terça-feira, 30 de março de 2010

Glúten é vilão???

Para o individuo que pratica esportes, o glúten fala contra tudo o que trabalhamos à medida que ele piora a absorção de nutrientes e lentifica o trânsito gastrointestinal

Glúten é vilão???

Então… todo mundo aprende a multiplicar ângulos na escola (apesar de, depois do vestibular, eu nunca mais ter multiplicado seno e cosseno ou vice versa), mas ninguém aprende a comer. Essa é a árdua batalha dos nutricionistas, principalmente os que trabalham com nutrição funcional que, dia após dia, tentam tirar o glúten da vida das pessoas, enquanto estas acham que tal conduta é exagerada e que alimentos, como estão a disposição para nosso consumo, não fazem mal assim como os nutricionistas falam, afinal, do nosso pãozinho francês de cada dia até a santa hóstia dos domingos contem glúten!

O que é?

Glúten é o mix de duas proteínas, glutenina e gliadina que estão presentes no trigo, cevada, centeio, aveia, triticale, malte e pânico, bem como nos seus derivados.

Sua propriedade/função?

Confere consistência elástica e pegajosa a uma determinada massa de amido, permitindo que, em reações de fermentação, o gás fique preso à massa, conferindo volume e maciez ao produto final.

Por que alguns profissionais defendem a sua limitação ou extinção da nossa dieta?

Porque uma vez ingerido, essa "cola" impregna as vilosidades do intestino lentificando a digestão (que de 16 horas em média pode chegar a 28 horas), atrapalhando a absorção de nutrientes e o funcionamento normal do aparelho digestório. Ainda que a enzima que digere o glúten possa ser suplementada, a pancreatina, esta não resolve o problema de acumulo desta substancia no nosso trato gastrointestinal.

No indivíduo não atleta, o consumo de glúten pode responder pelo ganho de gordura abdominal, transtornos gastrointestinais de qualquer ordem e em casos mais crônicos pode levar até a depressão. Ainda existe uma parcela da população que é intolerante ao glúten, indivíduos chamados de Celíacos devido ao nome da intolerância ao glúten na medicina ser Doença Celíaca – motivo pelo qual, inclusive, temos legislação que determina a presença de aviso no rótulo dos produtos que contenham glúten.

Para o individuo que pratica esportes, o glúten fala contra tudo o que trabalhamos a medida que ele piora a absorção de nutrientes e lentifica o transito gastrointestinal.

Trabalhando com o Rodolfo (Peres) estes anos e desenvolvendo rotinas, baseado em evidencias cientificas, sobre como se alimentar e utilizar aimentos de alta absorção, não justifica termos em nossas dietas wheys hidrolizados de percentuais de absorção maiores que 99% e tempos de absorção de minutos se no final das contas você utiliza para complementar um alimento que atrasa o processo em horas e bagunça a absorção em dezenas...

Querer um físico melhor, significa aumentar um nível capacidade de trabalho muscular e disponibilizar nutrientes segundo essa demanda. Em níveis críticos de resultado, temos níveis críticos de atividade física, logo, dependendo da demanda criada, oferecer estes nutrientes na quantidade adequada e no prazo de absorção adequada é inviável se não utilizarmos suplementos alimentares. Logo, se a base nutricional não estiver adequada com a rotina de suplementação, estamos perdendo tempo e dinheiro e empolgação, pois nada estamos fazendo alem de criar metas inatingíveis, ainda que pequenas, dependendo da variabilidade dos casos...

Vale lembrar que o glúten não é sempre vilão e que em alguns recursos alimentares ele está presente como solução para se lentificar o trânsito gastrointestinal e a absorção de determinados nutrientes sem que precisemos adicionar outros componentes que variam junto a densidade calórica da refeiçao - vale lembrar o largamente difundido uso da aveia no fisiculturismo profisional...

Por Paulo Cavalcante Muzy (muzypaulo@gmail.com)