sábado, 28 de fevereiro de 2015

The 40-Workout Strength Challenge

Deadlift

You need to pick five exercises. All five will be performed on each training day, five days per week. Pick one from each of the following categories:
1. Press Movement: Flat bench press, incline bench press, or military press.
2. Pull Movement: Thick bar deadlift, snatch-grip deadlift, clean-grip deadlift, orthodox deadlift, Jefferson lift, or hack squat.
3. Hinge Movement: You can combine the pull movement and the hinge movement – as most of deadlift exercise are also hinge movements – or do an exclusively hinge movement like kettlebell swings in the 75-100 range.
4. Squat Movement: Front squat, back squat, overhead squat, zercher squat, or safety squat.
5. Loaded Carry: Farmer's walk, waiter's walk, etc. Vary the distance and load every time.

The Plan: Two-Week Block

Bench Press
Train each of the five exercises each day using these set and rep schemes:

Week 1

Monday (Day 1) 2 x 5
Tuesday (Day 2) 2 x 5
Wednesday (Day 3) 5/3/2
Friday (Day 4) 2 x 5
Saturday (Day 5) 2 x 5

Week 2

Monday (Day 6) 2 x 5
Tuesday (Day 7) 6 singles
Wednesday (Day 8) 1 x 10
Friday (Day 9) 2 x 5
Saturday (Day 10) 5/3/2

Sample Plan: Two-Week Block

Fat Bar

Monday (Day 1) 2 x 5

A. Incline Bench Press (Press Movement): 165 for 5 reps x 2 sets, assuming a 300-pound max single.

B. Thick Bar Deadlift (Hinge Movement): 185 for 5 reps x 2 sets, assuming a 265-pound max single. This counts as a pull and a hinge movement.

C. Front Squat (Squat Movement): 185 x 5 reps for 2 sets, assuming a 405-pound max single.
D. Farmer's Walk (Loaded Carry Movement): 105 pounds in each hand, 100 meters out and back with three stops.


Related:  More on loaded carry movements

E. Ab Wheel (Optional Add-On): 5 reps x 2 sets.
Again, you'll repeat each of these movements every training day.

Tuesday (Day 2) 2 x 5

This can be heavier or lighter depending on mood and feel. The important thing is to show up and get the movements in.
If one day is too hard and compromises the next day's workout, that's fine as long as you lighten the load and continue getting the reps in without compromising speed.

Wednesday (Day 3) 5/3/2

Begin with the 5-rep number from the usual 2 x 5 workout. Then add some weight for three reps, and finally add some weight for two reps. Be sure to get the double.
Most people on this program find that this workout is the test for how things are progressing. The weights should begin to fly up on the double. That's good, but stop there.
Remember, this is a long-term approach to getting strong. Don't keep testing yourself.

Friday and Saturday (Days 4 and 5) 2 x 5

Overhead Squat
These are potentially the most confusing days in that the load on the bar depends on how you feel. If the effort feels easy and light, "nudge" the load up. Here's the secret (again): The goal of this program is to gently raise your efforts (load) on the easy days so that the bar feels light.
If you start out lifting a weight, say 205 at one effort level, and in a few weeks you're lifting 245 at the same perceived effort and speed, you're definitely stronger.

Monday (Day 6) 2 x 5

After a day of rest, day 6 is going to feel easy and that's how it should be. Get the reps in.

Tuesday (Day 7) 6 x 1

Day 7 has a simple rule: You'll do six singles, adding weight each rep. It can be 5 pounds or 50, depending on how each single feels. It's not a max effort on the last set; it's just the sixth single. If the loads feel heavy, just add five pounds. If the bar is flying, add more.
For people who come from the tradition of "smashing your face on the wall," day 7 is confusing. Your goal is to determine the load based on how the weight feels. If it pops right up and feels light, toss on the plates.
If it doesn't, respect today and realize that you're going to have plenty of opportunities to get stronger in the future.

Wednesday (Day 8) 1 x 10

Day 8 is a "tonic" day. Go really light and just enjoy ten reps. It can be as light as 40% of max. Just use the movement to unwind after the previous day's heavy attempts.

Friday (Day 9) 2 x 5

Day 9 is often the day when people start to understand the reasoning behind the program. This is the day where the weights seem to often be "far too easy." That's the sign of progress in this program.

