domingo, 29 de abril de 2012

fisiculturista Chris Dickerson


 

Chris Dickerson (Henri Christophe Dickerson, nasceu em 25 de Agosto de 1939 em Montgomery, Alabama), ele venceu o torneio de Mr. Olymia em 1982. Dickerson foi incluído em 200º no IFBB Hall of Fame ( Hall da fama do IFBB)

 

Títulos no fisiculturismo

  • 1966 Mr New York State - AAU, vencedor geral
  • 1966 Mr Eastern America - AAU, vencedor geral
  • 1966 Mr Atlantic Coast - AAU, vencedor geral
  • 1966 Junior Mr USA - AAU, maior massa muscular, vencedor
  • 1966 Junior Mr USA - AAU, vencedor
  • 1967 Mr California - AAU, vencedor
  • 1967 Mr America - AAU, maior massa muscular, quarto lugar
  • 1967 Mr America - AAU, sexto lugar
  • 1967 Junior Mr America - AAU, maior massa muscular, quinto lugar
  • 1967 Junior Mr America - AAU, quarto lugar
  • 1968 Mr USA - AAU, maior massa muscular, segundo lugar
  • 1968 Mr USA - AAU, vencedor
  • 1968 Mr America - AAU, maior massa muscular, terceiro lugar
  • 1968 Mr America - AAU, terceiro lugar
  • 1968 Junior Mr America - AAU, terceiro lugar
  • 1969 Mr America - AAU, segundo lugar
  • 1970 Mr. Universo - NABBA, Short, vencedor
  • 1970 Mr America - AAU, maior massa muscular, vencedor
  • 1970 Mr America - AAU, vencedor
  • 1970 Junior Mr America - AAU, maior massa muscular, primeiro lugar
  • 1970 Junior Mr America - AAU, vencedor
  • 1971 Mr. Universo - NABBA, Short, vencedor
  • 1973 Mr. Universo - NABBA, Short, vencedor
  • 1973 Mr. Universo - NABBA, Overall vencedor
  • 1973 Pro Mr America - WBBG, vencedor
  • 1974 Mr. Universo - Pro - NABBA, Short, vencedor
  • 1974 Mr. Universo - Pro - NABBA, vencedor geral
  • 1975 World Championships - WBBG, segundo lugar
  • 1975 Mr. Universo - Pro - PBBA, segundo lugar
  • 1976 Mr. Universo - Pro - NABBA, Short, segundo lugar
  • 1976 Universe - Pro - NABBA, terceiro lugar
  • 1976 Olympus - WBBG, quarto lugar
  • 1979 Mr. Olympia - IFBB, Lightweight, quarto lugar
  • 1979 Canada Pro Cup - IFBB, vencedor
  • 1980 Mr. Olympia - IFBB, segundo lugar
  • 1980 Night of Champions - IFBB, vencedor
  • 1980 Grand Prix New York - IFBB, vencedor
  • 1980 Grand Prix Miami - IFBB, vencedor
  • 1980 Grand Prix California - IFBB, vencedor
  • 1980 Florida Pro Invitational - IFBB, vencedor
  • 1980 Canada Pro Cup - IFBB, vencedor
  • 1981 Professional World Cup - IFBB, segundo lugar
  • 1981 Mr. Olympia - IFBB, segundo lugar
  • 1981 Night of Champions - IFBB, vencedor
  • 1981 Grand Prix Washington - IFBB, vencedor
  • 1981 Grand Prix New York - IFBB, vencedor
  • 1981 Grand Prix Louisiana - IFBB, vencedor
  • 1981 Grand Prix California - IFBB, vencedor
  • 1982 Mr. Olympia - IFBB, vencedor
  • 1984 Mr. Olympia - IFBB, décimo primeiro lugar
  • 1990 Arnold Classic - IFBB, oitavo lugar
  • 1994 Mr. Olympia - Masters 50+ - IFBB, primeiro lugar



sexta-feira, 27 de abril de 2012

Para evitar doping acidental, atletas chineses seguem dieta sem carne






A judoca Tong Wen foi suspensa por dois anos em 2009 após exame apontar resultado positivo para clembuterol.


