terça-feira, 29 de novembro de 2011

Homens perdem peso mais fácil porque têm até 20% mais músculos

Massa magra é motor do corpo e ajuda maior parte das reações químicas. Na menopausa e andropausa, a testosterona cai e a gordura aumenta.



Os homens têm mais massa magra que as mulheres, motivo pelo qual perdem peso com mais facilidade. Isso porque os músculos são o motor do corpo e promovem a maior parte das reações químicas que transformam nutrientes em energia, o que garante a queima calórica.

Nas células musculares, organelas chamadas mitocôndrias são responsáveis pelo gasto energético. Os músculos também ajudam no metabolismo basal, que é a queima do organismo em repouso, necessária para manter o funcionamento dos órgãos vitais. Quando os homens diminuem a ingestão de alimentos e fortalecem a massa magra, aumentam ainda mais esse gasto.


Segundo os endocrinologistas Alfredo Halpern e João Eduardo Salles, a mulher concentra mais gordura no quadril, culote, bumbum, coxas, cintura e seios. Já a silhueta masculina é mais marcada na barriga.

Quando entram na menopausa, as mulheres ganham ainda mais massa gorda, que costuma se acumular no abdômen. Como o ovário para de funcionar, cai a produção de testosterona, hormônio masculino que ajuda no crescimento dos músculos.

Os homens também costumam aumentar de peso na andropausa, porque, assim como as mulheres, sofrem uma redução na produção de testosterona, adquirindo massa gorda e perdendo a magra.

O metabolismo pode ser acelerado com a atividade física, mas não é possível saber quanto tempo ele fica acima do nível, pois isso depende da intensidade do exercício.

Para aumentar o metabolismo basal e queimar calorias até dormindo, os médicos recomendaram controlar a alimentação, fazer atividade aeróbica e também musculação. Dormir bem também ajuda. Segundo Salles, quem descansa pouco e mal reduz até 36% a taxa de metabolismo basal e acaba engordando mais.

Além disso, receber leite materno na infância previne a obesidade na vida adulta, de acordo com Halpern.

Fonte: http://www.educacaofisica.com.br/noticias/homens-perdem-peso-mais-facil-porque-tem-ate-20-mais-musculos

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Fisiculturista Frank Zane


  • Name:  Frank Zane
  • Location:  California, USA
  • Born:  June 28, 1942
  • Height:   5'9" 
  • Off Season Weight:  ??
  • Competition Weight:  180 lbs.

Títulos
  • 1983 Olympia - IFBB, 4th 
  • 1982 Olympia - IFBB, 2nd 
  • 1980 Olympia - IFBB, 3rd 
  • 1979 Olympia - IFBB, LightWeight, 1st 
  • 1979 Olympia - IFBB, Overall Winner 
  • 1978 Olympia - IFBB, 1st 
  • 1977 Olympia - IFBB, Short, 1st 
  • 1977 Olympia - IFBB, 1st 
  • 1976 Olympia - IFBB, LightWeight, 2nd 
  • 1975 Olympia - IFBB, LightWeight, 4th 
  • 1974 Olympia - IFBB, LightWeight, 2nd 
  • 1972 Universe - Pro - NABBA, Short, 1st 
  • 1972 Universe - Pro - NABBA, Overall Winner 
  • 1972 Olympia - IFBB, 4th 
  • 1971 Universe - Pro - NABBA, Short, 1st 
  • 1970 Universe - NABBA, Medium, 1st 
  • 1970 Universe - NABBA, Overall Winner 
  • 1969 Mr World - IFBB, Medium, 1st 
  • 1969 Mr World - IFBB, Overall Winner 
  • 1968 Universe - IFBB, Short, 1st 
  • 1968 Universe - IFBB, 1st 
  • 1968 Mr International, Overall Winner 
  • 1968 Mr America - IFBB, Medium, 1st 
  • 1968 Mr America - IFBB, Overall Winner 
  • 1967 Mr America - IFBB, Medium, 1st 
  • 1966 Mr America - IFBB, Medium, 1st 
  • 1965 Universe - IFBB, Medium, 1st 


Books
Links para os livros de Frank Zane

Frank Zane


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Fisiculturista Wong Ngai Hong





  • Nome: Wong Ngai Hong
  • Data de nascimento: April 04, 1970
  • Nascido em: Kuala Lumpur, Malaysia
  • Escola: B.S. M.S in Human Nutrition and Food Science, Colorado State University, 1994
  • Nacionalidade: Chinese Malaysian
  • Reside em: Malaysia
  • Estado civil: Single
  • Tempo de fisiculturismo: 15
  • Melhores partes do corpo: Legs, Back
  • Hobbies: Listening to music (hard rock and 80's), watching movies (Gladiator and T-2) and reading.
  • Comidas preferidas em dieta: Frango e arroz
  • Comidas favoritas fora da dieta: Pizza, Chinese food, cheesecake




