terça-feira, 31 de julho de 2012

Phelps where?



Por Antonio Prata.




Sábado os jogos começaram oficialmente e, diante do mar de competições simultâneas, resolvi fazer meu début pela ginástica artística. Parecia-me uma opção acertadamente conservadora: assim como o sujeito que vai à Paris quer ver logo a torre Eiffel, assistir àqueles caras rodopiando em barras e argolas seria ideal para me botar no clima olímpico. Ledo engano. Saí da deslumbrante Arena North Greenwich mais confuso do que qualquer outra coisa.

Posso estar errado, mas a minha primeira impressão é que Olimpíada é como pizzaria de bairro, um negócio mais voltado pro delivery do que pro salão. Enquanto você aí, diante da TV, no conforto do seu lar, ouvia algum especialista dizer que a reversão lateral invertida é um dos movimentos mais difíceis nas barras paralelas e já arriscava comentários como o spinning de calcanhar desse ucraniano tá bem mais ou menos, não, amor?, eu forçava a vista e me perguntava será que esse baixinho no cavalo é o Diego Hypólito?, peraí, o de verde é brasileiro ou australiano?!



A organização sabe que o público não está familiarizado com muitas das modalidades aqui disputadas pelo menos, não ao vivo. Por isso há a tentativa de aproximar ao máximo a experiência in loco da experiência televisiva. Quando os ginastas entram, toca uma música bem Rocky Balboa, e uma trilha sonora de ação ou suspense surge em vários momentos, ajudando a criar tensão nos espectadores.



Durante a prova, uma narradora explica pelos autofalantes o que está acontecendo, mas como tudo é disputado ao mesmo tempo argolas, solo, barra, barras paralelas e salto nem sempre o esportista de quem ela está falando é aquele para quem o pessoal está olhando. Às vezes ela diz veja como o italiano inicia bem seu movimento de solo, e todos estão aplaudindo entusiasticamente a aterrissagem do chinês das barras paralelas. (A aterrissagem, aliás, é a única coisa que o pessoal sabe avaliar: caiu retinho, o público explode em comemoração, deu aquele passinho de bêbado pro lado, e um condolente ohhh ecoa pela arena.)

Portanto, meu caro, se você é um fã de esporte sofrendo por não estar aqui, relaxe. Pode parecer que a pessoa na arquibancada está vivenciando um momento único, vendo um homem nadar 50 metros mais rápido do que qualquer outro já nadou em toda a história da humanidade, mas talvez ela esteja é perguntando pro sujeito ao lado: Rodolfo, qual que é o Phelps?, O Phelps, Marlene? O Phelps não é só na próxima bateria?!, Não, é agora! Falaram que era na raia 4!, Contando daqui pra lá ou de lá pra cá?, Ah, aí eu já não sei. Pergunta pra moço!, Plis, mister, mister: Phelps, where, hein?.

Emagrecer e perder peso não são a mesma coisa.


ENTENDA QUAL A DIFERENÇA ENTRE OS DOIS TERMOS E SAIBA COMO ATINGIR SEU OBJETIVO

Emagrecer e perder peso não é a mesma coisa
Quando falamos em emagrecer as pessoas logo pensam em perder peso. No entanto, ao contrário do que todo mundo pensa, eles não são sinônimos. De acordo com o fisiologista e personal trainer, Givanildo Holanda Matias, a perda de peso está diretamente relacionada com a diminuição da massa corporal, no qual podemos ver os números da balança cada vez mais baixos.
Já o emagrecimento está relacionado apenas à redução de qualquer quantidade de gordura corporal.
Ainda não se convenceu que dá para emagrecer sem perder peso? Segundo o especialista, a principal confusão é ter uma visão equivocada, pois uma pessoa pode perder peso sem necessariamente emagrecer. "Em alguns casos pode até acontecer de reduzir o peso na balança e engordar porque a quantidade de gordura corporal ao invés de reduzir aumentou", afirma Matias que faz questão de esclarecer que, sem dúvida nenhuma, o mais saudável é emagrecer ao invés de perder peso, uma vez que é a quantidade de gordura em excesso que traz vários riscos de problemas de saúde, juntamente com um enorme desconforto estético.

Se você quer emagrecer de forma saudável, mas não sabe mais o que fazer para atingir seu objetivo, o personal trainer explica que para reduzir medidas é essencial que se pratique atividades físicas com predominância dos exercícios aeróbios onde o principal substrato energético utilizado é a gordura. Junto com essas atividades também é interessante desenvolver o trabalho muscular para fortalecer a musculatura e acima de tudo não perder a massa muscular. "Pessoas que só realizam atividade aeróbia correm o risco de junto com a gordura perder massa muscular e isso pode ser considerado como um prejuízo na maioria dos casos", aponta.
Para quem acha que passar horas a fio sem comer é o segredo para emagrecer como num passe de mágica, alguns estudos mostram que pessoas que buscam reduzir medidas apenas à base de dieta chegam a ter 50% da redução do peso vinda da perda de massa muscular, o que não é nada bom. "O mais interessante é associar uma boa alimentação e atividades aeróbias ao trabalho de fortalecimento muscular", diz Matias.
Agora, se você já é obeso e não sabe se deve emagrecer ou perder peso, o fisiologista lembra que o foco para qualquer pessoa deve ser sempre a redução de gordura com a preservação de massa muscular. Mas, no caso de pessoas muito obesas, a redução da massa muscular não será considerada um prejuízo por um bom tempo. "Essas pessoas devem, além da dieta e das atividades aeróbias, fazer o trabalho muscular mais voltado à resistência, e principalmente, envolvendo grandes grupos musculares que trarão maior gasto energético", comenta.
Então, se você não quer perder massa muscular durante o processo de emagrecimento, Matias diz que duas coisas devem ser evitadas: "A falta do trabalho muscular como a musculação, ginástica localizada ou pilates, assim como um grande volume de treino para pouca alimentação. É comum pessoas que querem emagrecer ficarem mais de 2 horas malhando e reduzir bruscamente a ingestão de alimentos. Essa situação pode fazer o organismo usar, além da gordura, a massa muscular como fonte de energia".
Por Paula Perdiz

