quinta-feira, 19 de julho de 2012

Dia de Treinamento: pequeno gigante Zanetti sobrevive à 'tortura' das argolas


'Não gosto de ficar olhando os outros. Só penso em mim mesmo', diz ginasta brasileiro de 1,56m, vice-campeão mundial e estreante em Olimpíadas

Enfaixados e desafiados à gravidade, os pulsos passam do branco ao vermelho rapidamente. Assim como o rosto, a cada virada de ponta-cabeça. E o barulho dos ventiladores, no teto do ginásio, girando mais rápido a cada sopro de vento, cria sonoridade quase sombria ao sofrimento. Para aguentar, só com força, muita força. Boa parte dela concentrada nas costas, desproporcionalmente largas. Pendurado nas argolas, o baixinho de 1,56m se agiganta. É Arthur Zanetti, 22 anos, vice-campeão mundial, candidato a ouro nas Olimpíadas de Londres.

selo ginástica Arthur Zanetti Dia de Treinamento (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)

- O mais importante lá vai ser o psicológico. É 70% psicológico e 30% físico. A cabeça tem que estar boa também para conseguir aguentar o que vem de fora, os adversários. O corpo vai estar bem. Hoje, não tenho dor nenhuma.
Arthur é um caso raro na ginástica artística. Diego Hypolito e Sérgio Sasaki, que também estarão em Londres, colecionam lesões e cirurgias. Os dois, assim como ele, são sobreviventes de um esporte belo e brutal.
- Muitos têm potencial e talento, mas poucos têm disciplina para aguentar a dor, as lesões. Aqueles que suportam tudo isso chegam lá, conseguem virar profissionais - sentencia o também baixinho Marcos Goto, treinador de Zanetti.

Arthur Zanetti dia de treinamento ginástica (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)

Zanetti faz abdominais apoiado sobre o cavalo
com alças 
Marquinhos chegou à Sociedade Esportiva Recreativa Cultural (Serc) Santa Maria, em São Caetano do Sul, há 15 anos. Naquela época, o paulista Arthur era um dos meninos da escolinha. Os dois irão às Olimpíadas pela primeira vez. Nos treinos pré-viagem, a tática foi tentar não mudar absolutamente nada na rotina. E evitar se preocupar com o que os outros estão fazendo. O maior adversário em Londres será o chinês Chen Yibing, atual campeão olímpico e tetra mundial.
- Não gosto de ficar olhando os outros. Só penso em mim mesmo. Se você fica olhando os outros, deixa de treinar para isso. Prefiro fazer minha parte e lá na hora a gente vê quem está melhor - diz Zanetti.
Em uma quinta-feira de julho, o GLOBOESPORTE.COM acompanhou um desses árduos dias de treinamento.
Header matéria Dia de Treinamento Londres 2012 (Foto: Editoria de arte GLOBOESPORTE.COM)


7h30m - Zanetti mora em São Bernardo, cidade vizinha a São Caetano no ABC. Ele divide quarto com o irmão mais velho, Victor. E gosta. Os dois são muito próximos. "Mais que amizade, é irmandade", conta. O ginasta toma banho assim que sai da cama, toma café da manhã e pega o carro. No ano passado, comprou um Polo com suas economias. Queria trocá-lo, mas achou melhor esperar. Prefere juntar dinheiro para comprar uma casa ou um apartamento. "Não dá para morar no carro, né?", diz.
9h - De sua casa ao ginásio, sem trânsito, são cerca de 15 minutos. Zanetti chega para o primeiro treino do dia. Faz alongamento, treina um pouco de argola e segue para o solo. Apesar de competir apenas nas argolas, ele treina outros aparelhos.

Arthur Zanetti dia de treinamento ginástica (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)

Zanetti treina com uma camisa da França

11h - Fim do treino. Zanetti pega o carro e segue, pela mesma avenida onde fica o ginásio, até um restaurante para almoçar. É, na verdade, o refeitório da prefeitura de São Caetano. Atletas que recebem auxilio do município podem almoçar ali, assim como todos os funcionários. O cardápio do dia tem arroz, feijão, macarrão, frango, salada de alface e suco de caju.
12h - Não dá para demorar no almoço nesta quinta-feira. Duas vezes por semana, Zanetti e Chico Barreto, também da seleção brasileira, fazem aula de inglês - uma empresa local deu bolsa a eles. É um curso adaptado, com foco em conversação. "Quando a gente viaja, não precisa muito de gramática". A aula vai até as 13h30m e, de lá, Zanetti volta ao ginásio.

ginástica Arthur Zanetti Dia de Treimento (Foto: Gustavo Tílio)
Zanetti e Chico, companheiro na Serc e na
seleção brasileira

