quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Suplementos para Articulação


Suplementos que ajudam prevenir lesões em treinos muito intensos.


Você já deve ter ouvido a expressão "no pain, no gain", que é a máxima dos atletas que almejam chegar no limite máximo do seu esporte. Embora seja uma teoria verdadeira para se conquistar o degrau mais alto no pódio, treinos com demasiada intensidade podem causar problemas articulares se não for tomada a devida precaução.

Sabemos que o exercício funciona por destruir e reconstruir seus músculos a um nível microscópico, e o lado negativo dessa equação é que também pode existir um maior risco de lesão, pelo uso excessivo da articulação. Cartilagem, tendões e ligamentos estão entre as lesões mais comuns sofridas pelos atletas, como por exemplo a osteoartrite, uma condição alimentada por anos de uso e treino.

O risco de osteoartrite aumenta com a idade, estudos evidenciam uma diminuição da capacidade de nosso organismo produzir fatores de crescimento, juntamente com uma acumulação gradual de enzimas que podem degradar o suporte estrutural do tecido conjuntivo com o passar do tempo. Quando confrontados com as complicações comuns da osteoartrite, mesmo uma pessoa que faz exercícios casualmente, se torna vulnerável a lesões graves.

Obviamente, se tornar um sedentário não é a resposta. O exercício regular é essencial para preservar a saúde, e é ainda mais importante se você sofre de artrite, ou de qualquer doença articular, uma vez que perder o excesso de peso e aumentar a força pode ajudar a aliviar o peso sobre as articulações.

A chave é encontrar uma saída criando uma sinergia entre a atividade física e suplementos que possam minimizar o desgaste nas articulações provocados pelo tempo e pelo excesso de uso. Isso permitirá uma regeneração articular sem se privar de todos os benefícios de uma atividade física.

Alguns suplementos podem beneficiar as pessoas que sofrem de problemas articulares. A glucosamina, por exemplo, é uma das respostas mais eficazes para este paradoxo comum, as pesquisas mostram que essa substância pode aliviar significativamente a inflamação, melhorar a função articular e combater a degeneração. Outros compostos podem trabalhar em conjunto com a glucosamina e reforçar o seu efeito, trata-se do sulfato de condroitina e principalmente do methylsulfonylmethane (MSM), que pode reduzir a dor e o inchaço, além de aumentar a flexibilidade e a mobilidade. A marca comprovada eficiente é a "VRP", dos USA.

SAMe e osteoartrite

A osteoartrite é uma conseqüência natural do envelhecimento das articulações. Ela ocorre quando o tecido cartilaginoso torna-se rígido, resultando em atrito dos ossos na área afetada.

Posteriormente esse atrito causa inflamação e progressivamente a diminuição da mobilidade, podendo levar à completa perda da função. Pesquisadores estimam que milhões de pessoas entre 35 a 65 anos sofrem de algum grau de osteoartrite.

Atualmente as opções disponíveis pela medicina dita "convencional" são limitados a aspirina, corticosteróides, inibidores da COX-2 e anti-inflamatórios não esteróides (NSAIDs). Embora estes medicamentos possam efetivamente aliviar a dor, eles não revertem os danos causados na cartilagem.

Além disso, mesmo os mais novos inibidores da COX-2 são normalmente associados a efeitos colaterais graves, como: distúrbios intestinais e úlceras. Claramente podemos observar que necessitamos de novas opções de tratamento e que essas possam ser livres dos efeitos negativos das medicações hoje bastante difundidas, ou que pelo menos esses danos colaterais sejam atenuados.

O efeito do SAMe na osteoartrite é pesquisado na Itália desde 1975. Um estudo realizado no Instituto de Medicina Geral Konig na Alemanha testou a eficácia do produto em 108 pacientes com osteoartrite no joelho, no quadril e na coluna. Durante 24 meses do estudo, os pacientes receberam 600 mg de SAMe por dia durante as primeiras duas semanas, seguido de 400 mg diariamente até a conclusão da experiência. Segundo os pesquisadores, a melhora dos sintomas foi relatada após apenas duas semanas do inicio da medicação, e continuou durante todo o tratamento. Alguns efeitos colaterais como náuseas ocorreram em apenas 20 dos pacientes e desapareceram no decorrer do teste.

Em outro estudo, emitido pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, o suplemento demonstrou ser 80% mais eficaz no alívio da dor relacionado à osteoartrite, quando comparado ao placebo. Mais uma vez podemos relatar a importância dessa descoberta, pois as drogas convencionais utilizadas para o tratamento da osteoartrite apresentam muitos efeitos colaterais. Em contra-partida, o S-adenosil-L-metionina além de possuir resultados tão efetivo quando essas drogas, não pronuncia efeitos adversos importantes.

