quinta-feira, 28 de julho de 2011

A corrida começa aos 40

Soprar quatro dezenas de velhinhas no aniversário exige algum fôlego, que pode ser facilmente conquistado com o esporte.

Para quem está perto ou já completou quatro décadas nada mais animador do que ouvir que "a vida começa aos 40". Soa como uma chance de zerar o cronômetro e iniciar um novo ciclo. Claro que não é preciso esperar tanto tempo, mas há quem aproveite a entrada nos "enta" para adotar um novo estilo de vida.

Entre outras descobertas que a maturidade traz, pode surgir o prazer pela atividade física, especialmente a corrida. É cada vez mais comum notar esses "novos atletas" correndo em parques, ruas e provas.

No livro Corrida e Boa Forma Depois dos 40 (Editora Gente), o treinador americano Hal Higdon relatou que é possível se tornar muito bom mesmo já não tendo o frescor dos 20 anos.

"Com o tempo, alcancei muito mais sucesso do que tinha conseguido no ensino médio ou na faculdade", diz. Foi só após os 40, por exemplo, que ganhou quatro medalhas de ouro e cinco de prata e de bronze nos World Master Championships.

Por aqui, para provar na prática aos amigos quarentões que era possível mudar com um pouco de força de vontade e orientação de especialistas, o professor de educação física José Alexandre Filho (ou Bro, como é conhecido) traçou o projeto A Vida Começa aos 40 - transformado em livro com a colaboração da jornalista Deborah Bresser, pela Editora Lua de Papel.

Ele reuniu uma equipe de médicos, nutricionistas e personal trainer e propôs uma transformação a um quarentão sedentário e acima do peso.

Em 16 semanas, o voluntário perdeu 11 quilos de gordura e ganhou 6 quilos de massa muscular, reduzindo sua gordura corporal de 23% para 12%.

Para o especialista, é a inatividade e não a idade que leva o indivíduo a ter problemas de saúde e até parecer mais velho.

Exames médicos são indicados para todos que iniciam um programa de atividade física – em qualquer idade. Mas de acordo com as diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia, o check-up cardiológico, especialmente a realização do teste ergométrico, é obrigatório a partir dos 40 anos. Trata-se de um dos exames mais importantes dentro da avaliação de saúde.

Os exercícios de força também deveriam ser adotados pelos corredores. A atividade tem se mostrado especialmente benéfica para quem passou dos 40. É que a dupla "corrida e musculação" contribui para a diminuição de gordura no organismo e para o aumento de massa magra por meio do crescimento dos músculos e do ganho ósseo, desacelerando as perdas fisiológicas e reduzindo os riscos de doenças.

É importante ainda respeitar os limites do corpo e a necessidade de descanso e boas horas de sono. Isso porque um corredor mais velho precisa de mais tempo de recuperação do que um mais jovem. É fisiológico.

Esteja você começando aos 40, 50 ou 60, sempre é tempo de colher benefícios. A atividade física bem orientada traz ganhos físicos e psicológicos, além de contribuir com a chance do aumento de expectativa de vida, conforme mostra o autor Hal Higdon.

Com o passar dos anos, o treinador americano também reuniu preciosas dicas para manter-se firme na corrida e evoluir na performance. Confira algumas:


Seja persistente: veteranos, particularmente, não precisam treinar todos os dias, já que dias de descanso são importantes. Mas é vital evitar longos períodos sem correr. Ou seja, não desanime.

Tenha uma boa companhia de treino: não importa se mais jovem ou mais velho que você, um pouco mais lento ou mais rápido. Você acaba se esforçando um pouco mais com alguém ao lado.

Trabalhe velocidade: inclua treinos de velocidade em sua semana. Longas distâncias, em ritmos moderados, fazem você progredir até certo ponto. Para melhorar, é preciso também correr mais rápido.

Varie seus treinos: se seu foco inicial era a distância, mude para um treino de velocidade. Se for um louco por velocidade, tente corridas mais longas.

Defina metas possíveis: se traçar um objetivo muito difícil, poderá desanimar e abandonar sua atividade física. Tenha um plano motivador e corra atrás.

Mude o caminho: vá para a natureza, corra morro acima e morro abaixo. Encontre caminhos que, por mais difíceis que seja, ofereçam um cenário deslumbrante, que desperte o prazer de viver.

Por Yara Achôa

Fonte: http://www.educacaofisica.com.br/noticias/a-corrida-comeca-aos-40

terça-feira, 26 de julho de 2011

Especialistas explicam por que o suor ocorre e como evitar excesso

Dermatologista e cirurgião explicam como funciona o sistema termoregulador e dão dicas sobre higiene pessoal.

Em decorrência de mudanças de temperatura, exercícios físicos ou fatores emocionais – como nervosismo ou estresse –, o corpo sua. Essa quantidade liberada varia ao longo do dia e das estações do ano, mas serve para equilibrar o corpo com o meio externo (de no mínimo 35,5° C a no máximo 37,5° C) e eliminar substâncias tóxicas.

Cada pessoa tem de 2 a 5 milhões de glândulas atuando nesse processo de transpiração, que é mais frequente nas axilas, mãos, pés, virilha, rosto e couro cabeludo. Elas liberam água (95%) e alguns elementos do sangue (5%), como sal.

O programa Bem Estar convidou o cirurgião do tórax José Ribas e o dermatologista Luiz Guilherme Castro, que passaram dicas úteis para evitar o suor e o mau cheiro.