13h30m - Quando Zanetti ainda está saindo do curso, outros ginastas já estão chegando à Serc para os treinos da tarde. Um deles é Gabriel Luan, um menino de 11 anos, mochila do time do coração - o Corinthians - nas costas. Estava orgulhoso porque naquele dia o ginásio receberia equipamentos novos. Dali a uma semana, seria palco de uma competição regional. Em uma das paredes, pôsteres de ícones da ginástica e de edições de campeonatos. Virou tradição ali: viajou, traz um pôster e assina. O clube se encarrega de emoldurá-lo e pendurá-lo. "Se voltar sem pôster leva bronca", conta Zanetti.
14h - Deitados sobre os colchões, alguns ginastas despertam da soneca pós-almoço. Marquinhos está arrastando aparelhos de um lado a outro. Zanetti então entra no ginásio, vestindo uma camisa da França. Foi um troca com um atleta francês em um Meeting Internacional. "Sempre quis uma camisa da França. Acho muito bonita, e gosto muito do país. Sempre que possível tento trocar, para ter lembrança de outros países.

Arthur Zanetti dia de treinamento ginástica (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)
Pó de magnésio nas mãos

14h25m - Depois do alongamento, Zanetti tira a camisa e troca a calça por uma bermuda. Sobe no cavalo com alças, mas não para treinar no aparelho. Ele o usa como suporte para uma sessão de abdominais: 20 para cada lado, 20 para frente. Aquecido, veste outra camisa, enfaixa os punhos meticulosamente e caminha em direção às argolas. Para chegar a elas, é preciso usar uma escada. Já dependurado, ele dá um leve chute na plataforma dobrável.
14h40m - Marquinhos sobe as escadas e, na plataforma, segura o corpo de Zanetti na horizontal. Centímetros fazem diferença, podem decidir uma medalha. Lá de cima, ele vê uma queda feia de um outro ginasta no salto e esbraveja: "E essa perninha de sabiá???".

Arthur Zanetti dia de treinamento ginástica (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)

Durante uma das sessões de treino, 13 subidas às argolas

15h15m - Foram 13 subidas à plataforma. No intervalo entre elas, Zanetti retocava as mãos com magnésio, pó branco um pouco mais consistente que talco e giz. A pedido de um fotógrafo, foi mais uma vez às argolas e fez o mais duro dos exercícios: a prancha dorsal. "Os punhos ralam um pouquinho, mas nada demais".
15h30m - Marquinhos termina o treino mais cedo: quinta-feira é o dia em que Arthur pode conversar com a imprensa. Mas há uma folga na agenda: neste mês não há aula na faculdade - está no segundo período de Educação Física. Não fossem as férias, ele seguiria do treino direto para a casa da avó, Neide. Ali, tomaria banho e jantaria antes de ir para a universidade.

ginástica Arthur Zanetti Dia de Treimento (Foto: Gustavo Tílio)Marquinho ajusta os detalhes da série de Zanetti (Foto: Gustavo Tílio)

16h - De férias na faculdade, Zanetti pode voltar mais cedo para casa. Toma banho assim que chega e fica descansando. Gosta de checar e-mails, falar com amigos na internet e de ver televisão.
18h - O destino agora é a casa da namorada, Juliana. Ela, o pai Arthur, Archimedes, a mãe, Rosiane, e o irmão, vão a Londres. Assim que o ginasta conseguiu a vaga, no evento-teste, em janeiro, Rosiane correu para reservar hotel e comprar ingressos.
21h - Neste dia, Zanetti e Juliana não têm programação noturna. Eles gostam de sair para jantar ou ir ao cinema. Adam Sandler é um de seus atores preferidos. Curte comédia ou então ficção científica. Mas se Juliana pedir para ver uma comédia romântica ou qualquer outra coisa, ele concorda. "Ela não pratica esporte e não tem habilidade alguma em nenhum esporte. Não leva nenhum jeito. Como atleta, é uma boa torcedora", conta, rindo.
23h30m - Zanetti volta para casa e dorme. No dia seguinte, a rotina será igual. Esse é o plano do treinador em busca de uma medalha. Para o ginasta, um dia a menos na contagem regressiva.
- Estou indo sem pressão. Tento não pensar em medalha, e sim em fazer minha parte. O resultado que vier é consequência....de tudo.
Consequência de tudo... principalmente, do esforço.

ginástica Arthur Zanetti Dia de Treimento (Foto: Gustavo Tílio)Arthur Zanetti fica de ponta-cabeça nas argolas

Por Gabriele Lomba São Caetano do Sul, SP
Fotos Gustavo Tilio / Globoesporte.com
Fonte: http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/noticia/2012/07/dia-de-treinamento-pequeno-gigante-zanetti-sobrevive-tortura-das-argolas.html