Saturday (Day 10) 5/3/2

This is often the day where people test themselves a little. This is fine as long as you feel like going after it. Again, don't miss.

Week 3 and Beyond, Option #1

Farmers Walk
The original program required that you repeat Weeks 1 and 2 three additional times. It works well.
By week 5, I was a machine on the lifts and broke lifetime personal records, smashing my incline bench press record by 15 pounds and crushing my old thick bar deadlift record by 50 pounds. That represented a staggering improvement.
So Option #1 is to simply keep on keeping on.

Week 3 and Beyond, Option #2

This is the best method for most athletes. You make small changes to the movements, switching from bench press to incline bench press, thick-bar deadlift to snatch-grip deadlift and front squat to back squat.
This is Pavel's "same, but different" approach. That small change seems to keep enthusiasm high for the entire 8 weeks.
After 40 workouts, you'll be stronger than ever before, guaranteed.
Fonte: https://www.t-nation.com/training/40-workout-strength-challenge

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Como é feito o exame antidoping? Ainda o caso Anderson Silva.

Os exames antidoping são feitos para flagrar se o atleta está usando substâncias ilícitas a fim de melhorar seu desempenho. E os testes não se restringem aos períodos de competição, podendo ser realizados a qualquer momento durante os treinos.
O mais usual é que o exame seja feito logo depois das provas. Todos os testes são feitos a partir de amostras de urina. E há basicamente quatro tipos de substâncias proibidas. Elas começam pelos estimulantes, que excitam o sistema nervoso. É o caso das anfetaminas. Mais comuns são os anabolizantes. Usados durante os treinamentos físicos, eles alteraram o metabolismo, fazendo a massa muscular crescer mais do que o normal. Outra categoria proibida é a das substâncias calmantes, que inclui álcool e maconha. O problema é que, em pequenas doses, elas relaxam os nervos. E isso pode dar alguma vantagem em competições como o tiro.
Diuréticos, que eliminam água do organismo, também são vetados. É que eles servem tanto para tirar vestígios de doping como para diminuir o peso de lutadores que tentam competir em categorias de peso abaixo das suas. Além do uso de drogas, enfim, há mais três proibições: injetar sangue, que dá mais fôlego por aumentar o número de glóbulos vermelhos, manipular saquinhos de urina - por motivos óbvios - e o doping genético - estímular órgãos e tecidos com proteínas ou vírus modificados. Isso, na verdade, ainda não foi bem desenvolvido, mas, virtualmente impossível de ser detectado, tem tudo para vingar.
No caso do Comitê Olímpico Internacional, a equipe que coleta a urina pode incluir membros do próprio COI, representantes da federação do atleta e médicos. O sujeito preenche um formulário com o nome das substâncias que teria consumido. E escolhe um frasco vazio para urinar. Pelo menos um dos representante do COI deve olhar o atleta fazendo xixi. Não vale pedir licença ou se esconder enquanto enche o frasco - no mínimo 65 ml. Se o examinado ficar constrangido, pode levar um acompanhante. O frasco é enviado para um laboratório. E o resultado vai para o presidente do Comitê Antidoping do COI. Só ele tem a lista que relaciona o laudo ao atleta. Se der positivo, pede-se uma contraprova. Se o resultado for o mesmo, o atleta é desclassificado.
OS SUSPEITOS
Em geral, em campeonatos mundiais e Jogos Olímpicos, os três primeiros colocados são obrigados a passar pelo controle, bem como alguns competidores escolhidos aleatoriamente. Os "suspeitos" têm a urina ou o sangue coletado em frascos para o exame.
Nos esportes individuais, como o atletismo, os quatro primeiros colocados de cada modalidade são convocados para o exame. Nos coletivos são escolhidos aleatoriamente alguns integrantes das equipes vencedoras. O número de testes sempre aumenta nas provas finais.
MOMENTO DELICADO Para a coleta da urina, não tem jeito: o atleta deve fazer xixi na frente de algum representante da comissão esportiva. Mas, desde os Jogos de Pequim, em 2008, o exame de sangue, mais eficaz, passou a ser mais usado. O material é colhido em dois frascos (prova e contraprova).