O suor não tem odor, que vem da degradação desse líquido pelas bactérias, cujos lugares preferidos do corpo são os mais úmidos, quentes e escondidos, como as axilas, a virilha e os pés.

Na pele, os chamados termoreceptores percebem que a temperatura ambiente ou corporal está elevada e avisam o cérebro, que ativa o sistema nervoso simpático, responsável por emitir um sinal para as glândulas sudoríparas.


Tipos de glândulas

Écrinas: são estimuladas pelo calor, regulam a temperatura e produzem uma solução de água e sal. Distribuem-se pelo corpo todo.

Apócrinas: são mais estimuladas pela emoção, reúnem uma mistura de proteínas, lipídios e aminoácidos (ou seja, são mais gordurosas) e concentram-se nas axilas e na virilha. A secreção tem um cheiro forte, resultado da degradação de bactérias.

Na puberdade, essas glândulas começam a funcionar e é por isso que aparece um cheiro mais forte.

Desodorante x antitranspirante

A venda de antitranspirantes representa 83,5% do mercado e a de desodorantes, 16,5%. Para ser antitranspirante, o produto precisa conter pelo menos 20% do suor, de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O máximo da redução chega a 60%. Veja as dicas abaixo:

1 - Ao usar o antitranspirante, espere secar antes de se vestir, para evitar manchas na roupa e favorecer a ação do produto.

2 - Sempre passe desodorante ou antitranspirante com o corpo seco, para evitar alergias e melhorar o resultado.

3 - Em momentos de nervosismo, você pode usar um antitranspirante para suar menos.

4 - Se seu produto for do tipo aerossol, afaste-o a uma distância segura de 15 cm para evitar queimaduras na pele.

5 - Agite bem antes de usar os produtos, para poder fazer efeito e não entupir a embalagem.

Alimentos

Produtos termogênicos, riquíssimos em carboidratos, são "bombas de suor", pois fazem com que o metabolismo se acelere na digestão e elevam a temperatura do corpo. Alguns exemplos:

:: Feijoada, arroz, farinha e refrigerante de cola
:: Churrasco, batata frita, farofa e café
:: Tutu, pimenta, chá-mate

Roupas

A primeira coisa que você deve saber é se o tecido é arejado ou não. Os que permitem a passagem do ar (como algodão e linho) facilitam muito a vida de quem costuma suar.

Já os supersintéticos, impermeáveis ou plásticos (como poliéster e nylon) são mais complicados. Quanto mais fechado for o tecido, mais difícil será para o corpo resfriar. Ele, então, fica abafado e transpira mais.


Fonte: http://www.educacaofisica.com.br/noticias/especialistas-explicam-por-que-o-suor-ocorre-e-como-evitar-excesso


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Campeonato Mundial NABBA 2011

Cobertura do mundial NABBA 2011 que ocorreu em São Paulo

Por Robson Clério

O Campeonato Mundial NABBA 2011 realizado no Anhembi em São Paulo foi marcado pela qualidade dos atletas, Indianos, Italianos, Espanhois, Ingleses Iranianos e Russos estavam presentes em um evento de confraternização do Fisiculturismo. A maioria dos resultados conquistados pelos brasileiros, inclusive o Over All conquistado por Alex dos Anjos que estava denso e extremamente definido. Impressionante!

Na categoria Master 40, Nortom James Murayama seguiu sua sequencia de vitórias acumulando 4 titulos mundiais pela NABBA, nesta categoria as três colocações foram conquistadas por brasileiros, 2º lugar Lorival de Oliveira que voltou depois de seis anos sem competir e a 3º colocação ficou com Pierre Francisco, atleta do Sul do Brasil.

Master 50 conquistada pelo campeoníssimo Edson Souza, seguido de Ricardo Magalhães. O terceiro lugar ficou com o Ucraniano Martin Holroyd e Mario Gomes, brasileiro do Amapá ficou com a quarta colocação.

Jose Gonçalves e Joaquim Freitas foram os únicos da categoria Master 60.

Maite Bueno em disputa apertada com Andressa Ferreira manteve sua sequencia de títulos na categoria Toned desde o Estreantes Paulista realizado em Campinas até o titulo Mundial.

Rafael Guimarães e Manoel Martinez ficaram com 2º e 3º lugares na Cat. Juniors que foi conquistada pelo AustralianoAled Barry.

Na Figure II as três primeiras colocações ficaram com as brasileiras, Viviane RomagueiraDora Rodrigues e Roberta Gomes seguidas de Italia e Ucrania. Aurem Malvestiti brasileira de Campinas-SP ficou com a sexta colocação.

No Figure I As brasileiras Vanessa Coelho ficou em segundo lugar e Rosangela Leocadio ficou em quarto lugar. A campeã desta catogoria foi campeã Over All.

Miss Phisique ficou as brasileiras 1º Ana Paula, 2º Larissa Cunha, 3º Simone Sousa, 4º Noemia de AbreuLisa Bailey eSharon Simpson ficaram com 4º e 5º lugares.

O campeão da Class 4 foi Paulo Lima, brasileiro de São Paulo estava com seu típico volume muscular e grande densidade deixando o Neo Zelandes Mark Anderson em segundo lugar. Andrey Silva e Ozirio Junior ficaram com terceira e quarta colocações.

