sexta-feira, 30 de março de 2012

Fisiculturista Mike Mentzer



                                    
Mike Mentzer nasceu em 15 de Novembro de 1951 e morreu em 10 de Junho de 2001, durante a sua vida foi um atleta profissional da IFBB, um empresário e autor bastante conhecido no mundo do bodybuilding internacional.

CARREIRA COMO FISICULTURISTA PROFISSIONAL:

Mike Mentzer começou a competir em campeonatos locais quando tinha apenas 18 anos de idade. O seu primeiro campeonato foi em 1969. Em 1971 sofreu a sua pior derrota, obtendo o 10º lugar no AAU Mr. America que foi ganho por Casey Viator. Mentzer depois considerou a presença de Casey Viator no campeonato importante, pois foi através dele que Mike obteve o contato do seu futuro treinador, Arthur Jones. Depois de um intervalo de vários anos, ele voltou à competição no Mr. America, obtendo o 3º lugar atrás de Robby Robinson e Roger Callar. Mentzer ganhou essa competição no ano seguinte, em 1976. Em 1977 ganhou o North America Championships em Vancouver, Columbia, e competiu uma semana mais tarde no Mr. Universe em Nimes, França onde obteve o 2º lugar mesmo atrás de Kal Szkalak.
Em 1978, Mentzer ganhou o Mr. Universe em Acapulco, México com o primeiro e até agora resultado máximo de 300 pontos, tornando-se a partir desse momento num culturista profissional. Nos finais de 1979, Mentzer ganhou a categoria de pesos pesados no Mr. Olympia, outra vez com uma pontuação máxima, mas no geral perdeu contra Frank Zane, que ganhou o título pela terceira vez. No Mr. Olympia de 1980 obteve o 4º lugar ( num empate com Boyer Coe) atrás de Arnold Schwarzenegger, Chris Dickerson e Frank Zane. Mike reformou-se do culturismo profissional depois deste Mr. Olympia com 29 anos de idade. Até à data da sua morte Mike acredita que o concurso estava viciado a favor de Arnold Schwarzenegger, apesar de os dois se darem bem.

                                 


FILOSOFIA DE TREINO:

Mike Mentzer era um objetivista – uma filosofia desenvolvida por Ayn Rand – Mike insistia que a filosofia e o bodybuilding estão no mesmo nível. Ele era um aluno excepcional na escola. Em certa altura disse “O homem, é uma entidade indivisível, uma unidade integrada de mente e corpo”. É por isso que os seus livros contém um misto de filosofia e bodybuilding. O Objetivismo defende que existe uma realidade, independente dos desejos e caprichos do homem e que a razão é o único meio do homem perceber essa realidade. A filosofia também defende um sistema mercantil à base do laissez-fraire, um mercado sem interferências onde homens e mulheres fazem trocas voluntárias, com benefício mútuo e nunca como escravos ou executores oprimidos.
Mike Mentzer pegou nos conceitos desenvolvidos por Arthur Jones e tentou aperfeiçoá-los. Ao longo de anos de estudo, observação, conhecimento de fisiologia do stress, a informação cientifica mais atual até a data, e com o apoio das suas habilidades de raciciocínio, Mentzer então elaborou e implementou com sucesso a sua própria teoria de bodybuilding. As teorias de Mike Mentzer têm a intenção de ajudar pessoas naturais a atingir o seu potencial genético, sem o recurso a esteróides anabolizantes e no menor intervalo de tempo.
High-Intensity Training the Mike Mentzer Way foi o seu trabalho final. Nele detalhou os princípios do treino com pesos de alta intensidade. O treino com pesos, insistia ele, tinha que ser curto, infrequente, e intenso, de forma a obter os melhores resultados com o menor espaço de tempo possível. Heavy Duty II também expõem este pensamento critico. No seu livro, Mike Mentzer mostra porque é que as pessoas precisam de usar a sua habilidade de raciciocínio para ter uma vida simples e madura, mostrando aos leitores como chegar a esse ponto (este ponto será tocado novamente no final do artigo). O culturismo foi seguido como uma componente potencial da existência de um indivíduo, entre outras componentes que valiam a pena e que recomendou no seu livro.
                                 