PENTE-FINO
No laboratório, busca-se identificar as várias drogas que possam estar presentes no organismo do atleta. A relação de substâncias proibidas é atualizada anualmente pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês). Veja abaixo as cinco principais.
DUAS VEZES CULPADO Se a análise detectar o uso de doping, pede-se o exame da contraprova. Caso o teste dê positivo de novo, o atleta é punido. A pena varia conforme a gravidade do caso, podendo ir da suspensão temporária ao banimento do esporte, como rolou com a nadadora brasileira Rebeca Gusmão.
Pódio dopadão: as substâncias proibidas mais usadas pelos atletas.
Estimulante
Efeito - Excita o sistema nervoso, elevando os batimentos cardíacos e a pressão arterial, mascarando o cansaço, o que dá a sensação de o atleta ter mais gás.
Drogas - Anfetaminas e efedrinas.
Esportes - Basquete, vôlei e futebol.
Quem foi pego - O craque argentino Maradona.
Anabolizante
Efeito - Muda a constituição orgânica, dando mais massa muscular e aumentando a força e a aceleração.
Drogas - Esteroides e nandrolona.
Esportes - Halterofilismo, atletismo e natação.
Quem foi pego - O velocista canadense Ben Johnson
Calmante
Efeito - Relaxa os nervos, acalmando o competidor, o que ajuda em modalidades em que é importante a precisão e a concentração.
Drogas - Formoterol e salbutamol.
Esportes - Tiro ao alvo e saltos ornamentais.
Quem foi pego - O atirador norte-coreano Kim Jong-Su.
Diurético
Efeito - Elimina água do organismo e, com isso, reduz o peso total do atleta num curto espaço de tempo. Também mascara outras substâncias dopantes.
Drogas - Furosemida e clortalidona.
Esportes - Judô, halterofilismo e boxe.
Quem foi pego - O judoca brasileiro João Derly.
Hormônio
Efeito - O mais comum (eritropoietina sintética) eleva o total de hemoglobinas no sangue, dando mais resistência.
Drogas - Eritropoietina (EPO), darbopoietina (dEPO), hematide.
Esportes - Ciclismo e atletismo.
Quem foi pego - O ciclista português Nuno Ribeiro.
Necessidades especiais Assim como os atletas olímpicos, os paralímpicos também precisam se submeter ao controle antidoping Os atletas paraolímpicos também ficam de olho nos exames antidoping. É que, como muitos tomam remédios regularmente por causa de problemas de saúde, eles precisam estar ainda mais atentos para evitar a ingestão de substâncias proibidas. Caso um esportista precise tomar um medicamento proibido, mas indispensável para o seu tratamento, a primeira providência é tentar substituí-lo por uma droga similar permitida. Se for impossível, ele pede uma isenção para uso terapêutico do remédio. "A comissão médica dá o seu parecer após avaliar se a droga não oferece vantagem ao atleta, mas, sim, o traz de uma situação desvantajosa, causada por sua condição de saúde, para um nível neutro", diz o médico Hésojy Gley, coordenador da Comissão Antidoping do Comitê Paraolímpico Brasileiro.
Animais turbinados. 
Não são apenas atletas humanos que se dopam. Confira alguns casos de bichos que competiram "ligadões".
Pombos As corridas de pombo, populares em alguns países europeus, passaram por um escândalo nos anos 90, quando se descobriu que algumas aves recebiam esteroides para ganhar mais força.
Cães Há donos que aplicam estimulantes e anabolizantes em cachorros que competem nas provas de agility, onde deve-se cumprir um percurso cheio de obstáculos no menor tempo possível.
Cavalo O alazão Chupa Chups, do brasileiro Bernardo Alves, foi reprovado na Olimpíada de Pequim, em 2008. O animal testou positivo para a substância capsaicin, usada para aliviar dores.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O QUE É CROSSFIT?






O CrossFit é um programa de treinamento de força e condicionamento físico geral baseado em movimentos funcionais, feitos em alta intensidade e constantemente variados. Normalmente esses movimentos se enquadram em três modalidades: levantamento de peso olímpico, ginástica olímpica e condicionamento metabólico, ou cardio.

O CrossFit busca desenvolver e melhorar todas as nossas capacidades físicas, são elas: resistência cardiovascular (respiratória), resistência muscular, força, flexibilidade, precisão, potência, agilidade, equilíbrio, coordenação e velocidade.