A Class 3 categoria normalmente numerosa e difícil ficou com Alex dos Anjos que levou o OVER ALL DO MUNDIAL NABBA 2011. O Iraniano Morteza Oveisi Pakniyat ficou em 2º lugar seguidos dos brasileiros Roberto Vitoria e Francisco Pereira.

A Class 2 fico com Lucas de Santi, o Checo Martin Holub ficou em segundo lugar, Samuel Vieira retornou às competições em grande forma após recuperar-se de séria lesão no tendão do tornozelo ficou com uma solida terceira colocação. O brasileiro Edilson de Oliveira em quarto lugar.

O brasileiro Andre Santos ficou em 2º lugar na Class 1 deixando a primeira colocação para Enda Wright da Republica da Irlanda e tiveram em 3º Stuart Carrington da Ucrania, 4º Richard Canuto e 5º Henrique Duggen ambos do Brasil.

Nesta ordem de primeiro a quarto lugares, Jose FabianoAlexsandro da CostaJose Ribamar MarquesLuiz Carlosforam so brasileiros que formaram a Categoria Especial.

O vídeo desta competição pode ser adquirido no site www.artteriafilmes.com.br pelo e-mail artteriafilmes@artteriafilmes.com.br.

nabba-mundial-2011-00
nabba-mundial-2011-01
nabba-mundial-2011-02

nabba-mundial-2011-03
nabba-mundial-2011-04
nabba-mundial-2011-05

Fonte: http://fisiculturismo.com.br/2011/07/campeonato-mundial-nabba-2011/

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Iris Kyle - mulher fisiculturista do Olympia

 Iris Kyle nasceu em (22 de agosto de 1974) em Benton Harbor, Michigan, em uma família de seis filhos. Sua carreira desportiva é repleta de influências anteriores à musculação. Participou de esportes como basquete amador, softbol e cross country. No basquete ela permaneceu mais tempo, pois, era vinculada a uma bolsa de estudos na Alcorn State University onde se formou em administração de empresas.

Sua entrada para o fisiculturismo foi em 1994, numa competição conhecida como: "Long Beach Muscle Classic" pelo NPC (IFBB amadora dos EUA). Em 1998 ela ganhou o pró-card, que é a entrada para o esporte profissional, quando ela venceu na categoria pesada durante o campeonato "NPC Championship", em Las Vegas. Iris Kyle tem até hoje um elevado número de títulos como uma atleta profissional, incluindo suas consecutivas apresentações no Miss Olympia.

Ela venceu a primeira vez na categoria peso pesado no campeonato de Miss Olympia em 2001. Em 2004 ganhou de novo e, ainda ganhou, como melhor atleta internacional, repetindo essa façanha em 2006, quando ela ganhou tanto segundo título de Miss Olympia, assim como o título de Miss Internacional, vindo a repetir esta dupla vitória em 2007. Seu terceiro título como Miss Olympia foi em 2008.

Kyle, devido ao sucesso como competidora, passou a ser chamada para fazer filmes e programas de TV, pois nos EUA essa é uma categoria muito valorizada, sabe-se o tempo e o esforço que estas atletas necessitam para tornarem-se gigantes. Ela hoje já inicia sua projeção de trabalho para quando encerrar sua carreira competitiva e, em entrevista para Steve Wennestrom (Editor At Large IFBB Women´s Historian) diz que quer abrir um centro de treinamento para mulheres. Suas conquistas atléticas somadas ao fato da valorização da categoria nos EUA garantem que essa atleta ainda terá muitas novidades.

Os dados foram retirados parcialmente do site da atleta:

http://www.iriskyle.com/

Títulos mais importantes:

- 2011 IFBB Miss International - 1st Internacional;
- 2010 IFBB Miss Olympia - 1st Olympia;
- 2010 IFBB Miss International - 1st [ 2 ] Internacional;
- 2009 IFBB Miss Olympia - 1st Olympia;
- 2009 IFBB Miss International - 1st Internacional;
- 2008 IFBB Miss Olympia - 1st Olympia;
- 2008 IFBB Miss International - 7th Internacional;
- 2007 IFBB Miss Olympia - 1st Olympia;
- 2007 IFBB Miss International - 1st Internacional;
- 2006 IFBB Miss Olympia - 1st Olympia;
- 2006 IFBB Miss International - 1st Internacional;
- 2005 IFBB Miss Olympia - 2nd Olympia;
- 2004 IFBB Miss Olympia - 1st (HW and Overall) Olympia;
- 2004 IFBB Miss International - 1st (HW and Overall) Internacional
- 2003 IFBB Miss Olympia - 2nd (HW) Olympia;
- 2002 IFBB GNC Show of Strength;
- 2002 IFBB Miss Olympia - 2nd (HW) Olympia;
-2002 IFBB Miss International - 2nd (HW) Internacional;
-2001 IFBB Miss Olympia - 1st (HW) Olympia;
-2001 IFBB Miss International - 2nd (HW) Internacional;
-2000 IFBB Miss Olympia - 5th (HW) Olympia;
-2000 IFBB Miss International - 3rd (Later disqualified) Internacional;
- 1999 IFBB Campeonato Mundial Pro
-1999 IFBB MissOlympia - 4th Olympia
- 1999 IFBB MissInternational - 15th Internacional
- NPC Championships 1998 EUA;
- 1997 NPC Nationals;
-1997 Campeonato EUA NPC;
- NPC Championships 1996 EUA;
-1996 California NPC;
-1996 Muscle Orange County NPC Classic;
-1994 NPC Campeonato.