Fonte: http://cyberdiet.terra.com.br/emagrecer-e-perder-peso-nao-e-a-mesma-coisa-5-1-4-505.html?utm_source=terra&utm_medium=link&utm_campaign=home

sexta-feira, 27 de julho de 2012

7 dicas para emagrecer 10 kg em seis semanas


Os truques estão no livro Six Weeks to OMG: Get Skinnier than All Your Friends, que propõe uma dieta polêmica para o emagrecimento rápido.

 

Imagine uma dieta em que você deve ignorar o café da manhã e os lanchinhos entre as refeições, malhar em jejum e tomar muito café. Apesar de ir contra a todos os princípios defendidos pela maioria dos nutricionistas, o autor dessa nova proposta de emagrecimento, o personal trainer Venice A Fulton (de nome real Paul Khanna), garante que ela funciona.
Suas dicas polêmicas estão descritas no livro “Six Weeks To OMG: Get Skinnier Than All Your Friends” (“Seis semanas para o ‘Oh, Meu Deus’: Fiquei mais magra que todas as suas amigas”, em tradução livre) e foram prontamente criticadas pelos especialistas da área. Em contrapartida, tornou-se um sucesso entre aquelas que querem eliminar as gorduras extras em pouco tempo.
 

Em entrevista ao Huffington Post, Paul disse estar preparado para desafiar seus críticos e que alguns médicos já se mostraram favoráveis a alguns dos hábitos propostos na publicação. Todos os passos sugeridos por ele vieram de pesquisas publicadas em periódicos disponíveis no site da American National Institutes of Health.
Segundo ele, contar clichês científicos em relação à nutrição que ninguém confere é uma vergonha. “Eu não suporto isso. A vida é demasiada curta para perdermos”, afirma.
Em resumo, o livro sugere uma dieta que combina nutrição, bioquímica, genética e psicologia para eliminar os quilos extras e reduzir as celulites. Confira a seguir alguns dos passos polêmicos propostos pelo personal de Londres e selecionados pelo Huffington Post. Porém, antes de segui-los, recomendamos que você consulte um especialista.

1. Pular o café da manhã pode ser saudável

Paul defende que, de manhã, o corpo quase não possui açúcar no sangue, sendo a oportunidade perfeita para queimar a gordura que está estocada nos pneuzinhos. Essa seria a melhor hora do dia para o gasto calórico. Além disso, ele argumenta que nenhuma pesquisa comprovou que pessoas que pulam o desjejum comem mais ao longo do dia.

2. Malhação vai além de intensidade e duração

Para o personal trainer, a intensidade e a duração do treino não são tão determinantes para o gasto calórico durante a malhação do que o horário escolhido para ela. Tendo em vista que é de manhã que o corpo possui menores níveis de açúcar no sangue, a proposta da dieta é apostar na malhação em jejum. Assim, segundo o autor do livro, o emagrecimento seria favorecido.

3. Algumas frutas impedem a perda de peso

Se a maioria das dietas defende o consumo de frutas ao longo do dia, Paul vai pelo caminho oposto. Ele reconhece que elas são ricas em vitaminas, minerais e outros nutrientes, mas também ressalta que elas possuem alta concentração de frutose, um tipo de açúcar que também engorda. Além disso, o composto afeta a liberação de leptina, que é o hormônio da saciedade, o que nos estimula a comer mais.



4. Sucos e smoothies prejudicam a perda de peso

No caso dos sucos e smoothies, os argumentos são os mesmos do item anterior. Isso porque, como em geral são feitos de frutas frescas, eles também são ricos em frutose, o açúcar presente nesses alimentos.

5. Evite os lanches

A regra básica de que é preciso comer de três em três horas para manter o metabolismo acelerado também é contrariada pelo personal trainer. Segundo ele, o corpo precisa ficar sem receber combustível (no caso, alimentos) para poder gastar suas reservas de gordura. Assim, para Paul, nada de lanchinhos de manhã ou à tarde: comer três vezes ao dia já estaria ótimo.

6. Cafeína é amiga da dieta

Na dieta “Six Weeks to OMG”, o cafezinho está liberado. Paul explica que a bebida é uma potente aliada da queima de gordura, pois encoraja as células do organismo a liberar a energia armazenada. A ressalva, no entanto, é que o café deve ser ingerido sem leite ou açúcar.