Com a aproximação dos Jogos Olímpicos de Londres, muitos atletas chineses estão sendo submetidos a uma dieta sem carne para evitar a ingestão acidental de substâncias proibidas pelo código antidoping, em um país com muitos escândalos alimentares, destacou a imprensa do país asiático.


Pelo menos 196 atletas da Federação Nacional Chinesa de Esportes Aquáticos, que inclui a natação, não comeram carne nos últimos 40 dias, segundo o jornalYangtze Soir.


Os atletas chineses cobrem as necessidades de proteínas com o consumo de peixe e suplementos de proteína em pó.


Entre os últimos casos de contaminação alimentar na China está o da carne de porco, na qual foi encontrada a substância clembuterol, um agente anabolizante que reduz a gordura e favorece os músculos, mas que é potencialmente prejudicial para os seres humanos e que pode ser considerada doping.


A campeã olímpica chinesa de judô Tong Wen foi suspensa por dois anos em 2009 depois que um exame antidoping deu resultado positivo para clembuterol, um precedente que preocupa as federações esportivas do país.


Os dirigentes chineses decidiram adotar todas as medidas necessárias para evitar problemas na capital britânica.


A China é regularmente afetada por escândalos de alimentação e saúde. Casos de óleos de cozinha reciclados, ovos com corantes nocivos, cogumelos cancerígenos, coalhada de soja, pastilhas com compostos de sola de sapato ou vinhos falsificados e adulterados, entre outros, foram revelados nos últimos meses no país.


Londres 2012 no Terra


O Terra, maior empresa de internet da América Latina, transmitirá ao vivo e em alta definição (HD) todas as modalidades dos Jogos Olímpicos de Londres, que serão realizados entre os dias 27 de julho e 12 de agosto de 2012. Com reportagens especiais e acompanhamento do dia a dia dos atletas, a cobertura contará com textos, vídeos, fotos, debates, participação do internauta e repercussão nas redes sociais.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Mais fotos e informações do fisiculturista Ronnie Coleman.





Ronald Dean "Ronnie" Coleman (nascido em 13 de Maio de 1964 na cidade de Bastrop, estado da Luisiana, é um fisiculturista estadunidense, detentor do recorde de oito títulos consecutivos de Mr. Olympia, feito que ele compartilha com Lee Haney.

Ronnie Coleman se formou em contabilidade na Grambling State University (GSU) em1986. Enquanto universitário, foi membro do time dos GSU Tigers de futebol americano, na época do famoso técnico Eddie Robinson. Após se formar, Ronnie ingressou na polícia como oficial.





















quarta-feira, 25 de abril de 2012

Dieta de baixa caloria pode tornar organismo mais vulnerável a doença intestinal




Capazes de causar inflamações desordenadas em diferentes partes do tubo digestório, área do corpo que se estende da boca até o ânus, a retocolite ulcerativa inespecífica e a doença de Crohn instigam a medicina por não terem uma causa clara. Os especialistas acreditam que os dois tipos de doença inflamatória intestinal (DII) surgem devido a uma mistura de fatores genéticos, ambientais e emocionais. Agora, um estudo com ratos de laboratório publicado recentemente pelo World Journal of Gastroenterology associa casos mais graves da doença a uma alimentação insuficiente.

Na pesquisa, especialistas da Universidade Michigan, nos Estados Unidos, perceberam que camundongos submetidos a uma dieta de baixa caloria morreram mais rápido que outras cobaias depois de todos terem sido contaminados por uma bactéria que ataca o cólon e provoca um quadro semelhante ao da retocolite ulcerativa.

“O estudo revelou que uma pessoa que segue uma dieta com calorias restritas pode impedir o sistema imunológico de responder a uma infecção desse tipo”, esclarece ao Estado de Minas Jenifer Fenton, professora do Departamento de Ciência Alimentícia e Nutrição Humana da universidade norte-americana.

Segundo ela, o estudo busca descobrir por que a ingestão de calorias insuficientes parece ter um impacto tão grande na capacidade do organismo de responder à infecção. “É possível que o mesmo mecanismo da gripe, por exemplo, esteja ocorrendo nas doenças gastrointestinais. Pesquisas futuras investigarão essa possibilidade”, sintetiza Jenifer.