==============================================

Fotos da atleta:

Iris Kyle fisiculturista do Olympia

Iris Kyle fisiculturista do Olympia

Iris Kyle fisiculturista do Olympia

Iris Kyle fisiculturista do Olympia

Iris Kyle fisiculturista do Olympia

Por Dra. Patrícia Lessa

quinta-feira, 21 de julho de 2011

TREINO DE BÍCEPS E TRÍCEPS









Que tal treinar para conseguir braços gigantes. O programa abaixo é apenas um exemplo. Você podera mudar os exercicios. Importante é que siga o seguinte esquema:
Nas Segundas e Quintas sera o dia de trabalhar apenas Braços e Abdomem. Escolha os exercicios que você acha mais eficiente e treine pesado.
Nas Terças treine o Peitoral, Costas e Abdomem.
Nas Sextas treine as Pernas, Ombros e Abdomem.
 
Em poucos meses você notara que seus braços estão com mais densidade, tamanho e massa.  
Exemplo de Programa:
SEGUNDAS: BRAÇOS + ABDOMEM
ROSCA DIRETA 4 X 10 REPS
ROSCA ALTERNADA 3 X 10 REPS
ROSCA SCOTH 3 X 10 REPS
TRICEPS POLIA 4 X 10 REPS
TRICEPS TESTA 3 X 10 REPS
TRICEPS BANCO 3 X 12 REPS
ABDOMINAIS 3 X 30 REPS
TERÇAS: PEITORAL + COSTAS + ABDOMEM
SUPINO PLANO 4 X 10 REPS
SUPINO INCLINADO COM HALTERES 3 X 10 REPS
CRUCIFIXO OU VOADOR 3 X 10 REPS
POLIA COSTAS 3 X 10 REPS
REMADA UNILATERAL 3 X 10 REPS
POLIA SENTADO OU REMO NA MAQUINA 3 X 10 REPS
ABDOMINAIS 3 X 30 REPS
QUINTAS: BRAÇOS + ABDOMEM
ROSCA DIRETA BARRA W 4 X 10 REPS
ROSCA UNILATERAL 3 X 10 REPS
ROSCA NO JOELHO 3 X 10 REPS
TRICEPS TESTA 4 X 10 REPS
TRICEPS POLIA 3 X 10
TRICEPS COICE 3 X 10 REPS
ABDOMINAIS 3 X 30 REPS
SEXTAS: PERNAS + OMBROS + ABDOMEM
AGACHAMENTO 4 X 10 REPS
LEG PRESS 4 X 10 REPS
ROSCA PERNA 4 X 10 REPS
GEMEOS EM PE OU SENTADO 4 X MAXIMO
PRESS FRONTAL 3 X 10 REPS
ELEVAÇÃO LATERAL 3 X 10 REPS
ABDOMINAIS 3 X 30 REPS


10 dicas para construir bracos gigantes!
Confira algumas dicas rápidas e práticas sobre como ganhar massa muscular no tríceps e bíceps. Triplique seus ganhos!

1) Inclua paralelas no seu treino de tríceps e barra fixa com pegada pronada no seu treino de costas. Estes exercícios também são feitos por ginastas para garantir força ao realizar uma prova. Alguém já viu um ginasta masculino com braços pequenos ?

2) Para o crescimento máximo varie o número de repetições das séries, faça de 6-10 os exercícios compostos como rosca direta, rosca testa e 10-15 os exercícios isolados como pulley ou rosca concentrada. A variação é o segredo.

3) Considere treinar bíceps e tríceps no mesmo dia para focar ao máximo o treino para estes músculos. Treinando em outros dias você pode dar preferências para outros músculos.

4) Se você não está vendo crescimento no bíceps ultimamente, tente focar o treino nos antebraços. Algumas vezes o seu treino pode ficar limitado devido a uma falha de hipertrofia nos antebraços, assim você não conseguirá aumentar as cargas no treino de bíceps.

5) Rosca Direta é o exercício básico para construir o bíceps. Tenha certeza de que este exercício está presente na sua rotina.

6) Equalize a quantidade de treino para bíceps e tríceps.

7) Inclua supersets e dropsets nos seus treinos.

8) Varie os exercícios do treino, fazer sempre os mesmos exercícios faz com que seu corpo se adapte rapidamente, diminuindo os seus ganhos.

9) Tente contrair o máximo o seu tríceps e bíceps durante a execução dos exercícios

10) Não faça mais que 3 exercícios para tríceps ou bíceps. Tenha certeza de que seu treino não ultrapasse 50 minutos de duração.


terça-feira, 19 de julho de 2011

Efeitos do álcool no metabolismo energético


Além de danos aos sistemas psicológicos e fisiológicos aos indivíduos ditos como "normais", o álcool prejudica drasticamente o desempenho em exercícios físicos, deprimindo inúmeras funções metabólicas do organismo.

 

Jack Daniel's - efeitos do álcool no metabolismo

O Álcool, ou mais especificamente o Álcool Etílico ou Etanol (uma forma de carboidrato), classifica-se como uma droga depressora. Alguns atletas utilizam álcool para aprimorar o desempenho atlético, em virtude de hipotéticos efeitos psicológicos positivos. Todavia, as estatísticas continuam sendo imprecisas e os resultados práticos são depressores do bom desempenho físico.