7. Tome banho frio

Uma das polêmicas dicas do livro passa longe da academia para favorecer o emagrecimento. O personal trainer aconselha as leitoras a tomar um banho gelado pelas manhãs, logo depois de acordar. Isso potencializaria o gasto calórico, fazendo com que o corpo gaste 25 vezes mais energia. Porém, a temperatura deve ficar nos 20 graus, para não levar à hipotermia.
Quem quiser conferir a dieta completa pode comprar o seu exemplar do livro (em inglês) aqui, por aproximadamente 8 libras.

Por Alexandre Campos
Fonte; http://tecmundo.com.br/mega-curioso/27242-7-dicas-para-emagrecer-10-kg-em-seis-semanas.htm






quinta-feira, 26 de julho de 2012

As novas leis do fitness

Você sabia que fazer mais abdominais não garante melhor performance?



A ciência do esporte e nutrição já mudou a visão sobre o treinamento físico muitas vezes. Depois de sustentar a importância dos calçados com amortecimento, nos mostrou, por exemplo, que correr descalço também pode ser bom. Após recomendar cuidado com os altos impactos, passou a recomendar mais impacto para a proteção dos ossos. Agora, novas surpresas podem abalar nossas antigas convicções. Estudos recentes andaram sugerindo que não é preciso fazer tantos abdominais quanto nos mandaram fazer nos últimos anos, que alongar antes da corrida mais atrapalha que ajuda e que o leite de vaca é tão bom quanto qualquer suplemento para a recuperação muscular. Talvez sejam apenas hipóteses passageiras, ou talvez verdades que transformarão o mundo do esporte por muito tempo. Ou, ainda, talvez sejam dicas-chave que servirão de base para mudanças em alguns perfis de atletas e praticantes, mas sem potencial para alterar a vida da maioria. Como diz Walter Thompson, professor da Universidade do Estado da Geórgia (EUA), os melhores parâmetros para saber o que está certo são o bem-estar e a saúde de cada um. Se mal não fizer, tudo bem. Acompanhe as novidades que selecionamos e confira se é o caso de ter uma conversa com seu treinador ou professor de Educação Física.  



Fazer mais abdominais não garante melhor performance 
Nos últimos anos, fomos bombardeados por recomendações sobre a importância de trabalhar a musculatura abdominal e os músculos do core, aqueles que, localizados entre o tórax e o quadril, estabilizam o tronco. Pranchas, exercícios com a bola suíça e em superfícies instáveis tornaram-se mantras nas academias e no treinamento esportivo. 
A teoria por trás disso é que um core forte é o que permite gerar a transferência de forças do chão até as extremidades do corpo, como a que acontece na hora em que um jogador de futebol planta um pé no gramado, equilibra-se sobre ele e dá um chute a gol com a ponta do outro pé, sem desmontar. Acreditava-se que um core fraco resultasse em uma performance medíocre, como chutes ineficientes, dores lombares e até lesões, por permitir que a força sobrecarregasse de maneira incorreta músculos e articulações – daí a insistência dos treinadores em caprichar nos exercícios para essa região do corpo.
Mas essas ideias ainda não são totalmente sustentadas pela ciência do esporte. Um trabalho sobre o tema, publicado em janeiro de 2011 no Journal of Strengh and Conditioning Research, sugere que a estabilidade do core é apenas moderadamente, e não fortemente, relacionada à força e à performance. Na prática, isso significa que a quantidade de abdominais que você fizer não será proporcional aos seus benefícios. “Não acredito que o abdômen deva ser trabalhado mais do que qualquer outra parte do corpo”, disse à SPORT LIFE Thomas W. Nesser,  professor associado da Universidade do Estado de Indiana (EUA) e um dos autores do estudo. 
John Cissik, professor de fitness e recreação da Universidade de Mulheres do Texas (EUA), também nega o papel dos exercícios abdominais na prevenção de lesões na lombar. Numa revisão da literatura científica que ele publicou no Strength Conditioning Journal, ele diz que não é possível confirmar as teorias sobre a função da estabilização do core, pois os estudos mostram resultados confusos. “Esse tipo de exercício não deveria tomar muito tempo de treino do atleta”, defende Cissik. “Existe um bocado de pesquisa mostrando que exercícios funcionais, como agachamentos e levantamento-terra, são tão bons em recrutar os músculos do core quanto os exercícios específicos – então, por que não fazer um único exercício para as duas coisas?”
Na vida real, entretanto, cada treinador vem prescrevendo o que é melhor para cada um de seus atletas. Claudio Pavanelli, preparador físico de Rodrigo Minotauro, do MMA, de Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves, do futebol, e de Átila dos Santos, do basquete, diz que a necessidade de exercícios específicos para o core varia muito de um atleta para outro e também de uma modalidade esportiva para outra. Pranchas, flexão de braços, agachamento e afundo frontal e lateral, além de plataformas vibratórias e plataformas instáveis, fazem parte do treino do core de seus atletas. “Esporte de alto nível sempre exige muito. Quanto melhor o controle corporal, melhor o rendimento e menor a probabilidade de lesões.”
Para Walter Thompson, professor da Universidade do Estado da Geórgia (EUA) e membro do conselho de revisores científicos do Colégio Americano de Medicina do Esporte (ACSM – a autoridade científica mais respeitada no meio), é mesmo um erro achar que os resultados das pesquisas são aplicáveis a qualquer pessoa. Afinal, novas evidências surgem quase diariamente, confirmando ou refutando evidências anteriores. “Os cientistas e praticantes devem encarar as pesquisas como o que elas são: um retrato do que aconteceu a um determinado grupo de pessoas sob intervenções específicas”, diz Thompson. “Temos de ser muito cuidadosos para não mudar a forma como treinamos com base num único estudo, que talvez não sirva para nossos alunos.”