  • NPC Eastern USA 2002
  • NPC Metropolitan New York 2002
  • IFBB Mr. Asia 1999
  • Mr. Malaysia 1996, 1999


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Entenda por que quimioterapia provoca queda de cabelos


A queda do cabelo durante o tratamento de câncer, por causa da quimioterapia, é o segundo impacto sentido pelo paciente no enfrentamento da doença, depois do diagnóstico, segundo a psicóloga Samantha Moreira, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira.

"Significa perceber-se doente e perder a imagem corporal", afirma o oncologista João Paulo Lima, do Hospital de Câncer de Barretos.

 

Esse efeito colateral abala mais as mulheres, que, sem os cabelos, podem sentir uma perda da feminilidade. Mas os homens também ressentem a perda de cabelo e barba. É o caso do bancário Leandro Ferreira, 26, que trata um câncer de testículo.

Ao ver o cabelo cair em tufos e ficar cheio de falhas por causa da quimioterapia, ele preferiu raspar a cabeça. O mesmo fez o ex-presidente Lula  para se antecipar ao efeito dos medicamentos.

"É dolorido, cheguei a chorar. Por mais que eu tivesse pouco cabelo, ele estava ali, e tirá-lo foi algo imposto, não foi uma opção minha."

Uma dificuldade, conta Leandro, é enfrentar os olhares das pessoas na rua.

"Acho que a careca de quem tem câncer é diferente. A pele fica mais fina. As pessoas olham, medem e pensam: 'Ele está com câncer'."

Segundo Lima, o que mais preocupa os homens é a manutenção da independência e a impotência sexual.

João Marcelo Knabben, 26, faz tratamento contra um tumor que apareceu na língua e atingiu o olho esquerdo. Ele temia mais a náusea e a diarreia, também efeitos colaterais da químio, do que a queda dos cabelos. "Acho até que fiquei melhor com a cabeça raspada."

A dermatologista do Inca (Instituto Nacional de Câncer) Fernanda Tolspoy afirma que a reação depende da vaidade de cada paciente. "Para muitos homens, a perda da barba que cultivam há anos é traumática."

POR QUE CAI

Os remédios usados contra câncer atacam as células que estão se dividindo mais rápido, característica das células do tumor.

Mas as células que dão origem ao cabelo também se replicam em alta velocidade e, por isso mesmo, são mortas pelo tratamento por tabela.

Na radioterapia, a queda dos cabelos é rara, mas a pele pode ficar envelhecida.

Na químio, o cabelo pode cair de forma mais rápida ou gradual, em forma de tufos.

Para evitar as falhas, muitos raspam o cabelo. "É uma forma de encarar a doença de frente, dizer: 'É isso, estou com câncer'", diz Tolspoy.

Foi assim que Rosimeire Venturini, 44, que se trata de um câncer de mama, encarou a perda dos cabelos.

"Você tem de tomar decisões, e é preciso ter coragem para assumir que tem câncer e dizer: 'É hora de lutar'."

Ela conta que, no início do tratamento, deixou o cabelo bem curto. Ao se olhar no espelho, teve uma crise de choro. "Agora que voltou a crescer, pensei: 'Estou chegando à fase final do tratamento, estou vencendo'." 

Por MARIANA VERSOLATO

Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/1010681-entenda-por-que-quimioterapia-provoca-queda-de-cabelos.shtml 

Depois de 30 horas sem beber água, fisiculturista de MT vence Mr Mercosul


Segundo Alex Rezende, preparação para concurso de fisiculturismo durou um ano. Atleta venceu nas categorias até 90kg e over all.


Alex Rezende fisiculturismo mato grosso mr mercosul (Foto: Arquivo Pessoal)Mato-grossense ficou 32 horas sem beber água
para conquistar Mr Mercosul (Foto: Arquivo Pessoal)

Um ano de preparação, dietas e até 32 horas sem beber água. Essa foi a preparação feita pelo mato-grossense Alex Rezende para a conquista do título do Mr Mercosul Classic 2011. Mesmo com todo o sacrifício, o atleta, que venceu a categoria até 90kg e over all, garante que ficou surpreso com a vitória.