O Álcool

O álcool é uma forma de carboidrato que proporciona cerca de 7 kcal de energia por grama (ml) de substância pura. Uma bebida alcoólica contém 28,4 g ou 28,4 ml de álcool teor 100 (50%). Isso equivale a 340 ml de cerveja regular (cerca de 4% de álcool por volume). O estômago absorve entre 15 a 25% do álcool ingerido; o intestino delgado capta rapidamente o restante para distribuí-lo através de todos os compartimentos hídricos do corpo (particularmente os tecidos ricos em água do sistema nervoso central). A ausência de alimento no trato digestivo facilita a absorção de álcool, o remove com um ritmo de aproximadamente 10g por hora, o que equivale ao conteúdo em álcool de uma bebida.

O consumo de duas bebidas alcoólicas em 1 hora produz uma concentração alcoólica no sangue entre 0,04 a 0,05 g/dl. Os fatores como idade, peso corporal, conteúdo corporal de gordura e sexo, influenciam o nível de álcool no sangue. Uma concentração sanguínea de álcool acima de 0,40 (19 bebidas ou mais em 2 horas), pode resultar em coma, depressão respiratória e eventual morte.

Os efeitos no Exercício Físico

Alguns atletas utilizam o álcool para aprimorar o desempenho em virtude de seus hipotéticos efeitos psicológicos e fisiológicos. Na esfera psicológica, alguns argumentaram que o álcool antes da competição reduz a tensão e a ansiedade (efeito ansiolítico), realça a autoconfiança e promove a agressividade. Facilita também a "desinibição" neurológica em virtude de seu efeito estimulante inicial que, no entanto, é transitório. Assim sendo, o atleta pode acreditar que o álcool facilita o desempenho físico ao nível ou próximo de sua capacidade fisiológica, particularmente para as atividades de força e potência máximas (McArdle & Katch, 2002).

Todavia, as pesquisas não consubstanciam qualquer efeito ergogênico do álcool sobre a força muscular, a potência anaeróbica máxima a curto prazo ou o desempenho mais prolongado nos exercícios aeróbicos.

Apesar de atuar inicialmente como estimulante, o álcool acaba deprimindo a função neurológica (deterioração da memória, da percepção visual, da fala, da coordenação motora) em relação direta com sua concentração sanguínea.

Alguns desportistas utilizam o álcool para amortecer a função psicomotora, diminuindo o tremor das mãos. Assim sendo, o uso de álcool tem sido prevalente em provas de tiro de precisão, arco e flecha, e tiro com rifle. Contudo, apesar do potencial teórico específico para a melhora do desempenho, a maior parte das pesquisas indicam que o álcool, na melhor das hipóteses, na proporciona qualquer benefício ergogênico; na pior das hipóteses, pode desencadear efeitos colaterais perigosos que deterioram muito o desempenho (efeito ergolítico) (McArdle & Katch, 2002).

Na corrente sanguínea, o álcool exerce uma ação curiosa sobre a hemoglobina. Por um mecanismo diferenciado, torna a combinação da hemoglobina com o oxigênio muito mais estável do que a normal. Isto resulta como conseqüência que a hemoglobina não é reduzida nos tecidos tão depressa como convém. A sua combustão não é, portanto, perfeita. Dessa forma, em falta de oxigênio dentro da célula, a molécula de gordura não é metabolizada (quebrada) normalmente, pois para que os ácidos graxos possam ser catabolizados é necessária a presença de oxigênio. Como este não foi reduzido aos tecidos como deveria, em função da ligação estável na hemoglobina causada pelo álcool, isto torna um dos fatores pelos quais as pessoas que ingerem muito álcool tem dificuldade em quebrar a gordura corporal e emagracer.

Esta afirmação pode confirmar-se ainda pelo fato de que, o organismo tendo preferência pelos compostos carboidratos para a geração de energia, acaba utilizando o álcool como preferencial pela facilidade de penetração deste dentro da célula. A gordura, dessa forma, fica preservada (Uba Chupel, 2009).

Apesar destes efeitos (negativos) poderem variar entre os indivíduos, eles se tornam evidentes em uma relação dose-resposta com níveis sanguíneos do álcool superiores a 0,05 g/dl.

Na perspectiva fisiológica, o álcool prejudica a função cardíaca. Em um estudo, a ingestão de 1g de álcool por kg de peso corporal durante 1 hora elevava seu nível sanguíneo para mais de 0,10 g/dl. Esse nível, observado frequentemente entre os que "bebem socialmente" deprimia agudamente a contratilidade miocárdica. Para o metabolismo, além da alteração na forma da hemoglobina, o álcool deprime a capacidade do fígado para a síntese de glicose a partir de fontes diferentes dos carboidratos através da gliconeogênese. Esses efeitos poderiam deteriorar profundamente o desempenho nas atividades aeróbicas de alta intensidade que dependem maciçamente da capacidade cardiovascular e da energia proveniente do catabolismo dos carboidratos (McArdle & Katch, 2002).

Concluindo

Além de danos aos sistemas psicológicos e fisiológicos aos indivíduos ditos como "normais", o álcool prejudica drasticamente o desempenho em exercícios físicos, deprimindo inúmeras funções metabólicas do organismo. O álcool exagera o efeito desidratante do exercício físico em ambientes quentes, por atuar como um poderoso diurético deprimindo a liberação do hormônio anti-diurético. Por causa da ação do álcool como vasodilatador periférico, não deveria ser consumido durante a exposição ao frio extremo nem para facilitar a recuperação após uma hipotermia.