Em um treino típico de CrossFit, atletas e praticantes irão fazer um aquecimento, a prática de uma técnica ou segmento de treinamento de força e depois o WOD (workout of the day), ou treino do dia. A montagem do WOD muda de dia para dia, mas tipicamente inclui uma mistura de exercícios funcionais feitos em alta intensidade por um período que geralmente varia entre 5 a 20 minutos.

O principal equipamento para a sua prática é o nosso próprio corpo. Mas, também utilizamos técnicas e equipamentos específicos como barras e anilhas olímpicas, kettlebells, pesos livres, cordas, caixas, bolas, pneus, argolas, elásticos, correntes entre outros.

Crucial no CrossFit também é a fato de que é o Esporte do Fitness – o método tenta promover a camaradagem natural, competição saudável e a diversão do esporte, ao manter tempos, marcações e definir regras e padrões de performance, que podem variar de WOD para WOD.

Por meio de um programa único de treinamento baseado em movimentos naturais, funcionais e sempre variados, o CrossFit garante um treino completo, diferenciado, desafiador e altamente eficiente.

Dentre os benefícios do CrossFit, podemos citar:

  • Aumento da força 
  • Redução de medidas e percentual de gordura 
  • Melhora na flexibilidade 
  • Melhora na capacidade cardiovascular e respiratória 
  • Aumento de explosão e velocidade 
  • Aumento de resistência muscular 
  • Melhora no equilíbrio 
  • Redução de stress 
  • Definição de tônus muscular 
  • Treinamento altamente eficiente aonde em menos tempo pode-se atingir resultados incríveis 
  • Treinamento que fortalece o corpo por inteiro 
  • Excelente treino preparatório para atletas 
  • Espírito de equipe 
  • Aumento da auto-confiança 
  • Melhora no desempenho em corridas de longa e curta distancia 
  • Prevenção de lesões, quando praticado com o auxílio de profissionais qualificados 
  • Aumento de energia 
  • Pode ser praticado por qualquer pessoa, inclusive grávidas, idosos e crianças, desde que acompanhado por profissionais qualificados 

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Como morriam os gladiadores. Muito além das arenas.

Pesquisa mostra o fim brutal dos derrotados nas lutas na arena do Império Romano

Daniel Hessel Teich
Fabiam Kanz
Fabiam Kanz
Reconstituição de uma luta: armas seguiam regras para dar chances iguais aos combatentesO golpe mortal com o tridente era na parte de trás do crânio do lutador caído ao solo
Fabiam Kanz
O golpe de misericórdia no lutador derrotado era aplicado nas costas e a espada atingia o coração

Durante 700 anos, as sangrentas lutas de gladiadores foram o mais popular espetáculo do Império Romano. Quase tudo o que se sabe sobre quem eram, como viviam e como morriam esses atletas da Antiguidade vem de referências indiretas, como inscrições, desenhos e relatos da época. Pela primeira vez, um grupo de pesquisadores austríacos está conseguindo traçar um retrato realista, baseado em evidências materiais, do que foram essas lutas travadas até a morte para o divertimento da multidão. O objeto de estudo é um cemitério no oeste da Turquia onde foram encontrados os esqueletos de 120 gladiadores, quase todos mortos em combate ou executados depois de derrotados na arena. As ossadas, datadas dos séculos III e IV, tinham marcas de ferimentos feitos por espada, tridente e por uma arma pouco comum, chamada quadridente cúbico, uma espécie de garfo grande com quatro dentes dispostos bem perto uns dos outros que se imaginava usada apenas em rituais religiosos.