A alimentação é, de fato, um dos fatores relacionados à condição crônica da DII, afirma o gastroenterologista Columbano Junqueira Neto. “Os principais fatores relacionados à fisiopatologia da doença envolvem a resposta imune do indivíduo, fatores ambientais, como hábitos alimentares e tabagismo, e a população de bactérias presentes no intestino, além de, provavelmente, inúmeros outros ainda desconhecidos”, diz.

Para realizar a investigação, a equipe de Michigan manteve três grupos de cobaias sob diferentes regimes alimentares: um rico em calorias e gorduras; outro com 30% de calorias a menos que a quantidade considerada ideal para o organismo e um terceiro com o total adequado de energia. Todas as cobaias foram então contaminadas com a bactéria H. hepaticus, que causa inflamação no cólon e provoca tumores na região. “Esse processo simula as lesões mais graves observadas em humanos que têm câncer colorretal”, explica a professora.

Os especialistas perceberam que o excesso de alimentação não influenciou de forma considerável o quadro de retocolite em relação ao grupo que recebeu uma alimentação balanceada. No entanto, os ratos submetidos a uma dieta de calorias baixas tiveram uma mortalidade maior, assim como se mostraram mais vulneráveis à ação da H. Hepaticus, morrendo antes mesmo do desenvolvimento dos tumores. “Estudos futuros devem examinar melhor a associação entre a porcentagem de gordura e as respostas do sistema imunológico. Entender como a dieta de baixa caloria aumenta a mortalidade nesse modelo pode nos levar a novos tratamentos da doença em humanos”, observa a pesquisadora.

Possibilidades 
Para Paulo Gonçalves de Oliveira, vice-presidente nacional da Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBC), os resultados abrem novas possibilidades de pesquisa, mas devem ser vistos com cuidado. Além de o estudo ter sido realizado em camundongos, que em grande parte das vezes reagem de maneira diferente do homem, há a chance de a restrição de calorias ter levado os animais à desnutrição, que pode tornar o organismo fragilizado e, portanto, mais sujeito à ação de bactérias.

Oliveira, que também é chefe do Serviço de Coloproctologia do Hospital Universitário de Brasília (HUB), lembra que outros estudos mostraram aumento nas mortes de animais com restrição calórica e submetidos a infecção pelo vírus da gripe (Influenza). “A lição que deve ficar talvez seja que uma dieta equilibrada, sem exageros tanto nas restrições quanto nos abusos, represente o melhor caminho para se ter uma vida saudável”, ressalta o médico.

Columbano Neto acrescenta que a obesidade costuma acarretar sérias complicações intestinais, “favorecendo o agravamento da inflamação colônica e dificultando a resposta a medicamentos”. O gastroenterologista Décio Chinzon comenta que o artigo americano é muito interessante, mas também age com cautela.

“O estudo demonstra um processo interessante, mas outras pesquisas devem ser feitas com pessoas para vermos se o resultado é semelhante em humanos. Nos últimos cinco anos, as pesquisas nessa área cresceram muito e procuraram determinar o que pode causar as DII. Nunca achamos um agente causador da doença, e como ela é crônica, não tem cura, apenas tratamento. Se um paciente parar de se tratar, há chances altas de que a doença volte”, pontua Chinzon.

Defesa
O sistema imunológico é a capacidade do organismo de combater bactérias, vírus ou fungos invasores. Ele atua destruindo ou neutralizando os micro-organismos que o corpo reconhece como ameaça. As amígdalas, o baço e a medula óssea são alguns dos órgãos vitais que ajudam nesse tipo de defesa. Problemas como a deficiência de nutrientes, a baixa acidez do estômago, a falta de células brancas no sangue e males podem baixar a imunidade do corpo, deixando-o vulnerável.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Fisiculturista Erik Frankhouser





Erik Fankhouser (nascido em 30 de maio de 1980) é um bodybuilder profissional americano que compete na categoria peso pesado do esporte.