- Eu me preparei para ganhar o título da minha categoria, dei o meu máximo para isso, mas não esperava o título over all, que é disputado entre atletas de todas as categorias – revelou Alex.

Alex se dedica ao fisiculturismo desde 2009, mas o Mr Mercosul 2011 foi o seu primeiro título na modalidade. Segundo o atleta, a preparação para uma competição é longa e deve ser seguida com rigor.

- São várias etapas. Primeiro tive que ganhar peso, músculo e gordura, depois começam as dietas, cortamos carboidratos e aumentamos o consumo de proteína, depois o contrário, e na reta final, fiquei 32 horas antes do concurso sem beber água, para facilitar a visualização dos músculos pelos jurados – explica.

O Mr Mescosul, que também é bar tender, falou que ainda não sabe se vai defender o título internacional em 2012.

- Tenho a proposta para voltar lá ano que vem, mas também pensei em competir o Brasileiro, que acontece dois meses antes. Ainda não escolhi qual vou disputar. Infelizmente não consigo disputar as duas, como também trabalho não conseguiria me preparar direito – ressalta
.

Sete mitos sobre emagrecimento



Conheça sete mitos sobre emagrecimento. Foto: Getty Images

Comer depois das 18h engorda? Preciso cortar o carboidrato se quiser perder peso? Dieta é mesmo a melhor forma de entrar na calça jeans? Segundo a Fox News, essas e outras questões são dúvidas comuns entre as pessoas que estão em guerra com a balança. A publicação listou sete mitos muito comuns o assunto é perder peso. Confira:
Mito nº 1 - É proibido comer depois das 20h para não acumular gordura A verdade: seu corpo não sabe a diferença entre o café da manhã ou o jantar. Por isso, a refeição da noite anterior vai entrar no sistema e ser usada nas atividades da manhã seguinte. Mas fique atento: quando estamos cansados, é comum ingerirmos alimentos calóricos. Se você é desses e não abre mão do lanchinho da noite, deixe opções prontas na geladeira (como frutas cortadas ou legumes semi-cozidos) para saciar a fome sem botar a perder a dieta.
Mito nº 2 - Comer pequenas porções de alimentos acelera o metabolismo A verdade: alguns alimentos, incluindo os que contém cafeína, podem fazer o corpo queimar mais calorias. Mas o efeito é pequeno demais para ajudar a perder peso. O que influencia esse processo na verdade é a composição do corpo e o tamanho. Pessoas com maior percentual de massa magra no corpo conseguem queimar mais calorias. Ou seja, invista em modalidades como musculação, pilates e ioga, que estimulam a musculatura do corpo.
Mito nº 3 - Massas fazem você engordar
A verdade: carboidratos são fonte importante de energia para o corpo. O problema é que as pessoas tendem a comer demais desse alimento junto com outros ingredientes - como molhos e carnes - que contém ainda mais calorias. Pense no macarrão (ou outra massa de sua preferência) como um ingrediente e não a base da receita, misturando com outros alimentos como vegetais e carne magra. Também prefira as opções integrais, que vão manter a fome longe por mais tempo.
Mito nº 4 - Café pode ajudar você a perder peso 
A verdade: o café pode momentaneamente diminuir o apetite, mas não é suficiente para ajudar no emagrecimento. Pior: se você tomar muito da bebida, pode ficar ansioso ter problemas de pressão arterial. Outro problema de exagerar na cafeína é que ela altera o padrão de sono e, cada mais, estudos relacionam a perda de peso com boas noites de descanso. O ideal é manter o consumo (incluindo de chás) em duas xícaras por dia. Se adicionar açúcar ou chocolate, não se esqueça de contabilizar as calorias.
Mito nº 5 - Leite pode ajudar você a perder peso 
A verdade: o cálcio faz bem aos ossos, mas não interfere no acúmulo de gordura no corpo. Na verdade, alguns estudos ligaram o consumo de leite com uma maior ingestão de calorias. Não deixe de consumir laticínios, mas prefira as versões light ou desnatado. Se a ingestão de cálcio for o seu foco, é possível encontrá-lo em vegetais de folha escura (espinafre, brócolis, couve etc.)e produtos enriquecidos com o mineral, como leite de soja e suco de laranja.
Mito nº 6 - Fazer dieta é a melhor forma de emagrecer 
A verdade: a curto prazo, o corpo de fato vai perder peso. No entanto, medidas temporárias causam perdas temporárias, e as chances de engordar novamente são grandes. Por isso, o melhor é fazer uma reeducação alimentar e manter a nova alimentação. O plano funciona melhor se aliado a exercícios físicos, que não apenas ajudam a perder os quilos a mais como também a manter o corpo magro.
Mito nº 7 - Comer proteínas e carboidratos separadamente ajuda a perder peso 
A verdade: não existem provas de que comer apenas determinado grupo de alimentos em cada refeição ajuda a emagrecer. Na verdade, unir proteínas com carboidratos integrais (que contém muita fibra) é a melhor maneira de manter o estômago cheio e a fome longe. Apenas saiba escolher: prefira proteínas sem gordura saturada (como carne branca) e carboidratos integrais ou vegetais e frutas. Como demoram mais para serem digeridos, a energia será liberada aos poucos no organismo e a fome vai demorar a bater.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Receitas com endívias e novos doces holandeses são apresentados na Expoflora

