sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Fisiculturismo Feminino: Mulheres Musculosas

É muito mais fácil dizer que faz mal tomar suplementos do que buscar em livros e artigos científicos as informações necessárias

Fisiculturismo Feminino: Mulheres Musculosas

Competições destinadas à musculação feminina remontam aos anos sessenta, como o Miss Physique e Miss Americana. O primeiro U.S. Women's National Physique Championship foi realizado em Cantão, Ohio em 1978, e é geralmente considerado como o primeiro campeonato de bodybuilding feminino, pois, foi a primeira competição onde as atletas foram julgadas pela muscularidade (TODD, 2006).

Competições começaram a aparecer em 1979. Alguns destas eram as seguintes: o segundo U.S. Women's National Physique Championship, ganho por Kay Baxter; o primeiro campeonato feminino da IFBB Women's World Body Building Championship, de 16 de julho, ganho por Lisa Lyon; The Best In The World contest, ganho por Patsy Chapman. Estas competições geralmente eram realizadas por promotores independentes, ainda faltava um corpo administrativo e o investimento das federações, situação que mudou em 1980 (TODD, 2006).

O NPC financiou as primeiras competições nacionais das mulheres em 1980 nos Estados Unidos. Laura Combes ganhou a competição inaugural. E, em 1980, foi o ano do primeiro Ms. Olympia, na Inglaterra, a competição mais prestigiada para profissionais da área. A primeira vencedora foi Rachel McLish que, também, ganhou o Campeonato do NPC, nos EUA, durante o mesmo ano. Essa competição marca um momento decisivo para o fisiculturismo feminino (TODD, 2006). .

Dentre as fisiculturistas mais conhecidas dos anos 80 citamos: Rachel McLish, Kike Elomaa, Carla Dunlap e Cory Everson. Durante este período, o fisiculturismo feminino começou a alcançar uma maior divulgação. A atleta Anita Gandol foi a primeira fisiculturista a ter pousado para a revista Playboy durante os anos 1980, sua atitude, porém, lhe custou uma suspensão de um ano do IFBB.

Erica Mes, uma competidora holandesa, a seguiu fazendo a mesma coisa. E em seguida, Lori Bowen, vencedora dos Pro World's de 1984, apareceu em um comercial de TV para a empresa Miller Lite. Em 1985 o filme chamado "Pumping Iron II: The Women" foi liberado, nele está documentada a preparação de várias atletas para a competição Caesars Palace World Cup Championship de 1983, são mostradas competidoras importantes como Kris Alexander, Lori Bowen, Lydia Cheng, Carla Dunlap, Bev Francis e Rachel McLish. Francis era uma competidora de powerlifter, que fez uma transição próspera e rápida para o bodybuilding, e se tornou uma das mais conhecidas competidoras do fim dos anos 1980 e início dos anos noventa.

Durante vários anos na década de 80, a NBC divulgou ao vivo o Ms. Olympia no programa do Sportsworld (O Mundo dos Esportes), foi uma época de expansão do fisiculturismo feminino, com uma ampla difusão na mídia. Dos anos 80 até a década de 90 muita coisa mudou: a nutrição esportiva, a suplementação, os modelos de treinamento, os ergogenicos, enfim, as ciências que amparam o treinamento desportivo mudaram muito em questão de décadas.

Se compararmos as atletas dos anos 80, como Cory e McLish, com as atletas dos anos subsequentes teremos o resultado das mudanças a 'olho nú'. Lenda Murray em 1990 acabou com o imperio de Cory Everson (ver fotos das 2 atletas junto a matéria) que durou 6 primeiras colocações no Olympia, a atleta, muito maior, com mais muscularidade, ficou sendo a fisiculturista com mais prêmios no Miss Olympia: 7 primeiros lugares (MISS OLYMPIA GALLERY, 2008). Uma mudança que veio sacudir este esporte, mas ainda vagarosa no Brasil.

Fisiculturismo Feminino: Mulheres Musculosas

Fisiculturismo Feminino: Mulheres Musculosas

Fisiculturismo Feminino: Mulheres Musculosas

Fisiculturismo Feminino: Mulheres Musculosas

Fisiculturismo Feminino: Mulheres Musculosas

Por Dra. Patrícia Lessa

Fontehttp://fisiculturismo.com.br/newsletters/materias/fisiculturismo-feminino-mulheres-musculosas.php