1 – Tendinite
Vôlei e Natação
A tendinite é a inflamação de tendões e ocorre em qualquer parte do corpo. “Ela é resultado de movimentos repetitivos (como saques ou braçadas) ou de apenas um muito intenso”, explica Paulo Henrique Araujo, cirurgião ortopedista de Brasília.
Saia dessa! Comece um novo esporte aos poucos para que o corpo se adapte ao movimento. “Ter uma rotina de alongamento, mesmo fora da academia, também ajuda”, aconselha.
2 – Torção
Futebol
Ela acontece quando você muda de direção bruscamente (como no drible) ou em um salto em que cai de mal jeito. “Isso pode forçar a articulação a fazer um movimento fora do direcionamento natural, ou maior que a amplitude dela”, diz Araujo.
Saia dessa! Além de não ter amigo da onça que dá carrinho na pelada, uma boa é reforçar os músculos próximos da região mais afetada – no caso do futebol, tornozelo e joelho. “Os músculos estabilizam o movimento e ajudam a evitar a torção.”
3 – Contusão
Rúgbi e surfe
Quando você bate com força em uma superfície dura – pode ser o paredão do time adversário ou a prancha na sua canela – pequenas lesões ocorrem nos tecidos subcutâneos e musculares. “Para resolver o problema, o corpo cria um processo inflamatório que ajuda a cicatrizar os tecidos”, explica. Ele, claro, vem acompanhado de dor.
Saia dessa! Como é quase impossível evitar esses acidentes de percurso, fique de olho no pós-pancada. Use bolsa de gelo na região. “É um anestésico natural”, diz Araujo. E fique longe no primeiro momento dos anti-inflamatórios, pois o corpo precisa passar pela inflamação para se recompor. Se a dor não passar, vá ao médico.
4 – Estiramento
Corridas de explosão
É uma ótima ideia melhorar o condicionamento fazendo tiros, mas fique ligado: “O músculo se contrai e estica durante os movimentos, mas quando eles são rápidos demais, a fibra pode se romper”, diz Araujo. Em consequência, a região em torno da parte lesionada se contrai para que o problema não se alastre. Aí, você sente a dor e a fisgada.
Saia dessa! “Nesse caso, o melhor é ter uma rotina de exercícios que busque o equilíbrio entre fortalecimento e alongamento muscular”, aconselha.
Menos doenças = 0 + 5 + 30
Cientistas italianos descobriram os três números que dão um up na imunidade
Depois de tanto meter o pé na jaca é comum a imunidade cair e abrir espaço para resfriados e outras doenças. Mas existe uma fórmula para resolver isso. O imunologista Alberto Mantovani, da Universidade de Milão (Itália), chegou à equação que ajuda a melhorar suas defesas. Para ficar mais resistente a doenças basta fumar 0 cigarros, comer 5 porções de vegetais e fazer 30 minutos de atividade física por dia. “Estes são os primeiros passos para recuperar o sistema imunológico”, diz o médico.
A explicação é simples: o cigarro causa inflamações nas células, prejudicando sua resposta em caso de “ataque” de vírus e bactérias. Já comer 5 porções de vegetais garante às células os nutrientes de que elas necessitam. E não precisa se jogar na academia de uma vez. “O exercício físico é um excelente modulador da imunidade. Mas deve-se ter cuidado com o excesso. O exercício de alta intensidade e feito sem regularidade diminui a imunidade”, explica Renata Castro, cardiologista do Vita Check-Up Center, no Rio de Janeiro.
Por Manuela Biz