Diversas receitas elaboradas com endívias, hortaliça de origem europeia, produzida única e exclusivamente em Holambra, e novos doces holandeses são as novidades gastronômicas da 30ª Expoflora, a maior exposição de flores e plantas ornamentais, da América Latina realizada no interior de São Paulo, entre os dias 1 e 25 de setembro, de quinta-feira a domingo, das 9h às 19h e na quarta-feira, feriado de 7 de setembro.

As endívias estarão no recheio do pannekoek (fala-se panecuque), espécie de panqueca tão tradicional na Holanda como a pizza para os paulistanos, ou sendo recheadas com pasta de bacalhau e servidas com salada verde ao molho balsâmico. As endívias também aparecem gratinas e na forma de lasanha.

Os doces também são de dar água na boca. Em homenagem ao Ano da Holanda no Brasil, a Confeitaria Zoet en Zout criou o Draaimolen (Carrossel Holandês), que mescla o creme de bavorois com o maracujá brasileiro. Da mesma confeitaria vem o Frisse Roos (creme holandês com sabor de rosas). Já a Confeitaria Martin Holandesa apresenta o Stroopwafel (melaço), um waffle raro, feito com melaço de cana e canela, muito consumido em solo europeu. Para servi-lo, seguindo a tradição holandesa, o Stroopwafel deve ser colocado sobre uma xícara de café ou chá para que o recheio amoleça.

Endívia
A endívia é parente de chicória e no Brasil seu consumo começa a popularizar-se somente agora. O único produtor dessa hortaliça está em Holambra, antiga colônia holandesa que mantêm os hábitos, inclusive culinários de seus fundadores.

Na receita de pannekoek lançada para essa edição da Expoflora, a endívia entra como recheio crocante em meio a uma massa macia e poderá ser saboreada na Panekoekeria da Confeitaria Martin Holandesa. Já na receita do restaurante Casa Bela, a endívia mostra a sua versatilidade e tem aproveitada a sua consistência para ser recheada com a pasta de bacalhau.

Além de versátil, a endívia é muito saborosa e pode ser consumida crua, refogada, cozida no vapor ou assada, em receitas salgadas e doces, quentes ou frias. Na Bélgica, sua terra natal, e na Holanda, são conhecidas como witloof, que significa folha branca. O produto é livre de agrotóxicos e, na geladeira do consumidor final, dura até 25 dias.

A endívia apresenta baixa caloria, é rica em cálcio, vitamina A, fibras, potássio e ferro, e, portanto, recomendada por uma dieta alimentar saudável. Uma porção de 50g de endívias (equivalente a uma xícara de chá) contém apenas 8,4kcal, nenhum grama de gordura saturada ou trans, 1,5g de fibra alimentar e 11mg de sódio. A endívia é muito indicada para dietas e não contém glúten.

De acordo com informações da California Vegetable Specialities, a endívia absorve o colesterol na corrente sanguínea e remove toxinas do sistema digestivo. Segundo a Aprifel (Agente fruits et legumes frais, agência de pesquisa e informações sobre frutas e legumes da França), a endívia age como antioxidante, eliminando os radicais livres, e contém selênio, que retarda as células do envelhecimento precoce. 

Variante da chicória, a endívia tem suas peculiaridades, como a forma alongada e folhas tenras, compondo um broto amarelo claro. Enquanto a chicória é cultivada à luz, a cultura da endívia ocorre no escuro. Sua história data de 1843, quando um camponês belga reparou que das raízes da chicória selvagem, deixadas na terra e ao abrigo da luz, despontavam uns rebentos compridos, brancos, adocicados e de textura muito agradável. Deve-se, porém, a Brézier, botânico belga, não só a sua melhoria como a normalização da sua cultura.

