são necessários 20 minutos seguidos de exercício para que a atividade física provoque uma "melhora no humor" e diminua o estresse. A equipe de pesquisadores estabeleceu ainda que as atividades mais apropriadas seriam a faxina, a jardinagem, a caminhada e a prática de esportes.
 

O Ministério da Saúde adverte:

Enxugue bem a cintura depois do banho, pois o mosquito da dengue se reproduz em pneus molhados.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Bicicleta: paixão nacional

A magrela é sensação na França e Espanha. Está ocupando o lugar dos carros e o planeta agradasse por está atitude. Faz muito sucesso por aqui. É sonho de consumo de muitas crianças, adolescentes e adultos. Com o passar dos anos ganhou leveza, novos modelos e diversos acessórios.

O professor e atleta Beto Líber tem paixão por bicicleta. Ela serve para a prática de esporte, diversão e meio de transporte. "Em dias chuvosos é uma tragédia ter que tirar o carro da garagem e enfrentar o trânsito sem fim da cidade", diz o professor. Os treinos "indoor" são importantes. O ambiente fechado ajuda a controlar a temperatura, hidratação, alimentação, ritmo de pedalada e força exercida. Ao ar livre temos que trabalhar aspectos que dentro da academia são impossíveis de simular - vento contra, lateral e a favor, frio, calor, chuva, obstáculos, equilíbrio, coordenação motora, habilidades na troca de marcha e percepção de espaços (carros, caminhões, ônibus, motos, pedras, árvores).

O ideal é mesclar as modalidades. Treinos durante a semana na academia e fim de semana sair com os amigos e encarar parques ou trilhas.Existem alguns mitos e verdades que envolvem a prática da bike, por exemplo, pedalar não engrossa as pernas. Se ganha massa magra e tônus muscular nas pernas, glúteos e coxas. Spining é uma aula cardiovascular, portanto coloque carga na bike, assim terá segurança na evolução do treino. Quem pedala na academia sabe pedalar nas ruas. Existe um período de adaptação e orientação - saber regular o banco (selim), distância entre o corpo e o guidão e todos os acessórios de segurança. O despreparo pode causar sérios problemas nas articulações. Bicicleta ergométrica em casa, na maioria das vezes, se transforma em um ótimo cabide ou em um treino sem evolução, por não ter acompanhamento especifico. "Procure uma academia, faça sua matrícula, invista seu dinheiro em você com segurança e conheça pessoas novas", comenta Beto Liber.

Dicas
- A bicicleta e o capacete têm tamanho certo para cada tipo de pessoa. Use todo o material de segurança que o esporte requer. Peça ajuda a um especialista
- Nunca inicie uma atividade física sem consultar um médico. Para acelerar o treino, o ideal é a parceria entre o professor de educação física e uma nutricionista
- Pedalar é um ótimo remédio contra a depressão. É uma atividade praticada em grupo e em ambientes agradáveis junto à natureza
- Não pratique nenhuma atividade em jejum e hidrate-se antes, durante e depois - Use bermuda com forração especial ou banco de gel. Evite desconfortos gerados por assaduras ou simplesmente pelo contato com o selim
- Use filtro solar na pele e lábios
- Óculos de sol
- Tenha noções de mecânica preventiva e aprenda trocar pneu. A bike precisa de manutenção. Faça revisões periódicas. Esta atitude conservará seu equipamento por mais tempo. Diminuindo o risco de acidentes. - Leve sempre uma bomba portátil para calibrar pneus, câmara reserva e ferramentas básicas
- Não pedale em rodovias ou trilhas sem companhia, em caso de acidente, essa imprudência pode ser fatal
- Deixe seu "ipod" em casa. Nas ruas ou trilhas toda a atenção deve permanecer no percurso escolhido.
- Não exagere
- escute seu corpo.

Regras básicas:
- não pedalar em calçadas e entre carros.
- Utilize sempre a mão de direção correta.
- Sinalize suas mudanças de pista.
- Respeite os pedestres e a faixa reservada para eles.

* Beto Liber é professor de educação física, personal trainer e atleta da Fórmula Academia.

Fonte: http://www.educacaofisica.com.br/noticias_mostrar.asp?id=3775

Bebidas isotônicas aumentam desempenho de atletas


A prática de exercícios físicos regulares apresenta diversos benefício à saúde. A alimentação pré e pós-treino é extremamente necessária para a reposição de vitaminas para adequação do equilíbrio orgânico.


Porém, um fator fundamental para manter esse equilíbrio é repor também os líquidos perdidos. As inúmeras marcas e tipo de bebidas isotônicas que invadiram o mercado nos últimos anos apresentam uma vasta lista de variedade. Mas, em geral, como esses produtos podem se tornar um aliado ao nosso organismo?


É fato que componentes das bebidas isotônicas apresentam uma concentração de moléculas semelhante aos fluidos do nosso corpo. Com isso, podem ser incorporados e transferidos facilmente à corrente sangüínea. A prática de exercícios físicos regular ou prolongada causa transpiração do corpo e, conseqüentemente, a perda de líquidos e sais minerais.