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Que tal um corpo assim?

Atletas do vôlei de praia revelam o segredo para manter a (boa) forma.















Larissa é apontada como o corpo mais bem esculpido de todo o circuito mundial de vôlei de praia


Invejadas pelas mulheres “comuns”, as jogadoras do vôlei de praia têm um corpo impecável. Para elas, manter a forma faz parte do trabalho, mas não deixa de ser um enorme esforço. São horas de treinamento, dieta rígida e muita disciplina. Afinal, quando o uniforme não passa de um biquíni, qualquer gordurinha fora do lugar fica bem à mostra. Então, qual o segredo?
A campeã mundial Juliana Silva acredita que é possível “uma mortal” ficar tão em forma quanto uma atleta, mas que é necessário muita determinação. “Tem que manter uma dieta equilibrada e uma rotina de exercícios bem rígida”, diz. Ela diz ter uma ajudinha da genética, pois sempre teve dificuldade para engordar.
A companheira de Juliana, Larissa França, apontada por muitos como o corpo mais bonito do circuito mundial, concorda com a colega. “É importante ter acompanhamento de nutricionista e educador físico”, conta. A dupla, que joga junta desde 2004, já está se preparando para as Olimpíadas de Londres.
Rotina cruel
Jogar vôlei de praia profissionalmente consome todo o tempo e a energia das atletas. Além do exercício e da dieta, é muito importante manter-se hidratada e proteger-se do sol. “No meu tempo livre, gosto de praticar o ‘nadismo’”, brinca Juliana, ressaltando a importância do descanso na vida do atleta de alto rendimento. 

Para a geração mais nova de atletas, o treinamento também é árduo. A atual campeã da categoria sub-21, Carolina Horta, treina de segunda a sábado, por cerca de cinco horas por dia. Para quem quer manter a forma como a delas, Carolina avisa, “É muito cansativo, precisa de muita força de vontade e comprometimento”. A companheira de treino de Carolina, Luana Benício, acrescenta, “É importante se alimentar bem, comer bastante fruta”.
O corpo “sarado” e bronzeado das jogadoras parece um sonho alcançável. Precisa ter força, dedicação e autocontrole. Dieta restrita, muito exercício e muita, muita, disciplina, são as dicas das atletas para que todas possam, também, ter um corpo de causar inveja. E a, vai encarar?
 É POSSÍVEL SER MUSA
Meta
As moças mais disciplinadas e dispostas a sacrifício têm como chegar ao corpo perfeito. Mas vão ralar um bocado.

Refeições 
Ao longo do dia, as atletas têm pelo menos cinco refeições importantes para fazer. Todas balanceadas e calculadas









BANCO DE DADOS

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Fisiculturista tenta títulos importantes em 2012

Francisco das Chagas é o n°1 no ranking maranhense.



Acumulando títulos desde 2002, o maranhense Francisco dasChagas Ferreira do Nascimento já é um ícone no cenário nacional e internacionaldo fisiculturismo.Após mais de um ano sem competir, o atleta voltou em grandeforma para a Copa Fisic Wellness de Pedreiras, onde faturou a medalha de ouro.Agora o atleta se prepara para as competições que virão no decorrer do ano.
Francisco acumula no currículo títulos importantes como oCampeonato Brasileiro e o Sul-americano. Para ser um atleta de alto nível, ofisiculturista passa por uma preparação rigorosa.
“Acordo às 5h da manhã e faço 10 refeições ao dia paramanter o metabolismo acelerado. Minha preparação é a base carbohidratos, proteínas,vitaminas e minerais. Como sou personal trainer e trabalho na área até às 11heu preciso degradar o carbohidrato acumulado. É um sacrifício enorme”, frisou Francisco.
Natural de Coelho Neto, Francisco é o atual n°1 do rankingmaranhense. Com quase 20 títlulos durante toda a carreira, Francisco afirma quenunca perdeu uma competição no Maranhão desde 2004.
“Às vezes tem pessoas que não competem porque o Franciscovai estar na competição. Acho que deviam estar presente para que pudéssemos divulgarnosso esporte no estado”.
Francisco das Chagas é campeão brasileiro e sul-americano de fisiculturismo / Foo:Biaman Prado
Crescimento
Campeão da Copa Fisic Wellness de Pedreiras, o atleta já observa um grande crescimento do esporte no estado.
“O Fisiculturismo vem crescendo bastante. Não é só umesporte, mas também qualidade de vida. Hoje o próprio governo Federal já ampara todos os atletas.”
Apesar desse crescimen to, as dificuldades enfrentadas pelos atletas no Marnhão ainda fazem com que vários jovens com carreiras promissoras desistam do sonho.
“Sempre dependi somente de mim mesmo para competir e viajar. Tem alguns colaboradores, mas passo por dificuldade para me manter no esporte.”
Francisco agora se prepara para mais um campeonato local ainda este mês no dia 28 de julho, no Teatro João do Vale. Depois, em agosto, omaranhense disputará o Campeonato Brasileiro que ocorrerá em São Luís. Para finalizar a temporada, Francisco disputará a competição mais importante do ano, o Campeonatro Mundial, em Bancoc, na Thailândia no mês de Dezembro.
"Espero me colocar bem nessas competições. Estou trabalhando duro e sei que posso representar bem o Maranhão.
MK3 academia, Pina Premoldados, Centro Elétrico, Xplod nutrition, Lotus empreendimentos, Maranhãomotos, e Óticas Diniz são os colaboradores do trabalho de Francisco das Chagas.
Por Gabriel Mendes