Doces holandeses
O Stroopwafel é originário da cidade de Gouda na Holanda. A história atribui a invenção do Stroopwafel ao padeiro Geraldo Kamphuisen, em 1810, ano em que abriu a sua padaria. Ele teria usado sobras de diversas bolachas da produção, como migalhas, e as adoçado com um xarope.

No início do século 19 havia cerca de 100 padarias que faziam o xarope de waffle, em Gouda, única cidade a fazer o Stroopwafel até 1870. Depois, eles passaram a ser feitos e servidos em festas e nos mercados de outras cidades. Embora continuem a ser feitos artesanalmente em tradicionais feiras de ruas na Holanda, a partir do século 20 as fábricas começaram a produzir os Stroopwafels industrialmente, permitindo que este tradicional biscoito holandês ganhasse o mundo. Ele foi trazido para a Expoflora pela Confeitaria Martin Holandesa.

O Draaimolen (carrossel holandês) é uma receita desenvolvida pela Confeitaria Zoet en Zout em comemoração ao Ano da Holanda no Brasil, utilizando elementos dos dois países. O sabor tropical do maracujá foi acrescentado no tradicional creme bavarois, resultando num delicado mousse. Para criar o Frisse Roos (creme holandês sabor rosas), Juliana Meulman, da Zoet en Zoet buscou no fino aroma das rosas a essência para o doce preparado a base de leite e leite condensado para ganhar a consistência de um sorvete.

Receitas

Salada verde ao molho balsâmico e endívia 
recheada com pasta de bacalhau


Modo de preparo:

Ingredientes:
 
Salada verde:
2 Folhas de Alface crespa
2 Folhas de Alface roxa
6 Folhas Rúcula
3 Tomates cereja

Molho balsâmico:
20 ml azeite
1 colher de chá de mostarda clara
10 ml vinagre balsâmico
1 pitada de sal 

Endívia recheada:
30 gr ricota
100g bacalhau dessalgado desfiado
10 gr azeitona preta em fatias
2 colheres de azeite
1 colher de sopa de pimentão vermelho em cubos bem pequenos
1 colher de chá de cheiro verde
1 colher de sopa de cebola em cubos bem pequenos
1 colher de chá de alho
1 colher de sopa de requeijão 
5 folhas de Endívia

Salada verde:
Lave as folhas e corte grosseiramente
Corte os tomates ao meio

Molho balsâmico:
Junte todos os ingredientes e bata no liquidificador para ficar cremoso

Endívia recheada:
Refogue a cebola e o alho em uma parte do azeite
Junte o bacalhau desfiado e refogue
Junte a mistura de bacalhau com a ricota e bata rapidamente no processador
Acrescente o pimentão vermelho, o cheiro verde e o requeijão e misture bem
Recheie as endívias com a pasta

Montagem:
Coloque no centro do prato a salada verde
Em volta dela, coloque as endívias como se formasse raios de sol
Intercale as endívias com os pedaços de tomate
Regue a salada de folhas com o molho balsâmico

Pannekoek de Endívia
 
 
Rendimento:  1 unidades de 20cm (Brotinho)

Massa:
1/2 litro de leite integral
250 gramas de farinha integral
1 ovo
10 gramas de sal

Recheio:
Presunto em fatias (2 unidades)
Endívias cortadas (100 gr)
Queijo Gouda ralado (200gr)
Queijo Prato ralado (200gr)

Modo de Preparo:
Coloque em um recipiente a farinha, e adicione aos poucos o leite misturando lentamente, vá acrescentando todo o restante do leite.
Após bem misturado, adicione os ovos e o sal.
Coloque tudo em um liquidificador e deixe ligado por mais ou menos 1 minuto.
Logo após de misturado, reserve por alguns minutos na geladeira.
Com uma frigideira pequena, leve ao fogo, e a aqueça bem.
Coloque as fatias de presunto.
Adicione lentamente com uma medida de uma concha de sopa, a massa por cima do presunto
Coloque as endívias abertas cobrindo todo o recheio.
Imediatamente cubra com queijo ralado e gratine no forno.
Vire o pannekoek, e deixe fritando por 01 minuto.
Vire novamente na posição inicial e está pronto seu pannekoek de Endívias.