A conclusão de uma declaração de princípios do Colégio Americano de Medicina Desportiva sobre o uso de álcool nos desportos é tão válida atualmente como ao ser publicado em 1982:
- o álcool não aprimora e pode até reduzir a força, a potência, a velocidade, a endurance (resistência) muscular local e a endurance cardiovascular.

Por Matheus Uba Chupel

Fonte: http://fisiculturismo.com.br/newsletters/materias/efeitos-alcool-metabolismo-energetico.php

sábado, 16 de julho de 2011

Respondendo a perguntas sobre Animal Pak


Puro Poder, Pura Força, Pura Intensidade! 
Animal Pak ganhou o prêmio de melhor Multi-Vitamínico do ano em 2005, 2006 e 2007 consecutivamente! Para fisiculturistas hard-core e atletas de força, nada bate o Animal Pak quando o assunto é maximizar os ganhos de massa muscular, força e performance. Não existe arma melhor disponível para abastecer os seus treinamentos intensos. Ofuscando as imitações, o Animal Pak original é ainda a mais avançada fórmula de nutrientes de qualidade feitas para fisiculturistas.
Cada Pak contem uma combinação poderosa e moderna de uma grande quantidade de complexos vitamínicos e minerais, aprimoradores de performance, lipotrópicos, enzimas digestivas e energizantes poderosos. Animal Pak consiste em uma fórmula perfeitamente balanceada destes nutrientes que é muito bem assimilada pelo seu corpo.
Animal Pak é o mais vendido no mundo por 7 anos seguidos. Cada vez mais fisiculturistas vem usando o Animal Pak em seus treinos, mais do que qualquer outro suplemento na história. Por quê ? Simples. Animal Pak faz o seu serviço. Simplesmente funciona, na primeira vez, na última vez, sempre!


Porque tomar Animal Pak, em vez de tomar um Multivitaminico normal que é muito mais barato e fácil de consumir ? 

Poder pode. A escolha é sua, mas você realmente quer ? 
Multivitaminicos comuns são feitos para pessoas comuns, com uma rotina normal, eles contêm 100% de todas as vitaminas e minerais que o corpo precisa no dia-a-dia baseados em uma dieta de 2000 calorias(Confira o rótulo e comprove). 
Mas você ingere a quantidade de proteínas que esses mesmo especialistas dizem que é o ideal para você ingerir ao dia ? 
É claro que não, você ingere muito mais proteína, pois você não é uma pessoa normal, você é um culturista ou um atleta de força. 
Quem leva a sério o treinamento precisa de MUITA proteína. O mesmo se aplica as vitaminas. 
Somente suplementos completos são projetados para quem leva o treinamento a sério. Quanto mais árduo é o seu treino, mais vitaminas e minerais você precisa. 
Comparando com um sedentário ou um idoso que ingere um  multivitaminico comum todo praticante de musculação precisa suplementar sua alimentação com produtos específicos.
Animal Pak contem estimulantes ? 
Não, Animal Pak contem apenas substâncias naturais para dar aquele incremento extra na sua energia.
Eu realmente tenho que tomar dois packs por dia ? 
Não, para a maioria das pessoas um pack é o suficiente. Porém atletas ou quem gosta de pegar pesado na malhação pode tomar 2 packs por dia.
Animal Pak é o que afinal ? Multivitaminico ? 
Um de seus componentes é um multivitaminico, com todos as vitaminas e minerais necessários para o corpo humano. Mas não pode ser comparado com um multivitaminico comum vendido em farmácias.  
Ele contem um cojunto ampliado de aminoácidos essenciais e não essenciais, enzimas digestivas, eletrólitos, antioxidantes, lipotrópicos e vários outros nutrientes para ajudar no crescimento muscular. 
Animal Pak é uma fórmula completa para praticantes de musculação. 
É por isso que o Animal Pak é o mais vendido no mundo,
Eu preciso ciclar o Animal Pak ? 
Não, pois contêm vitaminas, minerais e muitas outras substâncias importantes para o corpo humano. 
Deve ser tomado diariamente.
Animal Pak não é um multivitamínico barato comparando com outros encontrados na farmácia e lojas de suplemento. 
Se você vai sempre no mais barato, então Animal Pak não é para você. 
Se você não leva o treino a sério, então Animal Pak não é para você. 
Se você quer qualidade, então Animal Pak é a sua única escolha.
Posso tomar Animal Pak com outros produtos da linha "Animal" ? 
Sim e é o que a maioria dos atletas fazem, Animal Pak tem a maioria dos nutrientes básicos que o corpo precisa, você pode suprir outras necessidas com os outros produtos.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

PERFIL MISTER OLYMPIA - DEXTER JACKSON












Dexter Tyrone Jackson
Apelido: The Blade
Local de Nascimento: Jacksonville, Fl
Data de Nascimento: 25 de novembro de 1969
Altura: 1,68 m
Peso para o Mr. Olympia: 105,69 kg
Peso fora de temporada: 111,13 kg

Conquistas em 2008:
1° Lugar: Mr. Olympia
1° Lugar: Nova Zelândia Elite Pro
1° Lugar: Grande Prêmio da Austrália
1° Lugar: Arnold Classic
1° Lugar: Grande Prêmio Romênia

Abaixo a Dieta que Dexter Jackson usou para ganhar o Mr Olympia 2008.