Podemos apontar como principal perda os hidro-eletrolíticos, ou popularmente conhecido como sais de sódio (importantes para o equilíbrio do organismo). A grande parte das funções de contração muscular do nosso corpo são referidas ao uso dos minerais como sódio, potássio, magnésio, cálcio, entre outros. Deixar o corpo debilitado destes elementos diminui a capacidade de contração dos músculos o que, conseqüentemente, afeta o desempenho físico.

terça-feira, 8 de abril de 2008

Ministério lança campanha para comemorar o Dia da Atividade Física

Para comemorar o Dia Mundial da Atividade Física, no dia 6 de abril, o Ministério da Saúde lança a campanha ´´Entre para o time onde a atividade física e o meio ambiente jogam juntos``. O lançamento será realizado simultaneamente em 286 municípios que compõem a Rede Nacional de Promoção de Atividade Física.

 

Em Brasília o evento ocorrerá no dia 6, domingo, a partir das 8h. Serão montadas 18 tendas com atividades variadas, entre elas palestras, apresentações teatrais, exposição de alimentos orgânicos, massagens, jogos esportivos e populares, aulas de yoga e tai chi chuan, ginástica e defesa pessoal.

 

Em pesquisa realizada pelo Sistema de Vigilância de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) foi apontado que 29% da população das 26 capitais brasileiras e Distrito Federal são inativos fisicamente. Segundo esta pesquisa os idosos são os mais inativos, com percentual em 56%. Os adultos que fazem exercícios apontam 15,5%, no entanto o objetivo é alcançar 19% em 2010.
 

 

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Fisiculturismo: um esporte de peso


Fisiculturismo ou culturismo é um esporte cujo objetivo é buscar, através da musculação, a melhor formação muscular. Sua disputa ocorre em apresentações coletivas ou individuais, de comparação. Os requisitos são: volume, proporção e definição muscular.


Entre os principais culturistas estão Arnold Schwarzenegger, Mike Mentzer, Lou Ferrigno (Incrível Hulk), Lee Haney, Dorian Yates e Ronnie Coleman.
À direita está o pioneiro do fisiculturismo Eugen Sandow.
A principal federação internacional de culturismo é a International Federation of Bodybuilding (IFBB), a qual pertence o principal campeonato de culturismo mundial, o Mr. Olympia. Os grandes vencedores desse campeonato foram Lee Haney (oito vezes), Arnold Schwarzenegger (sete vezes), Dorian Yates (seis vezes) e Ronnie Coleman (oito vezes). Até hoje apenas um brasileiro, Luís Freitas, competiu no Mr. Olympia (1988 - 19º lugar), em face do alto nível de qualidade muscular inerente a esses atletas. No entanto, indiscultivelmente, o maior fisiculturista da história é Arnold Schwarzenegger, pela sua extrema inventividade e habilidade no campo do fisiculturismo e da musculação.


Para incrementar o aumento da massa muscular (hipertrofia), os fisioculturistas focam três principais pontos:
Treinamento adequado com a resistência de pesos.
Nutrição especializada, incorporando extra proteína e suplementos alimentares quando necessário.
Repouso (descanso) adequado.


Estudos recentes vêm demonstrando a importância da musculação para a manutenção da qualidade de vida na terceira idade. Além dos exercícios aeróbios, o treinamento com levantamento de peso tem sido muito bem visto pelos profissionais e pesquisadores da área. Esta é uma visão onde, para manutenção ou ganho de massa muscular, o fisiculturismo bem orientado produz resultados mais efetivos.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Estudo contesta benefícios de se beber muita água

Um estudo conduzido por pesquisadores americanos sugere que a constante ingestão de água ao longo do dia, ao contrário do que se pensa, não traz grandes benefícios à saúde. Desde os anos 90, profissionais de saúde em todo o mundo vêm disseminando a idéia de que o consumo de oito copos de água por dia ajuda o organismo a se manter hidratado, eliminar toxinas e a perder peso.

Ainda segundo alguns especialistas, beber água também é bom para curar dor de cabeça e manter a pele tonificada, prevenindo contra rugas. No entanto, o estudo realizado pelos especialistas da Universidade da Pensilvânia desmistifica os supostos poderes do líquido e defende que há poucas evidências de que o alto consumo de água traga benefícios reais à saúde.

Os médicos Dan Negoianu e Stanley Goldfarb revisaram várias pesquisas publicadas sobre o assunto. Eles observaram que pessoas que vivem em climas quentes e secos têm mais necessidade de beber água, assim como os atletas. Pacientes com alguns tipos de doença também se beneficiam da ingestão do líquido, afirmaram os pesquisadores.
"Mas não há dados que comprovem tais benefícios em pessoas com a saúde em equilíbrio", afirmou um porta-voz dos cientistas.

"Não se sabe de onde essa recomendação surgiu", completou ele.

Pele

Os especialistas disseram que apesar de a água ajudar o corpo a se manter hidratado, não há provas de que a ingestão suplementar de água – quando não se tem sede – previne o organismo contra desidratação.