Stroopwafel 
 
 
Rendimento: 20 unidades de 9 cm

Massa:
 250 gramas de farinha de trigo integral
 125 gramas de manteiga derretida
 75 gramas de açúcar 
 1 ovo
 25 gramas de fermento seco para pão
 1 colher de sopa de água morna salgada

Recheio:
200 gramas de melado de cana
125 gramas de açúcar mascavo
100 gramas de manteiga derretida
1 colher de chá de canela em pó

Modo de Preparo:

Massa:
Dissolva o fermento seco na água morna salgada. Misture na farinha de trigo a manteiga, o açúcar, o ovo e por fim o fermento dissolvido. Misture bem todos os ingredientes e deixe descansar de 30 a 60 minutos. Enrole a massa e depois corte em bolinhas. Coloque as bolinhas em uma grelha própria para fazer os waffles com temperatura bem alta e fecha a grelha. Deixe assar por uns 30 segundos. Abra a grelha para retirar o waffle e corte-o imediatamente no meio e reserve para passar o recheio.

Recheio:
Derreta o açúcar mascavo na panela, coloque a manteiga, a canela em pó e o melado, mexa bem até dar um ponto de calda mais encorpada.
Logo após, coloque o recheio no meio das bolachas cortadas, e faça um sanduíche: está pronto seu Stroopwafle.

Draaimolen  (Carrosel Holandês)
 
 
Ingredientes:
200 ml de suco de maracujá
100 g de açúcar refinado
200 ml de creme de leite fresco
1 colher de sopa de gelatina em pó sem sabor
3 colheres de sopa de água (para hidratar a gelatina)
Massa folhada 
Geléia de maracujá

Modo de preparo:
Hidrate a gelatina na água e deixe descansar.
Misture o açúcar com o suco de maracujá e acrescente a gelatina já derretida ao suco. 
Bata o creme de leite fresco em ponto de chantilly e misture delicadamente ao suco. 
Distribua em forminhas. Coloque no freezer para endurecer.
Enquanto isso, asse quadradinhos de 10x10cm de massa folhada.

Montagem:
Quando o bavarois de maracujá estiver firme, desenforme e coloque sobre a massa folhada. Decore com a geléia de maracujá.

Frisse Roos
 
 
 
Ingredientes:
1 litro de leite
1 lata de leite condensado
3 colheres de sopa de amido de milho
Essência de rosas

Modo de preparo:
Coloque todos os ingredientes no fogo, mexendo sempre até engrossar.
Divida em taças e coloque na geladeira para resfriar.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Recordista brasileira de campanhas de lingerie nao faz dieta.

A catarinense Elizabeth Perfoll não dispensa um prato de feijão, arroz e massa.



Quem vê o corpo de Elizabeth Perfoll, 1,81m, 61 cm de cintura e 90 cm de quadril, pode pensar que a modelo, recordista de campanhas de lingerie no Brasil, passa fome para caber nas calcinhas e sutiãs com que posa. Mas ledo engano.

A catarinense, que virou modelo em 1997, quando ganhou aos 13 anos o concurso The Look of de Year, o mesmo que apresentou Gisele Bündchen ao mundo, não passa fome para vestir as lingeries com as quais fotografa. Seu único controle é evitar gorduras e doces. Para manter a forma, joga vôlei, faz musculação e ioga.

"Como arroz, feijão, massas, aipim... Quando exagero na comida, compenso no dia seguinte com uma comidinha mais leve: saladas ou sopa, que é a minha paixão! Amo sopa!", disse Elizabeth.

Ela já perdeu as contas para quantas marcas de lingerie já posou pelo mundo afora desde 2007, quando começou a fazer esse tipo de ensaio. No Brasil, posou para quase todas as grifes conhecidas e desconhecidas. Outro dia, assistindo à TV, Elizabeth se reconheceu em um anúncio de roupas íntimas.

"Ao me ver na TV, nem lembrava que eu tinha filmado aquele anúncio. Tem trabalhos que até esqueço. É muito louco!"

Em seu currículo estão também trabalhos em países como Estados Unidos, Alemanha, Itália e Argentina. E em breve ela embarcará para uma nova campanha na Espanha. A experiência globalizada dá a Elizabeth a autoridade de garantir que a lingerie brasileira é, sem dúvida, a melhor do mundo.

"Nossas calcinhas são iguais aos biquínis que usamos: confortáveis e sensuais. As calcinhas italianas são imensas, parecem uns shorts", disse.

Além de modelo, Elizabeth também é atriz, e seu primeiro trabalho na TV foi como Gisele no programa "Afinal, o que querem as mulheres", da Rede Globo. Casada desde setembro com o engenheiro carioca Marcos Moraes, com quem mora em São Conrado, na Zona Sul do Rio, ela reconhece que o marido sente ciúmes das fotos que faz de lingerie. Mas faz vista grossa.

"Nem dou espaço para esse tipo de sentimento. Ele me conheceu assim, é um trabalho que adoro e nem sei quando vou parar de fazer, pois me dá um bom retorno", disse Elizabeth.