SISTEMA DE ALTA INTENSIDADE DE MIKE MENTZER:
Enquanto Mike Mentzer estava prestar serviço na Força Aéria dos Estados Unidos da América, ele praticava turnos de 12 horas, e depois continuava com as suas ‘maratonas de treino’, como eram um standard aceite nessa altura. No seu primeiro campeonato onde participou, conheceu o vencedor, Casey Viator. Mentzer aprendeu que Viator seguia a filosofia de treino de alta intensidade (pesado para o maior número máximo de repetições possíveis, até à falha), em sessões muito curtas de treino, 20 a 45 minutos e nada mais. Estes treinos eram infrequentes. Mentzer também aprendeu que Viator trabalhava exclusivamente com as recentes máquinas da Nautilus, criadas e publicitadas por Arthur Jones em Deland, Florida. Mentzer e Jones em pouco tempo se encontraram, e tornaram-se grandes amigos.
Jones literalmente foi o pioneiro dos princípios de treino de alta intensidade nos finais dos anos 60s e começos dos anos 70s. Ele dava ênfase na necessidade de manter forma estrita durante o movimento, movendo os pesos de uma forma controlada e lenta, trabalhando os músculo até à falha completa ( positiva e negativa .. ), e fugir do over-training. Casey Viator obteve resultados fantásticos ao treinar sobre a direcção de Arthur Jones, e Mentzer tornou-se bastante interessado nesta filosofia de treino. Eventualmente, Mentzer conclui que Arthur Jones não estava a aplicar os seus próprios principio, desde esse momento que começou a investigar uma aplicação mais completa. Para isso começou a treinar clientes seus de forma experimental, avaliando de forma perfeita o número de repetições, exercícios, e dias de descanso para alcançar os melhores resultados.
Durante mais de dez anos, o programa de treino HIT (Treino de Alta Intensidade – High Intensity Training) involveu 7-9 sets por treino com base em três dias de treino por semana apenas. Com o advento do bodybuilding moderno onde os culturista se tornaram mais massivos ainda, até aos anos 90s, ele alterou essa rotina até que houvesse menos sets por sessão de treino e mais dias de descanso.
De acordo com Mike Mentzer, os biologistas e fisiologiastas deste o século dezanove sabiam que a hipertrofia está directamente relacionada com a intensidade, não a duração. A maior parte das autoridades no mundo do bodybuilding não têm em conta o severo stress causado no corpo que os pesos fazem, estamos a falar de exercícios de resistência fatigantes levados até ao ponto de falha muscular.
Os cursos de Mike Mentzer na forma de livros e cassetes de áudio, eram vendidos na altura através das revista de musculação, tinham uma popularidade enorme depois da vitória de Mentzer no Mr. Universe de 1978. Esse campeonato criou muito alarido pois foi o primeiro campeonato onde o resultado perfeito de 300 pontos foi atribuído, a Mike Mentzer. Algum tempo mais tarde, Mentzer atraiu mais atenção quando introduziu Dorian Yates ao treino de alta intensidade, colocando-o no seu programa nos primeiros anos da década de 90. Dorian Yates começou a dominar o Mr. Olympia, desde 1992 a 1997.
                         
 
      

A CONTROVÉRSIA EM TORNO DA SUA MORTE:

Depois da sua derrota no Mr. Olympia de 1980, Mike Mentzer enfrentou vários problemas pessoais. No final dos anos 70s foi reportado que andava a usar anfetaminas, confessou depois que apenas as tomava como uma ajuda para facilitar o seu estilo de vida exigente e rápido. Mentzer deixou a Weider Publications pouco tempo depois da sua derrota no Mr. Olympia, ficando financeiramente debilitado como resultado. Em 1985 conseguio arranjar emprego como editor de uma nova revista dedicado ao treino, chamada Workout Magazine, no entanto quando isso falhou em conjunção com a morte do seu pai nesse mesmo ano, Mentzer reportou alguns esgotamentos. De acordo com Peter McGough, editor chefe da FLEX Magazine, inúmeras histórias começaram a aparecer onde Mentzer apresentava um comportamento estranho. Histórias dele a correr nu nas ruas da cidade e a dirigir o tráfego, a falar sobre profecias do fim do mundo e a chegada de extraterrestres foram publicadas em várias revistas nessa altura. Dan Duchaine, um popular escritor na altura sugeriu até que numa determinada altura Mike Mentzer bebeu a sua própria urina. Mike negou esta insinuação numa entrevista dada para a IronMan Magazine em 2001. Mesmo assim, de acordo com McGough algumas destas histórias são verdade. Mentzer também foi regularmente institucionalizado entre 1985 e 1990, pouco tempo antes de largar definitivamente o seu vício pelas anfetaminas. Livre de drogas, Mike Mentzer voltou ao treino e a escrever para a IronMan Magazine, e passou grande parte dos anos 90s a reconquistar o seu estatuto na indústria do bodybuilding.
Mike Mentzer acabou por morrer a 10 de Junho de 2001, por motivos desconhecidos. Ele e a sua família tinham um historial de problemas no o coração.
                                               

TÍTULOS CONQUISTADOS:
  • 1971 Mr. America – AAU, 10th
  • 1971 Teen Mr America – AAU, 2nd
  • 1975 Mr. America – IFBB, Medium, 3rd
  • 1975 Mr. USA – ABBA, Medium, 2nd
  • 1976 Mr. America – IFBB, Overall Winner
  • 1976 Mr. America – IFBB, Medium, 1st
  • 1976 Mr. Universe – IFBB, MiddleWeight, 2nd
  • 1977 North American Championships – IFBB, Overall Winner
  • 1977 North American Championships – IFBB, MiddleWeight, 1st
  • 1977 Mr. Universe – IFBB, HeavyWeight, 2nd
  • 1978 USA vs the World – IFBB, HeavyWeight, 1st
  • 1978 World Amateur Championships – IFBB, HeavyWeight, 1st
  • 1979 Canada Pro Cup – IFBB, 2nd
  • 1979 Florida Pro Invitational – IFBB, 1st
  • 1979 Night of Champions – IFBB, 3rd
  • 1979 Mr. Olympia – IFBB, HeavyWeight (over 200 pounds) 1st, Overall 2nd
  • 1979 Pittsburgh Pro Invitational – IFBB, 2nd
  • 1979 Southern Pro Cup – IFBB, 1st
  • 1980 Mr. Olympia – IFBB, 5th