Fankhouser começou o treinamento do peso, enquanto ele era um estudante em West Liberty State College em West Liberty, West Virginia. Ele originalmente treinava para jogar de zagueiro na equipe de futebol da escola e participar da equipe de atletismo de tiro, disco, martelo e dardo


A primeira vitória em torneio de fisiculturismo competitivo aconteceu no NPC Superior Ohio Valley de 2004 com a primeira colocação na divisão júnior.


Ele ganhou o título de Mr. West Virginia em 2005 Mid Atlantic Grand Prix / West Virginia Estados.


Em sua primeira competição nacional, o North American Championship 2006, ele ficou em quarto lugar na categoria pesado.


Em 2007, ele ficou em 16º no Bodybuilding Championships EUA. Com as vitórias que se seguiram, Fankhouser fez história como primeiro atleta da Virgínia Ocidental a se tornar um fisiculturista profissional. Erik ficou em 10º seu primeiro IFBB Pro Contest, em agosto de 2008.


Ele é patrocinado em seu treinamento pela empresa fabricante do Animalpak.Fora do fisiculturismo competitivo, ele trabalha como fisiologista do Hospital Wheeling em Wheeling, West Virginia .
















segunda-feira, 23 de abril de 2012

Frequência cardíaca





Todos nós já ouvimos falar a respeito do controle da frequência cardíaca durante o exercício. Há fórmulas de cálculo que definem as faixas mais recomendadas para a prática esportiva. No entanto, considero que há um aspecto menos divulgado e que merece muita atenção: a recuperação da frequência cardíaca (RFC), obtida 2 minutos após um esforço onde se atinge a freqüência cardíaca máxima (FCmax).

De acordo com os especialistas, quando a FCR está baixa (a diferença entre a FCmax e a FC de recuperação após 2 minutos) o risco de desenvolver doença cardiovascular fica aumentado. Em outras palavras, a FCR não serve somente para avaliar se o indivíduo está “fora de forma”, mas principalmente para alertar se há a chance de comprometimento da saúde.

Um estudo publicado recentemente no conceituado Medicine & Science in Sports and Exercise comprova que devemos (ou deveríamos) monitorar a FCR. Participaram da pesquisa 2.730 pessoas, de ambos os sexos. E todos foram monitorados por 20 anos. A conclusão? Quando a FCR é igual ou menor a 22 batimentos por minuto, o risco cardiovascular fica mais elevado e, nesse caso, há outros fatores de risco, como síndrome metabólica e hipertensão.

Diante destas informações, recomendo que seja avaliada a FCR a cada dois ou três meses. Podemos realizar o mesmo procedimento adotado por este estudo: estágios de esforço de 2 minutos cada, iniciando com uma intensidade bem leve e seguir aumentando a cada intervalo de 2 minutos. Por exemplo, um corredor poderá realizar:
EstágioDuraçãoFC (BPM)Velocidade (km/h)
12min
125
6
22min
134
7
32min
146
8
42min
155
9
52min
163
10
62min
174
11
72min
181
12
82min
196
13
Recuperação2min
141
0

FCR (Fcmax – FC após 2min recup) = 196 - 141 = 55
 


Nesta situação, este corredor apresentou uma FCR considerada saudável. Fica aqui a dica da FCR, como uma avaliação prática e importante para todos nós.

Como está a sua FCR?
>=22 bpm (saudável)
<22 bpm (risco cardiovascular)

Para saber mais: Carnethon, M. R.; et all. Correlates of Heart Rate Recovery over 20 years in a Healthy Population Sample. Medicine & Science in Sports and Exercise., Vol. 44, No. 2, p. 273-279, 2012.

Por Renato Dutra
Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/saude-chegada/saude/frequencia-cardiaca-2/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+saude-chegada+%28Renato+Dutra%29 

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Metamorfose Muscular


Indicação do Draper:

Metamorfose Muscular

http://metamorfosemuscular.blogspot.com.br

Dieta que leva alimento ao estômago por tubo é moda entre noivas nos EUA

A moda de emagrecer com uma sonda nasogástrica.