Elizabeth Perfoll (Foto: Joaquim Nabuco / Divulgação)Elizabeth Perfoll já perdeu as contas das campanhas que fez





































Por Luciana Tecidio


 

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

A bela fisiculturista Maitê Bueno Pintya (2011)


Maitê Bueno Pintya, recentemente coroada campeã mundial de uma categoria que incentiva formas mais femininas.


Hoje, a atleta de 1,67 m flutua entre 63 e 65 kg nos períodos fora de competição e vai aos 56 kg em semanas de disputa.

Formada em Pedagogia e aluna do curso de Filosofia, Maitê ainda encontra tempo para encarar o mestrado em Tecnologia da Inteligência.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Álcool: aprecie com moderação.

Da melhora do sistema cardiovascular à redução do risco de asma: cada vez mais pesquisas revelam os ganhos que traz o consumo moderado de álcool

Por Vivian Carrer Elias

vinho

Vinho: bebida traz vários benefícios à saúde graças a uma substância chamada resveratrol (Thinkstock)

O consumo de álcool, ao longo da história, sempre foi associado à saúde. Embora o alcoolismo seja um problema gravíssimo de saúde pública, consumido moderadamente, o álcool pode ser um aliado no combate a diversas doenças. Nos últimos anos, várias pesquisas observaram os benefícios que um consumo moderado de bebida alcoólica pode trazer. A redução de risco de doenças cardiovasculares, neurodegenerativas, artrite e asma são alguns deles, junto com a melhora do quadro de diabetes e o aumento do nível de HDL, ou "colesterol bom", no sangue.

É importante ressaltar, porém, que nenhum estudo relacionou esses benefícios à ingestão de grandes quantidades de bebida alcoólica — pelo contrário, o consumo em excesso só oferece prejuízos à saúde. As vantagens vêm somente com uma ingestão moderada. Para o cardiologista e professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Protásio Lemos da Luz, essa quantidade corresponde a cerca de 30 gramas de álcool por dia, o mesmo que uma ou duas taças de vinho. Também é importante lembrar que muitas dessas pesquisas são de observação, ou seja, analisaram os benefícios em pessoas que consumiram determinada quantidade de álcool, mas não explicam os mecanismos do organismo que levaram a tal.

Existem, contudo, pistas de como o álcool atua no organismo. O que já se sabe é que ele acarreta dilatação dos vasos e aumento do chamado colesterol "bom", o HDL. Essas ações melhoram a função vascular, já que os vasos dilatados se tornam mais flexíveis e resistentes. Além disso, o HDL não deixa as plaquetas se acumularem no sangue, evitando infartos. Esses fatores podem explicar estudos que associam redução do risco de doenças cardiovasculares, melhora do colesterol e de problemas inflamatórios ao consumo de bebida alcoólica. 

O que dizem as pesquisas

Os últimos estudos sobre os benefícios do álcool comentados por especialistas

«
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
»

Consumo moderado de álcool pode reduzir risco de asma

Instituição: Hospital Bispebjerg, Dinamarca

Publicação: Congresso Anual da Sociedade Respiratória Europeia de 2011

Como foi feita: 19.349 irmãos gêmeos entre 12 e 41 anos responderam a um questionário do começo ao fim do estudo, que durou oito anos. Entre o grupo que teve consumo moderado do álcool, ou seja, entre uma e seis unidades por semana de bebida alcoólica, menos de 4% desenvolveram asma. Quem bebia raramente ou nunca bebia apresentou 1,4 vez a mais de chance de desenvolver a condição; os que bebiam exageradamente desenvolveram 1,2 vez chance a mais de desenvolver a doença.

Opinião do especialista: "Essa foi a primeira vez que eu soube da relação entre consumo de bebida alcoólica e asma. Trata-se de uma sugestão, e não de uma demonstração científica clara, já que o estudo não foi controlado. É válida pois foi feita com gêmeos, que possuem genes parecidos, mas mesmo assim eles possuem hábitos diferentes que podem, ou não, ter influenciado no estudo." – Dr. Protásio Lemos da Luz, professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Curva em J — O vinho tinto é uma das bebidas mais associadas, se não a mais, a tais benefícios. Isso não acontece é à toa. Além do teor alcoólico, possui um componente químico chamado resveratrol, que vem da casca de determinados tipos de uva, mas também pode ser encontrado no mate, em chás, na cebola e na maçã. Além de, como o álcool, melhorar a função vascular, tem função antioxidante (combate o envelhecimento das células) e ajuda a manter o organismo mais saudável. "Com a idade, o metabolismo das pessoas se desacelera, se oxida. As substâncias antioxidantes atrasam esse processo", explica o mastologista chefe do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, José Roberto Filassi.

