quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Emagreça comendo mais

É o que promete um médico americano que já vendeu mais de 1 milhão de exemplares de um livro de dieta nos Estados Unidos

A lista de dietas acaba de crescer. O médico americano Howard Shapiro vendeu 1 milhão de exemplares de seu livro Picture Perfect Weight Loss (algo como A Imagem Perfeita para a Perda de Peso), que promete a quem seguir suas instruções a possibilidade de perder peso comendo mais. O livro virou best-seller nas listas do New York Times e da Amazon Books e será lançado na Europa no começo de 2004. A tese central do doutor Shapiro é que as pessoas gordinhas cultivam o hábito de comer alguns alimentos que mais engordam do que propriamente saciam a fome. E por isso, insatisfeitas, acabam comendo mais. Seu objetivo é oferecer a quem queira emagrecer o seguinte desafio: evite ingerir uma quantidade enorme de calorias contidas em alimentos de tamanho reduzido. Mas faça isso comendo mais, ou seja, busque atingir a mesma quantidade de calorias com um volume respeitável de alimentos que engordam menos individualmente. Como em geral a quantidade de comida proposta para chegar àquele patamar calórico é enorme, as pessoas tenderão a comer menos e assim acabarão perdendo peso.

Para provar o que diz, Howard Shapiro selecionou em seu livro dezenas de fotografias que comparam bombas energéticas e seu correspondente mais saudável. Algumas delas estão dispostas nesta e nas demais páginas desta reportagem. Uma das imagens mostra um bolinho do tipo muffin de apenas 270 gramas, que contém fabulosas 720 calorias. O médico então coloca ao lado uma pilha de alimentos saudáveis que podem render um pratão inesquecível com as mesmas 720 calorias do bolinho. Lá estão um abacaxi inteiro, meio melão, meio mamão papaia, uvas, meio kiwi e duas peras. Mais os pães. O médico recomenda a seus pacientes que, em vez do bolinho, ataquem a cesta de frutas e os pães. Shapiro diz que o método funciona porque a maioria das pessoas não consegue comer tudo de uma só vez. Imagine comer 1 quilo e meio de frutas mais dois pães integrais. Quem faz a troca acaba economizando em calorias.

A diferença para as outras dietas baseadas na redução calórica é que esta não impõe um limite nem sugere que seus seguidores passem a vida fazendo contas na hora de comer. Sua proposta é ajudar as pessoas em dieta a encontrar opções menos calóricas, sempre trocando o pouco (que engorda) pelo muito (só que mais saudável). Segundo o doutor Shapiro, o cérebro não aceita bem a idéia de trocar uma barra de chocolate por meia barra de chocolate. Por outro lado, a idéia de trocar uma bombinha calórica por uma grande quantidade de alimentos parece bastante compensadora. Os nutricionistas reconhecem que a idéia do livro pode ser usada como uma ferramenta útil para as pessoas que precisam descobrir alternativas saborosas para substituir alimentos muito calóricos. As trocas alimentares podem ser um bom começo para quem busca um estímulo para enfrentar um projeto de emagrecimento mais ambicioso. No longo prazo, no entanto, os médicos informam que a reeducação alimentar disciplinada é a única fórmula eficaz para evitar o efeito engorda-emagrece-volta-a-engordar.

Como o objetivo dos autores de obras que versam sobre dieta é não apenas ensinar os outros a emagrecer, mas também vender livros, muitas vezes o tema acaba sendo tratado com uma certa leveza, ou seja, sem o equilíbrio de quem analisa com ponderação os prós e os contras. No caso do método do doutor Shapiro, percebe-se certa tendência a diminuir as dificuldades contidas nas substituições. O médico só listou as alternativas para as bombas calóricas, tais como castanhas, sorvetes e frituras, batatas fritas. O livro não oferece sugestões muito eficientes para quem precisa cortar alimentos igualmente calóricos presentes no cotidiano das pessoas, como o ovo frito, o arroz e o feijão. Outro ponto desfavorável é a dificuldade de estabelecer metas nessa dieta. Uma vez que o ritmo de emagrecimento depende das trocas feitas por cada um dos seguidores da chamada dieta visual, a perda de peso pode ser muito demorada. Como não há sinal de que o livro vá ser publicado no Brasil, ao menos por enquanto, a informação sobre a existência dessa nova dieta serve como fonte de inspiração. Quem sabe, seguindo um novo método criativo, o ponteiro da balança comece a exibir números mais agradáveis. 

Fotos cortesia do Howard Shapiro Medical Associates

1 muffin dietético de 270 gramas
 

1 abacaxi + 1/2 melão+ 1/2 kiwi + 1/2 mamão papaia + 1 xícara de uvas + 2 peras + 2 pãezinhos integrais
720 calorias
=
720 calorias



1 fatia de 150 gramas de torta de maçã
 

5 maçãs grandes cozidas + canela +adoçante
480 calorias
=
480 calorias



150 gramas de castanha de caju
 

8 batatas médias assadas + molho vinagrete
880 calorias
=
880 calorias



80 gramas de batata chips
 

1 tigela de pipoca sem manteiga
400 calorias
=
400 calorias



1 croissant folhado grande + 3 fatias de queijo prato
 

10 fatias de pão de fôrma light + 7 1/2 fatias de queijo light +alface + tomate
650 calorias
=
650 calorias



1 porção média de batata frita
 

4 espigas de milho
360 calorias
=
360 calorias

 Por Monica Weinberg

Fonte: http://veja.abril.com.br/261103/p_080.html