O mais impressionante eram as formas de execução dos gladiadores derrotados. Aquele que tivesse ferimentos leves esperava de joelhos pelo julgamento da platéia. Caso a decisão fosse pela execução, ele era morto com um golpe de espada na jugular. Se estivesse muito debilitado, era mantido de quatro na areia e recebia o golpe nas costas, na altura do ombro. A lâmina penetrava entre os ossos e chegava diretamente ao coração. As ossadas foram achadas na antiga cidade de Éfeso, a mais movimentada da Ásia Menor na época, com 200.000 habitantes. Sua arena, adaptada sobre um teatro grego, podia acomodar 25.000 espectadores, a metade da lotação do Coliseu de Roma. Os arqueólogos da Universidade de Viena encontraram junto às tumbas muitos desenhos e inscrições a respeito da vida dos gladiadores sepultados. Iam desde grafites desenhados por crianças até entalhes nas lápides. Essas inscrições permitiram que identificassem um jovem de 21 anos que treinava para ser gladiador desde os 17 e foi morto na quinta vez em que se apresentou na arena. Outra história contada nas inscrições é a de um lutador de 30 anos que foi muito admirado pelos moradores de Éfeso: venceu 21 lutas e foi poupado da morte pela platéia em quatro derrotas. As inscrições mostravam que era possível aos combatentes morrer de velhice. Um deles viveu até os 99 anos depois de ter sido libertado e receber uma pensão do império por várias décadas.

Os gladiadores eram, em sua maioria, criminosos condenados, prisioneiros de guerra e escravos. A análise das ossadas pelos pesquisadores austríacos mostrou que eram muito bem tratados enquanto estavam em treinamento. É fácil entender por quê. Os melhores lutadores valiam o equivalente a quinze vezes o salário anual de um legionário. Se acumulavam um número suficiente de vitórias, eram libertados e, não raro, transformavam-se em organizadores de luta. As regras do jogo eram rigorosas e sempre buscavam um equilíbrio de forças entre os dois gladiadores. As armas e as roupas de proteção seguiam um padrão fixo, para que um não levasse nenhuma vantagem em relação ao outro. O que encantava a platéia era a destreza demonstrada na arena. "Eram apenas dois combatentes. Lutas com um único gladiador perseguido por vários oponentes com armaduras extravagantes não existiam. Isso só se vê nos filmes de Hollywood", disse a VEJA Fabian Kanz, antropólogo da Universidade de Viena, um dos arqueólogos que analisaram as tumbas de Éfeso. 

Fotos Fabiam Kanz
Fabiam Kanz
À esquerda: as lesões encontradas nas ossadas dos gladiadores lembram as dos atletas atuais. Abaixo: cenas de lutas
Os gladiadores treinavam com intensidade e, a julgar por seus restos, tinham o preparo físico de um atleta moderno. Quando sobreviviam, os ferimentos eram muito bem tratados. Os especialistas que estudaram os esqueletos encontraram um osso de antebraço com uma fratura que tinha sido tão bem cuidada que mal aparecia a olho nu. Um resultado assim só é possível com pronta intervenção de um médico hábil seguida de um bom tratamento de fisioterapia. Muitas das ossadas revelam uma característica observada hoje nos tenistas profissionais: o braço que empunhava a espada chega a ser 5 centímetros mais comprido que o outro. Outra semelhança com os tempos modernos são lesões de tendões e articulações, bem parecidas com as dos esportistas do século XXI. A grande diferença era, evidentemente, que, ao contrário do que ocorre hoje, um atleta que desagradasse à platéia na arena romana não vivia para se apresentar em outra competição. 

Fonte: http://veja.abril.com.br/280503/p_068.html

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Entenda o efeito das substâncias encontradas no exame de Anderson Silva

Lutador brasileiro testou positivo no antidoping feito durante a preparação para a luta do último dia 31

Entenda o efeito das substâncias encontradas no exame de Anderson Silva Reprodução/Twitter UFC Brasil


Anderson Silva e Nick Diaz testaram positivo no antidoping 
Foto: Reprodução / Twitter UFC Brasil

A notícia de que Anderson Silva testou positivo para anabolizantes em um exame antidoping realizado no dia 9 de janeiro, antes da sua luta contra Nick Diaz, no último sábado, pegou muita gente de surpresa. O combate marcava o retorno do ex-campeão dos pesos médios ao UFC após a fratura na perna sofrida em dezembro de 2013, contra Chris Weidman.

Caju Freitas: "Pode ser o fim de Anderson Silva no MMA"
O exame de Anderson acusou a presença de drostanolona, androsterona e 17-Diolum. A drostanolona é um esteroide anabolizante sintético, enquanto a androsterona é um hormônio natural e o 17-Diolum, um composto também sintético. Estes dois agem em conjunto com o esteroide, em um tratamento feito para aumentar a massa muscular e fortalecer os músculos.