Ao se debruçar sobre outros trabalhos que abordam a eliminação de toxinas pela água, os médicos americanos concluíram que isso não implica, necessariamente, em benefícios reais para a saúde.

Sobre a cura para a dor de cabeça, os especialistas afirmaram que, apesar de alguns estudos apontarem que a ingestão de água ajuda a minimizar o problema, os resultados não foram estatisticamente significativos.

Os cientistas ainda analisaram a teoria de que, ao beber água, a pessoa se sentiria satisfeita, comeria menos e perderia peso. Eles concluíram que os estudos não apresentaram conclusões consistentes.

E, por fim, os pesquisadores também não encontraram benefícios clínicos que provem que o líquido seria um elixir para manter a pele tonificada. "Há simplesmente uma falta de evidência genaralizada", afirmaram os especialistas no Journal of the American Society of Neuphrology.
 

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Estudo revela que dormir pouco influi diretamente no aumento de peso

Um estudo do Instituto Francês para a Nutrição (IFN) revela que dormir pouco influi diretamente no aumento de peso, assim como na aparição de doenças metabólicas e cardiovasculares.

"Demonstramos que uma redução do sono diminui a retenção do hormônio leptina - limitador do apetite - e aumenta a da grelina - que dá sensação de fome", afirma a doutora em neurociência do IFN Karine Spiegel, no relatório.

Desta forma, as pessoas que não dormem bem sofrem um aumento de 24% no apetite, especialmente de alimentos ricos em gorduras e açúcares.

Spiegel destaca que, devido ao cansaço, esses pacientes diminuem significativamente seu nível de atividade física, praticamente anulando o gasto de energia e desequilibrando a balança energética, já que contam com mais horas disponíveis para comer.

Cerca de 45% das pessoas entre 25 e 45 anos afirmam não dormir o suficiente, e 17% acumulam sono crônico, segundo um estudo publicado em março pelo Instituto Nacional de Prevenção e Educação para a Saúde (Inpes) da França.

A falta de sono desencadeia "verdadeiras epidemias de obesidade", e inclusive, doenças metabólicas como o diabetes, segundo Spiegel.

Por isso, a especialista acredita ser "pertinente" acrescentar nas prescrições de regime para pacientes obesos conselhos de comportamento relativos ao sono.

O professor de psicologia do IFN Patrick Lévy afirma que a obesidade tem relação direta com a síndrome da apnéia obstrutiva do sono, caracterizada pelas repetidas interrupções da respiração durante o sono.

Essa síndrome é provocada pela acumulação de gordura na região do pescoço, impedindo a passagem do ar pela faringe em direção aos pulmões.

Lévy diz que nos obesos pode-se observar uma "resistência à leptina", ainda mais notável no caso dos pacientes com apnéia, o que explicaria o risco destas pessoas de adquirir doenças cardiovasculares.
 

Volume Muscular: o importante é ser grande


O tamanho dos músculos esqueléticos acima da média sempre foi a “marca registrada” das pessoas treinadas com pesos. O aumento do volume muscular é uma importante adaptação do organismo aos exercícios resistidos, e atende a muitos objetivos: melhorar a estética corporal, aprimorar o desempenho esportivo, favorecer o conforto na vida diária e no trabalho físico, e melhorar a proteção das articulações.

Embora muitas atividades físicas aumentem a massa muscular, nos esportes e no trabalho, o treinamento resistido (contra resistência, geralmente oferecida por pesos) é o estímulo mais eficiente para essa finalidade, justificando que seja conhecido na área esportiva como “musculação”.

Nas academias, onde as pessoas costumam ter o objetivo de melhorar a forma do corpo, o aumento da massa muscular é fundamental. Mesmo as mulheres que não desejam ficar musculosas precisam aumentar o volume dos músculos para modelar o corpo.

Todas as pessoas conseguem aumentar o volume muscular com o treinamento resistido, embora alguns tenham mais dificuldades do que outros. Como acontece com todas as variáveis biológicas, a facilidade para aumento de massa muscular tem uma distribuição típica na população: poucas pessoas têm muita facilidade, poucas pessoas têm muita dificuldade, e a maioria se situa em uma faixa intermediária onde o aumento de volume muscular ocorre, mas sem atingir valores excepcionais.

Evidentemente que os campeões de musculação são pessoas que reagem melhor do que a maioria, e os seus altos níveis de massa muscular são inatingíveis para a maioria das pessoas. O desconhecimento dessa realidade da natureza faz com que muitas pessoas tenham sonhos impossíveis, principalmente no caso de jovens recém iniciados na musculação.


quarta-feira, 2 de abril de 2008

A natação é realmente um esporte completo?


Sim.
A natação, além de ser um poderoso exercício aeróbio (que emagrece), ajuda a tonificar os músculos do corpo e não causa impacto nas articulações.
Uma hora da atividade queima de 200 a 900 calorias, conforme o tipo de nado e do nível do praticante.
Cada estilo trabalha uma região muscular. Os movimentos crowl e borboleta exercitam glúteos, bíceps, quadríceps, peitoral, entre outros.