O método radical é chamado de K-E. Depois de tomar uma anestesia local, um tubo é inserido pelo nariz e chega até o estômago da paciente, bombeando uma mistura de água, proteína e gordura.
Nos Estados Unidos, a nova moda é uma dieta que é o sonho de toda noiva: perder peso rápido pra caber no vestido. Já tem brasileira de olho no tal método, mas os riscos são muito grandes.



É o momento mais aguardado por muitas mulheres.Tudo tem que estar perfeito. As flores, o cabelo, o vestido e o peso!
Com a data marcada para junho, Jessica Schnaider queria perder 5kg até o casamento.
“Eu não tenho uma hora e meia por dia para fazer exercícios, então decidi pedir a ajuda de um médico. Foi quando descobri esta nova dieta e decidi tentar”, conta a noiva.
Ela escolheu um método radical para perder peso: uma dieta chamada K-E. Jessica passou oito dias se alimentando exclusivamente por um tubo.

Uma clínica na Flórida diz que em dez dias de tratamento o paciente pode perder até 10kg. Depois de tomar uma anestesia local, um tubo é inserido pelo nariz e chega até o estômago.
A paciente não precisa ficar hospitalizada, mas tem que carregar um aparelhinho em uma bolsa aonde quer que vá.
É ele que bombeia para o tubo uma mistura de água, proteína e gordura que soma 800 calorias por dia.
Uma mistura que, segundo o doutor Oliver, queima a gordura, mas preserva os músculos.

Jessica conta que ficou feliz com o resultado e que durante a dieta não sentiu fome.
O mais difícil, segundo ela, foi ter que explicar às pessoas que ela não estava doente e que o tubo era para perder peso.
Além de ter coragem, é preciso ter uma boa economia para pagar por essa dieta: os dez dias com o tubo custam, em média, o equivalente a R$ 2,7 mil. Entre os efeitos colaterais o paciente pode sentir tontura, náusea e prisão de ventre.

E, segundo muitos médicos, essa perda de peso rápida pode prejudicar e muito a saúde, além de não garantir a manutenção do peso.

“Problemas de potássio e sódio que predispõe a doenças cardíacas. Problema de ritmo cardíaco e até cálculo renal. Essa dieta não muda o metabolismo do corpo, então não é uma solução a longo prazo. É uma coisa bastante imediata, uma solução a curto prazo. É perigosa”, explica a médica Ane Elise Engel, especialista em obesidade.



terça-feira, 17 de abril de 2012

Mais fatos e fotos do fisiculturista Lee Labrada



Lee Labrada - Historia e momento atual

Lee Labrada (nascido em 08 de março de 1960, em Havana, Cuba) é um fisiculturista profissional da IFBB. Ele foi introduzido no Hall da Fama em 2004.

Filho de imigrantes cubanos, Lee chegou à América com 2 anos de idade. Da capacidade atlética natural, ele praticou vários esportes durante a sua infância e início da adolescência, até que, aos 14 anos, através de alguns amigos, ele descobriu o significado da musculação.



Lee é um homem de pequena estatura (apenas 1,70 metros), mas é essa proporção extraordinária que tem considerado-o como o Frank Zane de hoje. Seus membros são curtos. A cabeça está em perfeito equilíbrio com o resto do corpo. Seus músculos são igualmente desenvolvidos e aparência longilinear o faz parecer muito mais alto.

 

A carreira de Lee foi meteórica. Vitórias em todas as competições para adolescentes.Vitória no campeonato dos EUA e consagração na Copa do Mundo 1985 na Suécia. Lee imediatamente começou a trabalhar e ganhou contundentes vitórias em competições de prestígio, tais como a "Noite dos Campeões" e "Grand Prix". 

Lee, na vida civil, é um engenheiro de renome e casado com uma modelo conhecida que, ironicamente, é 10 centímetros mais alta do que ele.










segunda-feira, 16 de abril de 2012

Fisiculturista Tom Platz



A melhor perna de todos os tempos!
Saiba um pouco mais sobre o fisiculturista com a maior perna do mundo.