Como agem os esteroides
A drostanolona é um esteroide anabolizante muito utilizado por fisiculturistas, por ajudar a definir os músculos. Também conhecida como masteron, esta substância aumenta o ganho de massa muscular e a queima de gordura, e evita a retenção de líquidos. Ela é aplicada em injeções de 100mg, geralmente durante um período determinado.

"Não iria sujar minha imagem", diz Anderson Silva a diretor
De acordo com o médico Darci Araújo Rodrigues, ex-diretor do departamento médico da Federação Gaúcha de Futebol, não há como Anderson testar positivo para essa substância sem tê-la utilizado deliberadamente.
— Este esteroide, como todos os outros, é um hormônio masculino que faz com que a massa muscular se desenvolva mais. As fibras musculares ficam entumescidas, mais fortes. Para isso, é feito um tratamento a longo prazo. A substância não se esvai do organismo em 24h, e nem pode ser encontrada em remédios, por exemplo — explicou Araújo.
Um dos produtos preferidos em fóruns de internet de malhação, a drostanolona tem sérios efeitos colaterais: ela causa hipertrofia da próstata, queda de cabelo e engrossamento da voz.

Maconha é doping por ser droga social
Assim como Anderson Silva, Nick Diaz, seu adversário na luta do último sábado, também testou positivo: no seu caso, para maconha, em exame feito após a luta. Araújo ressaltou, no entanto, que a droga não tem nenhuma propriedade dopante.
— A maconha não é considerada doping no sentido de dar mais força ou agilidade. Na verdade, é uma droga social, e por isso está incluída na lista de proibições.

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/esportes/noticia/2015/02/entenda-o-efeito-das-substancias-encontradas-no-exame-de-anderson-silva-4693867.html

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

O que o mercado fitness previu como tendência mundial de fitness para 2015.

Para 2015, a lista top 20 de tendências foi divulgada na revista ACSM’s Health and Fitness Journal.


 Top 20: Tendências mundiais do mercado fitness para 2015
  1. Treinamento com o peso corporal
  2. Treinamento intervalado de alta intensidade
  3. Profissionais experientes, certificados e educados
  4. Treinamento de força
  5. Treinamento personalizado
  6. Exercício e emagrecimento
  7. Yoga
  8. Exercício para pessoas idosas
  9. Treinamento funcional
  10. Treinamento personalizado em pequenos grupos
  11. Promoção de saúde no ambiente de trabalho
  12. Atividades ao ar livre
  13. Coaching de bem estar
  14. Treinamento em circuito
  15. Treinamento do core
  16. Treinamento específico para esportes
  17. Exercício, crianças e tratamento/prevenção da obesidade infantil
  18. Mensuração dos resultados
  19. Programas de incentivo a hábitos saudáveis do trabalhador
  20. Treinamento em estilo militar
 
Características profissionais que serão o diferencial do profissional em  2015:
  1. Praticidade e independência: dominar ferramentas alternativas de treinamento pode abrir novas possibilidades no mercado (tendências 1, 12)
  2. Eficiência e otimização do tempo: dedicar menos tempo ao exercício sem prejuízos nos resultados é uma característica da sociedade moderna (tendências 2, 14, 20)
  3. Dinamismo e inovação: o mercado está investindo em atividades inovadoras (dinâmicas, motivantes) para atrair pessoas (2, 9, 14, 16, 20)
  4. Competência profissional: o mercado atual exige profissionais competentes e que mostrem resultado (tendências 3, 18)
  5. Funcionalidade: a hipocinesia da sociedade moderna está incentivando o resgate da funcionalidade (tendências 4, 9, 15)
  6. Privacidade: o atendimento personalizado atrai uma boa parcela do mercado que busca privacidade e qualidade (tendências 5, 10)
  7. Emagrecimento e grupos especiais: é crescente o interesse de grupos especiais pelos benefícios do exercício físico (tendências 6, 8, 17)
  8. Saúde mental: os benefícios do exercício físico sobre a saúde mental, além da física, têm sido bastante evidenciados (tendências 7, 12, 13)
  9. Atividade física na empresa: a preocupação com a saúde do trabalhador é crescente (tendências 11, 19)
 Fonte: hompson WR. Worldwide survey of fitness trends for 2015: what’s driving the market. ACSM’s Health & Fitness Journal. 18(6):8-17, 2014.