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Dia de Treinamento: pequeno gigante Zanetti sobrevive à 'tortura' das argolas


'Não gosto de ficar olhando os outros. Só penso em mim mesmo', diz ginasta brasileiro de 1,56m, vice-campeão mundial e estreante em Olimpíadas

Enfaixados e desafiados à gravidade, os pulsos passam do branco ao vermelho rapidamente. Assim como o rosto, a cada virada de ponta-cabeça. E o barulho dos ventiladores, no teto do ginásio, girando mais rápido a cada sopro de vento, cria sonoridade quase sombria ao sofrimento. Para aguentar, só com força, muita força. Boa parte dela concentrada nas costas, desproporcionalmente largas. Pendurado nas argolas, o baixinho de 1,56m se agiganta. É Arthur Zanetti, 22 anos, vice-campeão mundial, candidato a ouro nas Olimpíadas de Londres.

selo ginástica Arthur Zanetti Dia de Treinamento (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)

- O mais importante lá vai ser o psicológico. É 70% psicológico e 30% físico. A cabeça tem que estar boa também para conseguir aguentar o que vem de fora, os adversários. O corpo vai estar bem. Hoje, não tenho dor nenhuma.
Arthur é um caso raro na ginástica artística. Diego Hypolito e Sérgio Sasaki, que também estarão em Londres, colecionam lesões e cirurgias. Os dois, assim como ele, são sobreviventes de um esporte belo e brutal.
- Muitos têm potencial e talento, mas poucos têm disciplina para aguentar a dor, as lesões. Aqueles que suportam tudo isso chegam lá, conseguem virar profissionais - sentencia o também baixinho Marcos Goto, treinador de Zanetti.

Arthur Zanetti dia de treinamento ginástica (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)

Zanetti faz abdominais apoiado sobre o cavalo
com alças 
Marquinhos chegou à Sociedade Esportiva Recreativa Cultural (Serc) Santa Maria, em São Caetano do Sul, há 15 anos. Naquela época, o paulista Arthur era um dos meninos da escolinha. Os dois irão às Olimpíadas pela primeira vez. Nos treinos pré-viagem, a tática foi tentar não mudar absolutamente nada na rotina. E evitar se preocupar com o que os outros estão fazendo. O maior adversário em Londres será o chinês Chen Yibing, atual campeão olímpico e tetra mundial.
- Não gosto de ficar olhando os outros. Só penso em mim mesmo. Se você fica olhando os outros, deixa de treinar para isso. Prefiro fazer minha parte e lá na hora a gente vê quem está melhor - diz Zanetti.
Em uma quinta-feira de julho, o GLOBOESPORTE.COM acompanhou um desses árduos dias de treinamento.
Header matéria Dia de Treinamento Londres 2012 (Foto: Editoria de arte GLOBOESPORTE.COM)


7h30m - Zanetti mora em São Bernardo, cidade vizinha a São Caetano no ABC. Ele divide quarto com o irmão mais velho, Victor. E gosta. Os dois são muito próximos. "Mais que amizade, é irmandade", conta. O ginasta toma banho assim que sai da cama, toma café da manhã e pega o carro. No ano passado, comprou um Polo com suas economias. Queria trocá-lo, mas achou melhor esperar. Prefere juntar dinheiro para comprar uma casa ou um apartamento. "Não dá para morar no carro, né?", diz.
9h - De sua casa ao ginásio, sem trânsito, são cerca de 15 minutos. Zanetti chega para o primeiro treino do dia. Faz alongamento, treina um pouco de argola e segue para o solo. Apesar de competir apenas nas argolas, ele treina outros aparelhos.

Arthur Zanetti dia de treinamento ginástica (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)

Zanetti treina com uma camisa da França

11h - Fim do treino. Zanetti pega o carro e segue, pela mesma avenida onde fica o ginásio, até um restaurante para almoçar. É, na verdade, o refeitório da prefeitura de São Caetano. Atletas que recebem auxilio do município podem almoçar ali, assim como todos os funcionários. O cardápio do dia tem arroz, feijão, macarrão, frango, salada de alface e suco de caju.
12h - Não dá para demorar no almoço nesta quinta-feira. Duas vezes por semana, Zanetti e Chico Barreto, também da seleção brasileira, fazem aula de inglês - uma empresa local deu bolsa a eles. É um curso adaptado, com foco em conversação. "Quando a gente viaja, não precisa muito de gramática". A aula vai até as 13h30m e, de lá, Zanetti volta ao ginásio.

ginástica Arthur Zanetti Dia de Treimento (Foto: Gustavo Tílio)
Zanetti e Chico, companheiro na Serc e na
seleção brasileira