Status

* Nome: Tom Platz
* Local: Sul da Califórnia
* Data de Nascimento: 26/06/1955
Biografia

Tom Platz é o fisiculturista mais procurado no mundo do fisiculturismo para dar palestras. Ele atualmente é Professor e Diretor das Ciências do Fisiculturismo na instituição ISSA nos Estados Unidos. Tom tem mestrado na Ciência do Fitness, bacharelado em Ciência da Fisiologia e Nutrição pela Universidade de Wayne State e Michigan State, e ainda mestrado em Administração pela Universidade da California.
  

Tom Plaz se aposentou do fisiculturismo em 1987 e fez uma volta em 1995 ganhando o prêmio de Honorário Mr. America. Ele ainda promove o esporte de forma afetuosa. Tom diz, “Eu só quero com o esporte que eu amo e que ajudou muito em minha vida”. Ele é uma lenda verdadeira e viva no mundo do fitness e fisiculturismo.

 TÍTULOS:  
* 1995 Honorary Mr. America – AAU
* 1987 Detroit Pro Invitational – IFBB, Sexto Colocado
* 1986 Mr. Olympia – IFBB, Décimo Primeiro Colocado
* 1985 Mr. Olympia – IFBB, Sétimo Colocado
* 1984 Mr. Olympia – IFBB, Nono Colocado
* 1982 Mr. Olympia – IFBB, Sexto Colocado
* 1981 Mr. Olympia – IFBB, Terceiro Colocado
* 1980 World Pro Championships – IFBB, Mr. Universe
* 1980 Mr. Olympia – IFBB, Oitavo Colocado
* 1980 Night of Champions – IFBB, Décimo Segundo Colocado
* 1979 Mr. Olympia – IFBB, Oitavo Colocado
* 1978 World Amateur Championships – IFBB Mr. Universe
* 1978 Mr. America – AAU, Short, Segundo Colocado
* 1977 Mr. Southeastern USA – AAU
* 1977 Mr. America – AAU, Short, Segundo Colocado
* 1976 Mr. America – AAU, Short, Terceiro Colocado
* 1975 Mr. Michigan – AAU
* 1974 Junior & Senior State Powerlifting Championships – AAU, 220 Campeão de sua Categoria
* 1974 Teen Mr. America – AAU, Segundo Colocado
* 1973 Mr. Adonis – AAU
* 1973 Mr. Ironman – AAU

quarta-feira, 11 de abril de 2012

RIVALIDADE ARNOLD X SÉRGIO Oliva




Em qualquer esporte que se pratique, quando acontecem as grandes rivalidades, o esporte é elevado em muito, notadamente no quesito emoção. O mundo do bodybuilding não foge a regra: Grimek/Reeves, Reeves/Park, Scott/Pole, Arnold/Franco, Haney/Gaspari foram alguns dos duelos que ocorreram. Contudo, um foi de especial interesse, sendo que até hoje ainda existem discussões sobre quem era o melhor. Sérgio x Arnold

Sérgio trouxe para o mundo do bodybuilding um nível de forma e massa jamais visto. Escalou o ranking muito rapidamente. Após ter sido vitorioso no Mr.Junior América, em 1965, ganhou o América, Mr.Mundo e Mr.Universo num curto espaço de tempo. Em 1967 ganhou o Mr.Olympia, com somente uma fração do físico que o caracterizaria. No ano de 1968, Sérgio entra para competir no Olympia sendo considerado imbatível, quem poderia vencer " o mito"? Bem, talvez um novato vindo da Áustria, chamado Arnold Schwarzenegger

Em 1969,Arnold havia sido levado aos Estados Unidos, por Joe Weider que viu em Arnold, uma enorme possibilidade de vendas. Tanto Sérgio como Arnold, pouco dominavam o inglês, porém pesava o fato de Sérgio, além de negro, ser originário de um país comunista, por isso o interesse de Joe em Arnold, no quesito marketing. No Olympia deste ano, Arnold sofreria a derrota que o levaria a dar uma impressionante volta por cima. Arnold havia sido derrotado por Oliva.

Em sua autobiografia (1977) ,Arnold diz: "Pela primeira vez eu conheci Sérgio em pessoa, passei a entender então o porque de o chamarem de "o mito". Sérgio destrui-me, era enorme, era fantástico, não havia a menor chance de bate-lo

Um novo confronto estabeleceu-se em 1970,desta vez ,após um selvagem período de treinos, Arnold sai vitorioso. Arnold diz: "Quando Sérgio apresentava-se no palco, eu não tirava meus olhos dele, seguia cada movimento seu, porém não mudaria minha coreografia.

