sábado, 17 de setembro de 2011

Faz bem ao coração,...






 Estudos apontam para uma queda em torno de 26% no risco de doenças cardiovasculares entre homens que consomem até 30 gramas de álcool por dia – o que equivale a uma lata de cerveja ou a uma taça de vinho. "Em doses moderadas, o álcool tem se mostrado eficaz na prevenção do infarto", afirma o médico nutrólogo Edson Credidio. Acima disso, ele favorece a formação de radicais livres associados ao entupimento das artérias
...aos rins,...
 Uma pesquisa feita por cientistas finlandeses e publicada no American Journal of Epidemiology indica que aqueles que bebem uma cerveja por dia reduzem em 40% os riscos de ter pedras nos rins. "O resultado é atribuído ao efeito diurético da bebida e a alguns de seus compostos, que inibem a eliminação de cálcio na urina", explica Edson Credidio
...é nutritiva,...
 Além dos benefícios do teor alcoólico, a cerveja é rica em nutrientes: sais minerais, antioxidantes e vitaminas do complexo B, como o ácido fólico, que previne tumores no cólon, na bexiga e nos pulmões
...mas dá barriga
 "Bebidas alcoólicas estimulam a produção de insulina, um hormônio que favorece o acúmulo de gordura abdominal", explica o endocrinologista João César Castro Soares, 
do Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo
 "Por ter baixo teor alcoólico, a cerveja costuma ser consumida em quantidades maiores se comparada ao vinho, por exemplo, o que engorda ainda mais", diz a nutricionista Cynthia Antonaccio, de São Paulo. Anote: duas latinhas de cerveja somam 300 calorias


Pequeno glossário da cerveja

As cervejas são divididas em duas famílias principais – o que as diferencia é o tipo de fermentação. As lagers são de baixa fermentação. Produzidas a temperaturas entre 8 e 14 graus, têm aroma suave, graças às leveduras que se depositam no fundo do tanque. A maior parte das cervejas gourmet são ales, de fermentação alta. Mais populares na Europa, são produzidas a temperaturas entre 15 e 24 graus e têm sabor frutado. Sua tonalidade varia do dourado ao marrom-escuro. A seguir, as cervejas mais consumidas em cada um desses grupos:
Lagers
Pilsen – A preferência nacional é a pilsen estilo americano, um tipo de lager clara (pale lager), leve e com teor alcoólico de 3% a 5%. Entre as mais consumidas estão Antarctica, Skol, Stella Artois e Brahma Chopp
Bock – Originária da Alemanha, é escura, em geral. A cor se deve ao malte torrado. É adocicada e mais forte – o teor alcoólico chega a 7%
Escuras ou dark lagers – A tonalidade é marrom-escura e o teor alcoólico, por volta de 5%. No Brasil, fazem parte desse grupo a Xingu e a Bohemia Escura
Ales
Pale Ale – Cerveja clara, suave e com teor alcoólico de até 6%. Entre suas variações está a Eisenbahn Pale Ale
Weissbier – O malte é feito de trigo. As marcas mais conhecidas são as alemãs Erdinger e Paulaner, com teor alcoólico
entre 5% e 6%


Stout – A representante mais famosa desse tipo é a Guinness, cerveja irlandesa de gosto forte e cor escura, com teor alcoólico entre 4% e 6%

Bières de Garde – Feitas principalmente na França, são cervejas de rolha, com teor alcoólico entre 6% e 8%. A Jenlain Ambrée é um exemplo
Extra Special Bitter – Mais popular na Inglaterra, equilibra a doçura caramelizada do malte e o sabor amargo. O teor alcoólico varia de 4,6% a 5,2%
Porter – Cerveja escura, típica da Inglaterra. Facilmente confundida com a stout, tem de 1% a 2% menos álcoo

Por de Iracy Paulina