13h30m - Quando Zanetti ainda está saindo do curso, outros ginastas já estão chegando à Serc para os treinos da tarde. Um deles é Gabriel Luan, um menino de 11 anos, mochila do time do coração - o Corinthians - nas costas. Estava orgulhoso porque naquele dia o ginásio receberia equipamentos novos. Dali a uma semana, seria palco de uma competição regional. Em uma das paredes, pôsteres de ícones da ginástica e de edições de campeonatos. Virou tradição ali: viajou, traz um pôster e assina. O clube se encarrega de emoldurá-lo e pendurá-lo. "Se voltar sem pôster leva bronca", conta Zanetti.
14h - Deitados sobre os colchões, alguns ginastas despertam da soneca pós-almoço. Marquinhos está arrastando aparelhos de um lado a outro. Zanetti então entra no ginásio, vestindo uma camisa da França. Foi um troca com um atleta francês em um Meeting Internacional. "Sempre quis uma camisa da França. Acho muito bonita, e gosto muito do país. Sempre que possível tento trocar, para ter lembrança de outros países.

Arthur Zanetti dia de treinamento ginástica (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)
Pó de magnésio nas mãos

14h25m - Depois do alongamento, Zanetti tira a camisa e troca a calça por uma bermuda. Sobe no cavalo com alças, mas não para treinar no aparelho. Ele o usa como suporte para uma sessão de abdominais: 20 para cada lado, 20 para frente. Aquecido, veste outra camisa, enfaixa os punhos meticulosamente e caminha em direção às argolas. Para chegar a elas, é preciso usar uma escada. Já dependurado, ele dá um leve chute na plataforma dobrável.
14h40m - Marquinhos sobe as escadas e, na plataforma, segura o corpo de Zanetti na horizontal. Centímetros fazem diferença, podem decidir uma medalha. Lá de cima, ele vê uma queda feia de um outro ginasta no salto e esbraveja: "E essa perninha de sabiá???".

Arthur Zanetti dia de treinamento ginástica (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)

Durante uma das sessões de treino, 13 subidas às argolas

15h15m - Foram 13 subidas à plataforma. No intervalo entre elas, Zanetti retocava as mãos com magnésio, pó branco um pouco mais consistente que talco e giz. A pedido de um fotógrafo, foi mais uma vez às argolas e fez o mais duro dos exercícios: a prancha dorsal. "Os punhos ralam um pouquinho, mas nada demais".
15h30m - Marquinhos termina o treino mais cedo: quinta-feira é o dia em que Arthur pode conversar com a imprensa. Mas há uma folga na agenda: neste mês não há aula na faculdade - está no segundo período de Educação Física. Não fossem as férias, ele seguiria do treino direto para a casa da avó, Neide. Ali, tomaria banho e jantaria antes de ir para a universidade.

ginástica Arthur Zanetti Dia de Treimento (Foto: Gustavo Tílio)Marquinho ajusta os detalhes da série de Zanetti (Foto: Gustavo Tílio)

16h - De férias na faculdade, Zanetti pode voltar mais cedo para casa. Toma banho assim que chega e fica descansando. Gosta de checar e-mails, falar com amigos na internet e de ver televisão.
18h - O destino agora é a casa da namorada, Juliana. Ela, o pai Arthur, Archimedes, a mãe, Rosiane, e o irmão, vão a Londres. Assim que o ginasta conseguiu a vaga, no evento-teste, em janeiro, Rosiane correu para reservar hotel e comprar ingressos.
21h - Neste dia, Zanetti e Juliana não têm programação noturna. Eles gostam de sair para jantar ou ir ao cinema. Adam Sandler é um de seus atores preferidos. Curte comédia ou então ficção científica. Mas se Juliana pedir para ver uma comédia romântica ou qualquer outra coisa, ele concorda. "Ela não pratica esporte e não tem habilidade alguma em nenhum esporte. Não leva nenhum jeito. Como atleta, é uma boa torcedora", conta, rindo.
23h30m - Zanetti volta para casa e dorme. No dia seguinte, a rotina será igual. Esse é o plano do treinador em busca de uma medalha. Para o ginasta, um dia a menos na contagem regressiva.
- Estou indo sem pressão. Tento não pensar em medalha, e sim em fazer minha parte. O resultado que vier é consequência....de tudo.
Consequência de tudo... principalmente, do esforço.

ginástica Arthur Zanetti Dia de Treimento (Foto: Gustavo Tílio)Arthur Zanetti fica de ponta-cabeça nas argolas

Por Gabriele Lomba São Caetano do Sul, SP
Fotos Gustavo Tilio / Globoesporte.com
Fonte: http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/noticia/2012/07/dia-de-treinamento-pequeno-gigante-zanetti-sobrevive-tortura-das-argolas.html

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Gari que treina limpando quer ser o Mister Rio

Fisiculturista, gari treina limpando as ruas da cidade de olho na competição Mister Rio 2012.