Em suma, a importância desse suplemento para a manutenção da estabilidade biológica não pode ser negligenciada. Há provas irrefutáveis demonstrando que o produto é um tratamento eficaz para muitas doenças relacionadas a idade. Além disso, as pesquisas não param por ai. Atualmente, vários estudos estão sendo executados com o intuito de entender a relação entre a deficiência do SAMe e as inúmeras doenças associadas à idade avançada, como: o câncer, a doença de Parkinson, a doença de Alzheimer, doença cardíaca, demência e transtorno do sono.

Provavelmente em breve teremos uma revolução na medicina com a comprovação dos suplementos que estavam escondidos. A marca mais eficiente é a "Life Extension" – www.lef.org .

Referências:

1. O'Keeffe SA, Hogan BA, Eustace SJ, et al. Overuse injuries of the knee. Magn Reson Imaging Clin N Am. 2009 Nov;17(4):725-39, vii.
2. Dalton SE. Overuse injuries in adolescent athletes. Sports Med. 1992 Jan;13(1):58-70.
3. Swenson TM, Harner CD. Knee ligament and meniscal injuries. Current concepts. Orthop Clin North Am. 1995 Jul;26(3):529-46.
4. Scoggin JF 3rd. Common sports injuries seen by the primary care physician. Part II: Lower extremity. Hawaii Med J. 1998 May;57(5):502-5.
5. Bijlsma JW, Knahr K. Strategies for the prevention and management of osteoarthritis of the hip and knee. Best Pract Res Clin Rheumatol. 2007 Feb;21(1):59-76.
6. Fukuda K. Progress of research in osteoarthritis. Involvement of reactive oxygen species in the pathogenesis of osteoarthritis. Clin Calcium. 2009 Nov;19(11):1602-6.
7. Forster K, Schmid K, Rovati L, et al. Longer-term treatment of mild-to-moderate osteoarthritis of the knee with glucosamine sulfate- a randomized controlled, double-blind clinical study. Eur J Clin Pharmacol 1996;50:542.
8. Qiu GX, Gao SN, Giacovelli G, et al. Efficacy and safety of glucosamine sulfate versus ibuprofen in patients with knee osteoarthritis. Arzneimittelforschung 1998;48:469-74.
9. Herrero-Beaumont G, Ivorra JA, Del Carmen Trabado M, et al. Glucosamine sulfate in the treatment of knee osteoarthritis symptoms: a randomized, double-blind, placebo-controlled study using acetaminophen as a side comparator. Arthritis Rheum 2007;56:555-67.
10. Towheed TE, Maxwell L, Anastassiades TP, et al. Glucosamine therapy for treating osteoarthritis. Cochrane Database Syst Rev 2005;(2):CD002946
11. Poolsup N, Suthisisang C, Channark P, et al. Glucosamine long-term treatment and the progression of knee osteoarthritis: systematic review of randomized controlled trials. Ann Pharmacother 2005;39:1080-7.
12. Bruyere O, Pavelka K, Rovati LC, et al. Total joint replacement after glucosamine sulphate treatment in knee osteoarthritis: results of a mean 8-year observation of patients from two previous 3-year, randomised, placebo-controlled trials. Osteoarthritis Cartilage 2008;16:254-60.
13. Usha PR, Naidu MUR. Randomised, double-blind, parallel, placebo-controlled study of oral glucosamine, methylsulfonylmethane and their combinations. Clin Drug Invest 2004;24:353-63.
14. Kim LS, Axelrod LJ, Howard P, et al. Efficacy of methylsulfonylmethane (MSM) in osteoarthritis pain of the knee: a pilot clinical trial. Osteoarthritis Cartilage 2006;14:286-94.
15. Leeb BF, Schweitzer H, Montag K, et al. A meta-analysis of chondroitin sulfate in the treatment of osteoarthritis. J Rheumatol 2000;27:205-11.
16. Mazieres B, Combe B, Phan Van A, et al. Chondroitin sulfate in osteoarthritis of the knee: a prospective, double blind, placebo controlled multicenter clinical study. J Rheumatol 2001;28:173-81.
17. Verbruggen G, Goemaere S, Veys EM. Systems to assess the progression of finger joint osteoarthritis and the effects of disease modifying osteoarthritis drugs. Clin Rheumatol 2002;21:231-43.
18. Uebelhart D, Thonar EJ, Delmas PD, et al. Effects of oral chondroitin sulfate on the progression of knee osteoarthritis: a pilot study. Osteoarthritis Cartilage 1998;6:39-46.
19. Barnett ML, Kremer JM, St.Clair W, et al. Treatment of rheumatoid arthritis with oral type II collagen. Arthritis Rheum 1998;41:290-7.
20. Barnett ML, Combitchi D, Trentham DE. A pilot trial of oral type II collagen in the treatment of juvenile rheumatoid arthritis. Arthritis Rheum 1996;39:623-8.

Por Ricardo Fonseca