Pré Competição – Pre Contest

1ª refeição
Aproximadamente 230 g de peixe
1 xícara de milho
Suplemento a base de Leucina
Termogênico em Cápsulas

2ª refeição
Entre 230 e 290 gramas de frango
1 xícara de arroz
3ª refeição
Suplementação pré-treino
Meal Replacement Powder (substituto de refeição em pó)
Termogênico em Cápsulas

4ª refeição
Suplementação pós-treino
Whey Protein
Volumizador Celular

5ª refeição
300 gramas de frango ou peixe
1 xícara de arroz

6ª refeição
10 claras de ovo
Whey Protein
Suplemento a base de Leucina

Fora de temporada – Off Season

1ª refeição
Omelete de 10 ovos
2 torradas
Whey Protein
Suplemento a base de Leucina

2ª refeição
340 g de carne
12 xícaras de arroz

3ª refeição
Suplementação pré-treino
Óxido Nítrico
MRP (substituto de refeição em pó)

4ª refeição
Suplementação pós-treino
Suplemento Pré-hormonal
Volumizador celular
Whey Protein

5ª refeição
Dois peitos de frango de 170gr
Massas (macarrão, pão, etc.)

6ª refeição
Pizza, tacos ou o que quiser
Whey Protein
Suplemento a base de Leucina

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Sem resultado? Talvez seu treino esteja errado



Para avaliar o treinamento, o melhor é medir periodicamente aquilo que você quer modificar. Se pretende emagrecer, pode avaliar pelas roupas, pelo peso ou fazer uma análise mais detalhada da composição corporal na academia.
Todo mundo, ao começar a malhar tem algum objetivo seja emagrecer, bombar, melhorar a saúde ou só definir músculos. O professor é quem prescreve um treino que consiga fazer o aluno chegar onde ele quer. Se você malha, malha e seu objetivos não são atingidos, é preciso reformular o treino. Confira aqui como deve ser o treino para os diferentes objetivos.


A primeira coisa a prestar atenção é que não adianta copiar os exercícios do cara marombado da academia ou da gostosa da televisão. Mário Pozzi, professor da Needs Fitness, explica que a intensidade dos exercícios depende do nível de treinamento do aluno. A individualização do treino é essencial mesmo quando o objetivo é a hipertrofia. No nível iniciante, as etapas de progressão das cargas devem ser respeitadas.


É preciso também saber diferenciar resultados imediatos daqueles a longo prazo. Edmilson Kawanaka, professor da academia Competition e pós-graduado em treinamento desportivo, explica que as pessoas confundem às vezes a adaptação aguda (sentida logo após a sessão de treino, que normaliza depois de algumas horas, exemplo: sinto-me mais inchado) da adaptação crônica (o que acontece de forma mais lenta e duradoura). Para Kawanaka, se os objetivos não estiverem sendo alcançados, toda a programação tem que ser revista, tipo de treino, carga, periodicidade, alimentação e descanso.


Kawanaka diz que os alunos de academia geralmente querem perder gordura corporal e ganhar massa muscular. Para quem quer perder peso ele indica treino de resistência muscular (com 15 repetições– ver tabela abaixo) três vezes por semana, com um exercício aeróbio antes para aquecer e exercícios aeróbios contínuos (ver tabela abaixo) mais longos duas vezes por semana.


Segundo Kawanaka, atualmente os alunos procuram um trabalho de musculação com o objetivo de melhorar seus desconfortos como dores articulares, dores na coluna etc. Ele indica trabalhos isométricos (ver tabela abaixo) para esse tipo de trabalho, realizando exercícios parados, segurando o peso estático. Ele recomenda esse tipo de exercício três vezes por semana combinado com aeróbio (duas vezes por semana) e alongamento geral diário.


Para os que querem ganhar massa muscular, Kawanaka indica treino de resistência muscular (com 12 repetições – ver tabela abaixo) quatro vezes por semana, dividido em dois treinos alternados, o descanso deve vir depois de um treino de cada tipo (por exemplo, quarta feira, se treinar segunda e terça). No final de semana ele recomenda um dia de treino leve aeróbio, por exemplo, 30 minutos.


A personal trainer Tatiana Vieira, professora do Instituto Leven, diz que quando se trata de exercícios resistidos (musculação), o único momento em que a pessoa ganha força e não ganha massa muscular é no início do treinamento (três primeiras semanas). pois nessa fase a pessoa passa por uma adaptação neural, aprendendo a fazer o exercício com mais eficiência.


Após esse período inicial, os treinamentos passam a gerar uma certa hipertrofia. Para os que não querem ganhar muita massa muscular, uma dica é associar treino de musculação com aeróbios contínuos (ver tabela abaixo). Como o exercício aeróbio diminui a massa muscular, a combinação dele com a musculação é ideal para manter a musculatura, sem ganhar muito, mas também sem perder. Vieira explica que se for realizado o treinamento aeróbio de alta intensidade, além dele utilizar gordura como substrato, é possível realizar treinamentos de força mais intensos sem correr o risco de ganhar muita massa muscular.


Manter a massa muscular é importante para manter o metabolismo rápido, potencializando a perda de peso. Mas o exercício sozinho não faz milagres pelo emagrecimento, para aqueles cujo objetivo é realmente perder gordura, manter uma dieta balanceada é essencial.