Em 1972, o que Arnold tanto temia, estava voltando, ainda maior, devido seus treinos com Arthur Jones, "O Mito", ameaçava de forma clara o reinado de Arnold. Quando Arnold vislumbrou Sérgio nos bastidores do Mr.Olympia deste ano (Essen - Alemanha), teve calafrios semelhantes ao que sentira ao ver Sérgio em 1969, Neste evento, numa decisão por 4 votos a 3,Arnold sai vitorioso, contudo até hoje existem pessoas que contestam esta decisão.

Sérgio, considerando uma injustiça sua derrota, passou a competir no WBBG e na WABBA. Porém em 1983,com 43 anos, Sérgio volta a competir no IFBB, porém sua participação não foi boa, obtendo um oitavo lugar. A partir deste ano, Sérgio pois fim a sua fenomenal carreira.

SÉRGIO E ARTHUR JONES

Em Deland (Flórida) Arthur teve seu primeiro contato com Sérgio, convidando-o a dar sua opinião sobre suas maquinas, para isso convidou-o para voar até Daytona para testa-las. Após estes testes, achou-as completamente diferentes das maquinas regulares. Nesta ocasião, Athur propôs a Sérgio que usa-se uma de suas rotinas supervisionadas por ele. O que foi aceito.

Sérgio iniciou sua rotina com as pernas, a mesma foi feita de tal forma que que não seria possível realizar qualquer outra repetição. A rotina iniciou-se com agachamento até a falha muscular, depois Jones o colocou na maquina de agachamento Nautilus, esta combinação foi um inferno para Sérgio. Depois disso, Sérgio fez supino com barra seguido pela Nautilus Chest Machine, posteriormente mais exercícios para o corpo.

Em uma rotina legendária, Sérgio treinou logo sem seguida a Casey Viator, executando uma rotina de corpo inteiro. Sérgio pensou que não conseguiria cumprir as rotinas por muito tempo, porém segundo sua próprias palavras: "Quando você continua indo, dia após dia, sua força, sua resistência e determinação aumentam, em muito".


O fato de Sérgio ter um braço maior que a cabeça, ocorreu justamente no período de seu treinamento com Jones, em 1972.

Perguntado sobre sua opinião a respeito de Arthur Jones, Sérgio disse: "Qualquer coisa que eu venha a falar sobre Arthur será boa, talvez seja ele, o único homem honesto que eu encontrei no bodybuilding...."
                                               

terça-feira, 10 de abril de 2012

Fisiculturista Sérgio Oliva "O Mito"


"...Sem sombra de duvida o nome Sérgio Oliva é imortal no mundo do bodybuilding. Com uma estrutura , a mais surpreendente, de osso e potência muscular jamais vista em ser humano. Sérgio Oliva construiu um físico que desafia literalmente a imaginação. Imagine um físico com coxas maiores que a cintura. A medida das coxas de Sérgio eram de 30 polegadas (76 cm), no entanto, sua cintura era de apenas 28 polegadas (71 cm). Imagine um físico onde os braços são maiores que a cabeça , e então você poderá começar a apreciar um espécime surpreendente que é Sérgio Oliva...."

Chris Lund – Um dia com Sérgio Oliva – 1982

O INÍCIO DE TUDO
Em 18 de Setembro de 1965, Joe Weider, elaborou o que seria um marco no fisiculturismo profissional, um campeonato chamado "Mr. Olympia". O mesmo ocorreu no Brooklin Academy of Music, localizado na cidade de Nova Iorque. Desde o primeiro vencedor : Larry Scott (1965) até o atual detentor do titulo, Ronnie Colleam (2006), diversos atletas desfilaram pelos palcos deste torneio. Muitos obtiveram grande destaque, principalmente Arnold, que a partir do seu sucesso no Olympia, começou a fazer filmes e muito tempo depois elegeu-se governador da Califórnia.
Não obstante o sucesso de vários atletas, um merece um destaque todo especial. Um cubano, de sorriso fácil, adjetivado como "O mito " ( pelo qual seria conhecido ), " O homem que veio de Marte", suas fotos causavam perplexidade nos bodybuilders da época, inclusive a Mike Mentzer, sendo que uma delas ( posição frontal de braços erguidos – encontrada em sua pagina oficial), tornou-se como sua marca de visita, sendo nomeada por ele como: “pose da vitoria”.