Fisiculturista desde 1982, Jorge Veloso também é gari
“A paixão pelo esporte apaga o meu cansaço”. São duas horas de treino por dia, seis trabalhando para a Comlurb, duas fazendo bico de limpeza em uma escola e quatro entregando quentinhas. Apesar da rotina pesada, o fisiculturista Jorge Veloso, de 50 anos, ainda consegue se preparar para os campeonatos da modalidade.
Foi o que fez ao longo desta semana para poder concorrer, nesta sexta-feira, ao Mister Rio 2012. E ele garante: as poucas horas de sono — são apenas cinco por dia, entre os intervalos dos três trabalhos — e muitas de atividade não influenciam a preparação.
— Não abro mão das minhas refeições, são sempre regradas. O resto vou adaptando como posso — diz o atleta, que já possui dez títulos em sua carreira.
E tudo começou com uma preocupação de adolescente. Aos 17 anos, ainda muito magro, Jorge começou a praticar exercícios na praia para poder "encorpar". As atividades, desde essa época, eram conciliadas com muitas outras. Aos 17, além de estudar, trabalhava como entregador de jornais. Os intervalos eram gastos com o esporte.
De lá para cá os treinos só se intensificaram. No ano seguinte, incentivado por um professor, participou do seu primeiro concurso.
— Comecei muito magro, fazendo barra e paralela na praia. Fui para uma academia, fui incentivado e nunca mais parei.


Com 50 anos, o cara é forte pra dedéu e não tem medo de pegar no pesado, seja nas ruas ou na academia.garib3 74 anos, avó e... Fisiculturista!gari2 74 anos, avó e... Fisiculturista! gari1 74 anos, avó e... Fisiculturista!

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Balão intragástrico reduz apetite e só é eficiente com mudança de hábitos

Emagrecer é um desejo da maioria das pessoas. Mas, quando esse desejo envolve a saúde, a necessidade é ainda maior. Algumas pessoas tentam perder peso com tratamentos clínicos, acompanhamento de especialistas como nutricionistas, preparadores físicos e psicólogos, mas mesmo assim, não conseguem.

Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, o excesso de peso e a obesidade aumentaram nos últimos seis anos. A proporção de pessoas acima do peso avançou de 42,7%, em 2006, para 48,5%, em 2011. No mesmo período, o percentual de obesos subiu de 11,4% para 15,8%.

Nesses casos de super obesidade, as pessoas recorrem à colocação do balão intragástrico, um procedimento que reduz a capacidade do estômago pela metade e provoca a perda de apetite e a saciedade, auxiliando no emagrecimento. Mas é importante se consultar com um médico que avalie o caso para recomendar ou não o uso do balão. O endoscopista Eduardo Hourneaux de Moura alerta que o balão é apenas um tratamento temporário, não é definitivo.

Segundo o endocrinologista Alfredo Halpern, o balão é apenas um estímulo para e emagrecimento e é importante manter uma alimentação equilibrada e se consultar com especialistas mesmo após colocar o balão.

De 100 pacientes que colocam, 75 conseguem cumprir a meta mínima, que é perder 10% do peso. Mas, dos pacientes que conseguem emagrecer, 47% recupera o peso após um ano da retirada do balão.

Ou seja, não adianta recorrer ao procedimento se, paralelamente, os hábitos não forem alterados.

A colocação é apenas um tratamento auxiliar, não uma cirurgia, e deve ser temporária, ou seja, o balão permanece no estômago por seis meses, como recomenda o gastroenterologista, Eduardo Moura. Além disso, ele não provoca nenhuma mudança metabólica.

Estudos mostram que, diferente da cirurgia bariátrica, o balão tem eficácia limitada e não provoca mudanças fisiológicas e hormonais capazes de controlar as doenças associadas à obesidade, como diabetes.

Apesar de ser mais recomendado para pessoas com o Indíce de Massa Corpórea (IMC) acima de 50, também podem fazer o procedimento super obesos que precisam fazer uma cirurgia, mas correm alto risco. O uso do balão geralmente serve como um pré-operatório, para reduzir risco anestésico, cirúrgico e clínico.

Segundo o gastroenterologista Eduardo Moura, quando o paciente não tem o IMC acima de 50, é de responsabilidade do médico avaliar a necessidade da colocação do balão intragástrico, mesmo que essa não seja a recomendação do Conselho Federal de Medicina.

Ainda de acordo com o gastroenterologista, pessoas com IMC entre 30 e 35 também podem colocar o balão, desde que tenham alguma doença relacionada à obesidade, como hipertensão, diabetes e problemas articulares.

A maior parte dos pacientes coloca o balão para diminuir peso e fazer a cirurgia bariátrica.

Como é colocado
O balão intragástrico é feito de silicone e o volume de soro que ele armazena varia entre 400 ml e 700 ml. Com o paciente anestesiado ou sedado, ele é colocado através da endoscopia: entra vazio pela boca, passa pelo esôfago e chega ao estômago.

O balão é insuflado através de um conector, que injeta soro fisiológico com azul de metileno para identificar quando ele se rompe. Quando isso acontece, a urina sai azul ou esverdeada, indicando que houve um problema.

Quando o balão esvazia espontaneamente, é como se fosse um pneu de carro que fura e murcha lentamente, não é como uma bexiga que estoura. Nestes casos, ele deve ser retirado. Para ser retirado, também é feita a endoscopia: é feita uma pequena perfuração no balão, é aspirado o líquido e ele é removido.

Nos primeiros dias após a colocação do balão, o paciente pode sentir náusea, vômito e cólica. Isso ocorre porque o corpo tenta expelir o balão. As náuseas são comuns porque o balão aumenta o volume de suco gástrico no estômago na tentativa de colocá-lo para fora.

Dieta
A dieta diária para quem coloca o balão intragástrico varia de 850 a 1200 calorias.

Não é possível quantificar somente uma refeição, pois vai depender da forma como o paciente consegue ingerir. O importante é que a pessoa hidrate-se ao longo do dia.