Os que não querem fazer musculação, apenas correr (ou pedalar, nadar etc.) precisam tomar cuidado com a perda muscular relacionada aos exercícios aeróbios contínuos. O treino intervalado (ver tabela abaixo) tem demonstrado bons resultados para quem quer praticar esses tipos de atividade sem perder a massa muscular. As diferentes aulas oferecidas pelas academias geralmente também possuem intervalos de diferentes intensidades e combinam exercícios aeróbios com um pouco de força, sendo uma opção para quem quer manter a saúde de maneira lúdica.


TREINOS AERÓBIOS


Auxiliam a perda de gordura e trazem benefícios cardiovasculares


Contínuo (resistência aeróbia)


Oo treino aeróbio mais comum, com intensidade moderada e alta duração (acima de 15 minutos). A intensidade pode ser estimada pela frequência cardíaca (entre 60% e 80% da FC Máxima) ou por percepção pela respiração, a pessoa deve ficar ofegante, mas ainda conseguir falar algumas palavras. Esse treino é conhecido por auxiliar na perda de gordura, mas pesquisas apontam que ele pode causar diminuição na massa magra (músculos), que pode ser atenuada combinando esse treinamento com exercícios com pesos. Esse tipo de treinamento também é importante para aqueles que desejam melhorar sua saúde, pois melhora a capacidade cardiorrespiratória, diminuindo o risco de problemas relacionados ao sedentarismo.


Intervalado


Esse treinamento consiste em pequenos períodos (10 segundos a 2 minutos) de exercícios de intensidade alta com intervalos de descanso entre eles, podendo ser descanso ativo, com caminhadas ou trotes leves ou descanso passivo, parado. O descanso deve ser até você estar apto a praticar o exercício em alta intensidade novamente. Pesquisas mostram que esse tipo de treino tem os mesmos benefícios que o contínuo e após o segundo mês de treinamento parecem ter resultados melhores na perda de gordura. Com esse tipo de treinamento a massa muscular é preservada, pois ele não apresenta a mesma perda de massa magra que o exercício contínuo.
MUSCULAÇÃO
Treino realizado com resistência (pesos, máquina etc.) e aumenta a massa muscular e a força

Força Muscular
Esse treino é mais indicado àqueles que querem ganhar força, mas não necessariamente ganhar grande massa muscular. Todos os treinos de musculação causam ganho de massa magra, especialmente se o aluno não é praticante de musculação e vai iniciar a atividade, mas o objetivo desse treino é aumentar a força máxima do aluno. Segundo Pozzi, os pesos utilizados estão entre 90% e 100% da força máxima (chamada uma repetição máxima, a medida é feita por um teste que estima a carga máxima em que é possível realizar uma vez o exercício e não é possível repetir o movimento). Neste treino são realizadas de quatro a seis séries de uma a seis repetições para cada grupo muscular com intervalos de descanso maiores do que dois minutos entre as séries. São mais séries em menos repetições, com carga alta e velocidade de execução lenta.

Hipertrofia Muscular
O principal objetivo desse tipo de treino é aumentar a massa muscular, ideal para os que buscam volume muscular por questões estéticas. Aumentando a massa, a força máxima também aumenta, trazendo os benefícios do treino de força máxima. Pozzi explica que esses exercícios são feitos com cargas de 70% a 90% da força máxima. São realizadas de três a seis séries de seis a oito repetições para cada grupo muscular. Ou seja, são mais repetições, com intervalo entre as séries de três minutos, e a velocidade de execução do exercício é lenta.

Potência Muscular (Força Explosiva)
Esse treino tem como objetivo aumentar a velocidade de contração dos músculos, importante para algumas tarefas do dia-a-dia (se você tropeçar é a potência muscular que vai ajudar a corrigir o movimento e não cair de cara no chão ou correr atrás do ônibus) e para as atividades esportivas. Como todo o treino de musculação, esse treino causa um ganho de massa muscular e ganho de força máxima, especialmente para iniciantes. Os exercícios, segundo Pozzi, são realizados com pesos entre 60% e 80% da carga máxima, realizando de três a seis séries de seis a doze repetições. O intervalo entre as séries deve ser maior que dois minutos e a execução é rápida na fase de subida do peso, e lenta na descida, ou seja, quando o movimento é a favor do peso você deve fazer força para controlar a velocidade.

Resistência Muscular
Esse treino tem como objetivo aumentar a resistência do músculo para manter a força por um grande período de tempo. Por causar grande fadiga do músculo, esse treino gera um bom ganho de massa muscular e força máxima. Esse tipo de treino também é muito utilizado para iniciantes, como adaptação para iniciar os demais tipos de treinamento (de três a cinco semanas). Segundo Pozzi, as cargas para o treino de resistência devem ir de 40% a 60% da carga máxima e são realizadas de duas a quatro séries de 13 a 20 repetições por grupo muscular. São menos séries, com mais repetições e o intervalo deve ser entre um e dois minutos e a velocidade de execução é média.

Isométrico
Por não movimentar a articulação, esse treino é muito utilizado para aqueles que têm problemas articulares, como forma de manter a força e a musculatura, auxiliando a reabilitação. Kawanaka recomenda segurar o peso por 20 segundos em vez de fazer várias repetições.

Circuito
É um tipo de treino que alterna exercícios de musculação e exercícios aeróbios. Costuma ser indicado para aqueles que não têm tempo para fazer os dois treinamentos e para os que querem emagrecer. Seus resultados dependem da intensidade e duração do exercício aeróbio e do treino de musculação utilizado na combinação. Se você fizer mais musculação, ganha mais massa muscular; já se fizer mais aeróbio têm ganhos menores de massa magra e perde mais gordura.