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Nova Globeleza, Erika Moura revela dieta e conta como mantém boa forma: 'Dança'


A nova Globeleza, Erika Moura, está arrancando suspiros de muitos marmanjos quando aparece na vinheta de Carnaval da Globo. 


erika moura a nova globeleza 2

A dançarina voltou a mostrar samba no pé ao participar doprograma "Encontro com Fátima Bernardes", comandado por Ana Furtado, Marcos Veras e Lair Renó, na quarta-feira (7), e falou sobre dieta e a preparação do corpo, iniciadas assim que o soube que assumiria o posto de Nayara Justino, eleita ao título pelo público em 2014, mas que deixou o cargo um ano depois.

Para manter o corpão, a mulata investe em um cardápio com pouquíssimas calorias. No prato da Globeleza apenas tomate, frango e ovo são suficientes para uma refeição, mas ela não deixa de lado sua sobremesa preferida: "me permito um doce de leite pelo menos três vezes por semana". Além de dar mais atenção à alimentação, Érika também buscou uma academia para definir ainda mais o corpo. "Faço dança e comecei a fazer malhação", disse Érika no palco do programa.

Os resultados da boa forma puderam ser vistos ao vivo. De vestido curtinho, a nova Globeleza sambou ao som da banda Psirico e foi elogiada no palco. Ana Furtado não fez cerimônia para conferir o corpão da dançarina. "É tudo durinho", disse a apresentadora ao apalpar a perna torneada de Érika.

Globeleza é apresentada pelo 'Fantástico'

A nova Globeleza precisou passar por uma seleção para ser escolhida como musa da vinheta de Carnaval da Globo. Durante o "Encontro", ela contou que só participou da competição porque foi avisada por um primo, que a orientou para enviar fotos para o concurso. Após ser aprovada na primeira fase, Érika também enfrentou um teste de samba e depois passou por uma entrevista.

Desconhecida do público até então, a mulata tem ganhado os holofotes desde que foi apresentada com muitos elogios ao público no "Fantástico", no último domingo (4)."É hora de conhecer a nova musa do samba e da alegria, uma mulata de fechar o trânsito e o comércio", disse Tadeu Schimidt, antes da exibição do vídeo que revelou a identidade da modelo.

Na atração, ela contou ter estudado fisioterapia, trabalhou como recepcionista e dança desde pequena. "Para mim, o Carnaval é mágico. Então, eu quero passar isso para as pessoas, eu quero passar magia, sensualidade, quero passar a graciosidade que o Carnaval representa. Quero cativar todo mundo assim, com esse jeitinho maroto", disse Érika, de 22 anos.

Dançarina passa 14 horas se pintando antes de gravar vinheta

Cheia de disposição, Érika ficou 14 horas pintando o corpo antes de gravar a vinheta, cinco horas a menos que Nayara, sua antecessora, passou para a gravação. A ideia, segundo o diretor de arte Alexandre Romano, é fazer com que as cores dêem nova identidade visual à Globeleza.

"As cores estão correndo pelo corpo, seguindo as formas. A câmera, a gente vai desenvolver uma linguagem mais intimista, vai estar mais viva. (Dando) A sensação de que ela está dançando junto com o espectador", explicou ele.

Segundo o jornal "O Dia", a Globo já buscava uma nova Globeleza para substituir Nayara, em outubro quando a modelo ainda estava no cargo. E de acordo com uma fonte do Purepeople, a emissora também teria proibido Nayara de dar entrevista e "escondeu" a sambista das vinhetas. Ela, porém, declarou que estava satisfeita com os compromissos firmados por causa do título.


Confira as fotos da nova Globeleza

erika moura a nova globeleza carnavalerika moura a nova globeleza
Erika Moura Globeleza 2015Erika Moura Globeleza 2015Erika Moura Globeleza 2015Erika Moura Globeleza 2015Erika Moura Globeleza 2015Erika Moura Globeleza 201510480999_10201942245547720_136319438084186202_n10599217_10202263948190085_7445971844742197878_n10624890_10202518633037047_7216233042182223951_n