 O INÍCIO NO ESPORTE E O ASILO POLÍTICO
Nascido em Cuba, em 14 de Julho de 1941, na cidade de Guambaco . Sérgio, um atleta
natural , forte e flexível, dirigiu seus esforços para o estilo olímpico. Com 20 anos tornou-se o melhor levantador de pesos do seus país. Representou Cuba nos jogos pan- americanos de 1961 na Jamaica (Kingston ) tendo levantado 198 lbs. Devido ao advento do regime Castrista, nesta oportunidade , tanto Sérgio como todo time de levantamento olímpico de Cuba, pediram asilo político no consulado americano em Kingston.
 SUA CARREIRA NOS ESTADOS UNIDOS
Num primeiro momento, Sérgio estabeleceu-se em Miami, mas por alguma razão, transferiu-se para Chicago. Nesta cidade, não só ele começou a ficar famoso como também o Center of the Arts YMCA Duncan, também aqui ele tornou-se oficial de policia, paralelamente continuava a participar de campeonatos de levantamentos olímpicos, antes de se concentrar exclusivamente no fisiculturismo profissional. Neste período, Bo Gadja, que mais tarde iria transforma-se no Mr América, começou a trabalhar com Sérgio, ensinando-o os macetes do bodybuilding. Devido a sua grande genética e dedicação, Sérgio começou a ser respeitado no meio. Apesar de sua formidável forma, Sérgio não poderia competir no Mr América, já que naquele período, seria impossível algum atleta, que não fosse branco, competir para títulos superiores ao AAU ( União dos Atletas Amadores), por este motivo, Sérgio deixou o AAU e filiou-se ao IFBB.
 OS CAMPEONATOS
Após ter ganho o Mr Mundo em 1966 (IFBB), Sérgio inscreveu-se no Mr Olympia do mesmo ano, porem teve que assistir a vitória de Larry Scott. Após este campeonato, Sérgio, devido a sua excepcional forma, começou a ser tratado como imbatível. Ganhou o Sr. Mundo em 1967 e colecionou 3 títulos consecutivos do Mr. Olympia (1967, 1968, 1969). Neste último, batendo um novato chamado Arnold Schwarenegger. Arnold daria o troco no ano seguinte (1970) e também venceria Sérgio em 1972
TÍTULOS E PARTICIPAÇÕES
  • 1985 Mr. Olympia - oitavo
  • 1984 Mr. Olympia - oitavo
  • 1978 WBBG Mr. Olympus – campeão
  • 1976 WBBG Mr. Olympus - campeão
  • 1975 WBBG Mr. Olympia International - campeão
  • 1974 WBBG Mr. Azteca International - campeão
  • 1973 Mr. International - campeão
  • 1973 WBBG Mr. Galaxy - campeão
  • 1972 WBBG Mr. Galaxy - campeão
  • 1972 Mr. Olympia – segundo
  • 1971 Pro Mr. Universe tall - segundo
  • 1969 Mr. Olympia - campeão
  • 1968 Mr. Olympia - campeão
  • 1967 Mr. Olympia - campeão
  • 1967 Mr. Universe Tall - campeão e no Overall
  • 1966 Mr. Olympia - segundo
  • 1966 Mr. America - segundo
  • 1966 Jr. Mr. America - campeão
  • 1966 Mr. World - campeão
  • 1965 Mr. America - quarto
  • 1965 Jr. Mr. America - secundo
  • 1964 AAU Mr. America - sétimo
  • 1984 Mr. Mid-States - campeão
  • 1964 Mr. Illinois - campeão
  • 1963 Mr. Young Chicagoland – campeão
  • Mr World em 1966