O cardiologista Protásio Luz explica que os estudos sobre álcool obedecem a uma "curva em J": quem bebe muito morre mais; mas os abstêmios apresentam, geralmente, maior mortalidade do que aqueles que bebem pouco. Ele, junto a um grupo do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor), realizou um estudo com ratos no começo do ano, dividindo os animais em três grupos. O primeiro grupo recebeu vinho tinto, o segundo recebeu uma baixa quantidade de resveratrol e o terceiro uma grande quantidade da substância. 

A pesquisa observou que os animais que ingeriram vinho e quantidades pequenas de resveratrol apresentaram melhora na função vascular e fizeram mais exercícios físicos. Os que receberam doses altas de resveratrol, por outro lado, não apresentaram melhoria alguma na condição vascular. "Não podemos dizer, nesse caso, que o resveratrol fez mal, ele simplesmente não fez bem. A proteção da bebida alcoólica se restringe, portanto, a uma quantidade moderada".

Mas para o álcool se tornar um aliado da saúde, afirma o cardiologista Protásio Luz, não basta seu consumo moderado. "É preciso mudar o estilo de vida", afirma. Para ele, o ideal é controlar o peso, seguir uma dieta alimentar saudável e não fumar. "Com tudo isso em dia, o consumo moderado de álcool revelará seus benefícios."

Não é para você

Apesar de a bebida alcoólica, com moderação, proporcionar benefícios para a saúde, ela não é indicada para todos. Existem pessoas que não devem ingerir quantidade alguma de álcool, já que os prejuízos são muito maiores do que as vantagens. Sinal vermelho para quem tem os seguintes problemas:

Doença hepática alcoólica: é a inflamação no fígado causada pelo uso crônico do álcool. Principal metabolizador do álcool no organismo, o fígado é lesionado com a ingestão de bebidas alcoólicas.

Cirrose hepática:
 o álcool destrói as células do fígado e é o responsável por causar cirrose, quadro de destruição avançada do órgão. Pessoas com esse problema já têm o fígado prejudicado e a ingestão só induziria a piora dele.

Triglicérides aumentado: 
o triglicérides é uma gordura tão prejudicial quanto o colesterol, já que forma placas que entopem as artérias, podendo causar infarto e derrame cerebral. O álcool aumenta essa taxa. Portanto, quem já tiver a condição deve manter-se longe das bebidas alcoólicas.

Pancreatite: a doença é um processo inflamatório do pâncreas, que é o órgão responsável por produzir insulina e também enzimas necessárias para a digestão. O consumo exagerado de álcool é uma das causas dessa doença, e sua ingestão pode provocar muita dor, danificar o processo de digestão e os níveis de insulina, principal problema do diabetes.

Úlcera: é uma ferida no estômago. Portanto, qualquer irritante gástrico, como o álcool, irá piorar o problema e aumentar a dor.

Insuficiência cardíaca: por ser tóxico, o álcool piora a atividade do músculo cardíaco. Quem já sofre desse problema deve evitar bebidas alcoólicas para que a atividade de circulação do sangue não piore.

Arritmia cardíaca: de modo geral, ele afeta o ritmo dos batimentos cardíacos. A bebida alcoólica induz e piora a arritmia.                 


Redobre a atenção

Há também aqueles que devem ter muito cuidado ao beber, mesmo que pouco.Tudo depende do grau da doença, do tipo de remédio e do organismo de cada um.

Problemas psiquiátricos: o álcool muda o comportamento das pessoas e pode alterar o efeito da medicação. É arriscada, portanto, a ingestão de bebida alcoólica por aqueles que já têm esse tipo de problema.

Gastrite: é uma fase anterior à úlcera e quem sofre desse problema deve tomar cuidado com a quantidade de bebida alcoólica ingerida. Como pode ser curada e controlada, é permitido o consumo álcool moderado, mas sempre com autorização de um médico.

Diabetes: 
Todos os diabéticos devem ficar atentos ao consumo de álcool. A quantidade permitida dessa ingestão depende do grau do problema, dos remédios e do organismo da pessoa. Recomenda-se, se for beber, optar por fazê-lo antes ou durante as refeições para evitar a hipoglicemia.
Fonte:http://veja.abril.com.br/noticia/saude/aprecie-com-moderacao-os-estudos-que-demonstram-os-beneficios-do-alcool