O paciente mantém uma dieta líquida nos primeiro 21 dias após a colocação do balão. Nessa fase só é permitido tomar isotônicos, água de coco, picolé de frutas e chá. Após este período, são acrescentados alimentos mais cremosos, como sopas. Depois de 30 dias, o paciente começa a ingerir alimentos sólidos, mas numa quantidade muito pequena.

Alerta
O Conselho Federal de Medicina (CFM) diz que é proibido qualquer anúncio de procedimentos em jornais. Porém, a punição ao médico só ocorre se o CFM for comunicado.

Isso pode ocorrer de três formas: através de denúncia, matéria publicada na imprensa ou quando um paciente que teve problema em decorrência do procedimento entra com ação contra o médico. A partir disso, o CFM abre sindicância para apurar o caso. O médico pode ser simplesmente advertido ou até cassado.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Nove motivos para incluir o painço na dieta

Grão favorece o emagrecimento, dá energia e previne o câncer de mama

POR CAROLINA GONÇALVES
FONTE: http://www.minhavida.com.br/alimentacao/galerias/15344-nove-motivos-para-incluir-o-painco-na-dieta
Pequeno, redondinho e amarelo, o painço também é chamado de milho alvo e tem sua origem na China. Apesar de ser muito usado para alimentar pássaros, a introdução desse cereal no nosso cardápio ajuda tanto na dieta para controlar do peso quanto na prevenção de diversas doenças. Segundo a nutricionista Joana Lucyk, da clínica Saúde Ativa, em Brasília, o painço pode ser consumido na forma de farinha, como ingrediente de sucos e bolos ou adicionado à comida, assim como se faz com a farinha de linhaça e de banana verde. Confira todos os benefícios que esse grão traz para a sua saúde: 
DE 9
painço - Foto: Getty Images

Ajuda a emagrecer e controlar o peso

O painço é uma rica fonte de fibras. "Elas ajudam na digestão e no funcionamento do intestino" afirma nutricionista Daniela Jobst, especialista do Minha Vida. Além disso, esses nutrientes dão mais saciedade, deixando a fome longe por mais tempo e favorecendo o emagrecimento. 
mulher segurando um coração de papel - Foto: Getty Images

Protege o coração

Segundo a nutricionista Joana, o painço é fonte de magnésio, um mineral que ajuda a regular o colesterol e a pressão arterial, fatores que podem diminuir o risco de infarto e outras doenças cardíacas. "No entanto, todos esses benefícios só são aproveitados se acompanhados de uma dieta saudável", lembra a especialista.  
diabetes - Foto: Getty Images

Controle do diabetes

"As fibras presentes nesse grão ajudam na absorção de glicose pelo organismo ? uma ótima vantagem para quem tem diabetes", diz Daniela Jobst. Segundo a nutricionista, o magnésio é outro nutriente do painço que está envolvido no controle da glicemia, ajudando o portador de diabetes a controlar melhor a doença. 
idosa levantando peso - Foto: Getty Images

Ossos fortes

Magnésio, manganês e fósforo são os nutrientes do painço que ajudam a manter os ossos mais fortes. "O fósforo e o manganês participam da formação dos ossos, já o magnésio ajuda na absorção do cálcio, essencial para manter a estrutura óssea forte, prevenindo a osteoporose", explica a nutricionista Joana.  
mulher feliz - Foto: Getty Images

Energia para o corpo

Se você anda muito desanimado e sem disposição, deixe de moleza e invista no painço. Segundo Joana Lucyk, ele é rico em carboidratos e fósforo, nutrientes essenciais para que o nosso corpo tenha mais energia. "Quando ingerimos carboidratos, eles se transformam em moléculas de ATP, responsáveis por dar energia para que nossas células funcionem a todo o vapor", diz a nutricionista. "O fósforo também é indispensável para a formação de ATP pelo nosso organismo." 
mulher com dores lombares - Foto: Getty Images

Pedras na vesícula

Esse benefício fica a cargo das fibras, que podem evitar o surgimento de cálculo biliar. "Alimentos ricos em fibras, como o painço, diminuem a absorção de gordura e a secreção de bile, protegendo a vesícula dos cálculos", diz a nutricionista Joana. 
mulher apalpando as mamas - Foto: Getty Images

Câncer de mama

"Assim como a linhaça, o painço possui lignanas, substâncias capazes de regular os hormônios femininos, principalmente na menopausa e em períodos menstruais", diz Daniela Jobst. Com os hormônios regulados e uma alimentação saudável, os riscos de câncer de mama poderão ser bem menores. 
mulher olhando as rugas no espelho - Foto: Getty Images

Antienvelhecimento

O painço é rico em antioxidantes, essenciais para a varredura de radicais livres no organismo. "Os radicais livres são substâncias constantemente produzidas pelo corpo que danificam as estruturas celulares, comprometendo o seu funcionamento e favorecendo o aparecimento de doenças", diz a nutricionista Joana.  
mulher feliz - Foto: Getty Images

Felicidade em dobro

Fonte de uma substância chamada triptofano, o painço ajuda na produção de serotonina, hormônio responsável pelo bom humor. "O magnésio, também presente no painço, ajuda na conversão do triptofano para serotonina", diz a nutricionista Daniela. Por isso, que come painço tem felicidade dupla, já que ingere tanto o triptofano como também o magnésio.