quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

O medo da balança: mito ou verdade?


Muita gente tem verdadeiro pavor de subir na balança. E outros são obcecados por ela, chegando a se pesar diariamente. Mas, será que a balança oferece uma informação tão determinante? E será que é um instrumento confiável para precisar se estamos mesmo gordos?

A balança é um instrumento de uso fácil, barato e prático. Todavia, o peso pouco nos informa sobre o que verdadeiramente queremos saber: se estamos gordos ou magros! Infelizmente o peso não discrimina massa muscular de massa de gordura. No entanto, há um jeito bem prático de monitorar se estamos ou não precisando queimar as gordurinhas: as nossas circunferências. Sim, a boa e velha fita métrica da vovó pode nos ajudar. Há três medidas básicas para medir e monitorar periodicamente: a circunferência da cintura, do abdome e do quadril.

Vamos falar sobre estas medidas no próximo texto. Peço desculpas por ainda não revelar estes "segredos", mas quero abordar, além das medidas, um importante índice que está relacionado à probabilidade de desenvolvermos doenças cardiovasculares, o Índice Cintura-Quadril.

De qualquer modo, quero, por ora, pedir ao leitor que, ao invés de ter medo ou ficar paranoico se pesando todos os dias, passe a prestar mais atenção em suas medidas corporais. Uma forma rudimentar de avaliar se é hora de se exercitar e cuidar mais da alimentação é avaliar se as suas roupas estão ficando mais apertadas.

Excluída a hipótese do encolhimento das roupas, trajes mais apertados geralmente sugerem um aumento da quantidade de gordura corporal. Isso ocorre porque a gordura ocupa um grande volume, mas pesa pouco. Em alguns casos, não há um aumento expressivo do peso, mas o indivíduo está engordando e acaba tendo a ilusão de que tudo vai bem, quando na verdade deveria começar a tomar uma atitude para queimar a gordura que vem se acumulando em seu corpo.

Texto de  Renato Dutra - Prof. de Educação Física-Treinador de Corrida 

Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/saude-chegada/