Uma pesquisa realizada pela Escopo (Geomarketing + Pesquisa de Mercado) com 620 pessoas – de idade superior a 18 anos – comprovou que 22,7% das pessoas consomem isotônicos e dentre os consumidores desse tipo de bebida, 37,5% não pratica qualquer tipo de esporte e o alerta está nesse número.
A bebida é um suplemento repositor e é composta de água, uma pequena taxa de carboidratos – de 6 a 8% – e mineras como sódio e potássio suplementos repositores hidroeletrolíticos são basicamente compostos por água, uma pequena taxa de carboidratos (que varia de 6% a 8%) e minerais, como sódio e potássio e é uma boa opção para se hidratar durante o exercício.
E, por isso, ótima para repor energia. Aos que treinam, vale beber o isotônico 15 minutos após comer carboidrato. Tome 1 copinho de plástico (180 ml) meia hora depois de iniciar o treino e reabasteça com a mesma quantidade a cada 30 minutos. Uma garrafa (500 ml) de isotônico já fornece quantidade suficiente de carboidratos e minerais.
Outra boa pedida é tomar isotônico depois de passar mal ou quando estiver de ressaca ou quando suou demais na balada ou em outra situação qualquer. Mas não crie o hábito de tomá-lo diariamente, pois essas bebidas esportivas, ao contrário da água, contêm calorias e, em excesso, podem pesar na balança.
Isotônico natural
Misturar 500 ml de suco de fruta com 500 ml de água e ¼ de colher (sopa) de sal. “Fica bom e dá energia por mais tempo”, diz Dax Moy, personal trainer do Inglaterra.
Água de coco
Um isotônico natural, rico em vitaminas, fibras e minerais. “Sódio e potássio garantem que o corpo absorva rapidamente nutrientes que se perdem durante a transpiração e as funções orgânicas”, aponta Vanessa Leite, nutricionista especialista em psicologia do emagrecimento, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).